Palavreado

Com curadoria do artista Jorge Menna Barreto e da crítica Galciani Neves, exposição na Carbono Galeria apresenta obras com palavras inventadas e recria projeto apresentado na 32º Panorama da Arte Brasileira

Publicado em: 26/11/2015

Categoria: Agenda, Da Hora

Legenda: Desleituras (2015), de Jorge Menna Barreto (Foto: Divulgação) 

Deusejo, certão, prazar, liverdade. Essas palavras inexistentes no dicionário agora existem em obras de arte. Elas estampam os tapetes de borracha que integram a exposição A palavra palavra, em cartaz na Carbono Galeria, em São Paulo. Com curadoria do artista Jorge Menna Barreto e da crítica de arte Galciani Neves, a mostra recria um projeto de Barreto realizado para o 32º Panorama da Arte Brasileira, em 2011, no Museu de Arte Moderna de São Paulo.

Os tapetes em questão, de autoria de Menna, dialogam, de modo direto ou ambíguo, com obras de outros 21 artistas que fazem parte do acervo da galeria: Artur Lescher, Célia Euvaldo, Carlos Fajardo, Daniel Steegmann, Felipe Cohen, Gustavo Speridião, Jenny Holzer, Jorge Menna Barreto, Josef Albers, Juan Fontanive, Julio Le Parc, Laura Lima, Lenora de Barros, Luiza Baldan, Marcius Galan, Nelson Leirner, Paulo Bruscky, Rachel Whiteread, Regina Silveira, Sérvulo Esmeraldo e Tatiana Blass.

Serviço

Galeria Carbono
Rua Joaquim Antunes, 59, Jd. Paulistano – São Paulo
Até 30 de janeiro
Segunda à sexta, das 10h às 19h. Sábado, das 11h às 15h

Tags: , , ,

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.