Poética do contra

Trabalho de Wolfgang Tillmans contra o referendo do Reino Unido pode ser acessado via internet e reproduzido por quem se interessar pelo projeto

Felipe Stoffa

Publicado em: 28/04/2016

Categoria: Da Hora

EU Campaign de Wolfgang Tillmans (Imagem: Reprodução)

Sabe-se que qualquer manifestação poética é sempre uma prática de resistência, mas existem sempre aqueles que promovem seus trabalhos para além de um circuito, ampliando seus campos. É o caso de Wolfgang Tillmans, que criou uma campanha contra o referendo que, se votado SIM, retirará o Reino Unido do tratado da União Europeia. Seu projeto, uma série de cartazes produzidos pelo artista e sua equipe há algumas semanas, está ganhando ampla repercussão na mídia.

Tillmans não é o único que está protestando contra tal acontecimento, mas está fazendo sua parte ativamente. Ele vem enviando suas imagens para diversos grupos, a fim de vê-los impressos e colados em pontos urbanos ao redor mundo. Sua posição é clara: o tratado que estabelece a União Europeia sofrerá um grande abalo nas relações internacionais caso o Reino Unido se retire. Quem são os maiores articuladores desse projeto? A extrema direita.

O trabalho está disponível para download a partir do próprio site do artista, um grande conjunto em PDF de cartazes produzidos por Tillmans. Qualquer interessado, que desejar participar, pode imprimi-los em qualquer gráfica, entre os formatos A3 e A4, e espalhá-los por onde achar melhor. Só não vale pendurar em casa.

EU Campaign de Wolfgang Tillmans (Imagem: Reprodução)

EU Campaign de Wolfgang Tillmans (Imagem: Reprodução)

Tags: , , , ,

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.