Pintura desde os anos 1980

Múltiplas facetas da pintura são refletidas em exposição na Bahia, com a presença de artistas de diferentes gerações

Da redação
Pintura Sem Título (2017), de Ricardo Van Steen, diretor de arte da seLecT (Fotos: Divulgação)

Diversidade é uma palavra-chave para a exposição Fragmentos de Um Discurso Pictórico, com curadoria de Mario Gioia. A exposição, que acontece na capital baiana, traz um recorte sobre a pintura brasileira a partir de trabalhos de 13 artistas de diferentes gerações. Fábio Miguez e Sérgio Sister trazem os emblemáticos anos 1980 na bagagem. Ricardo van Steen, Lara Viana e Ana Elisa Egreja mostram a persistência da pintura em suas trajetórias. E novatos como Giulia Bianchi e João GG enriquecem a proposta com suas recentes entradas no universo das artes. Para Gioia, “a exposição não pretende ser um panorama que esgote discussões sobre determinadas características da linguagem, mas que funcione como um encontro entre produções de artistas que não comumente estejam relacionadas”.

  • Magma: Erupção (2016), de João GG
  • Pia (2011), de Ana Elisa Egreja
  • Arbolé (2017), de Antonio Lee
  • Esquina Azul (2016), de Fábio Miguez

Serviço
Fragmentos de Um Discurso Pictórico
Roberto Alban Galeria
Rua Senta Pua, 53 – Salvador
até 30/9
robertoalbangaleria.com.br

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.