Polêmica

Artista Berna Reale usa rede social para denunciar agressão que sofreu no Centro de Perícia Criminal de Belém

Publicado em: 18/02/2016

Categoria: Da Hora, Notícias Quentes

Um dos nomes mais importantes da arte contemporânea nacional e representante brasileira na última edição da Bienal de Veneza, a artista Berna Reale relatou em uma rede social a agressão que sofreu em seu ambiente de trabalho, o Centro de Perícia de Belém. A paraense publicou um texto sobre o caso, na tarde desta quinta-feira (18), e afirmou que um funcionário de um cargo mais alto proferiu xingamentos e a pressionou contra uma parede.

“Quem me conhece sabe que não fico calada a injustiça. Há tempos questiono e denuncio injustiças e irregularidades no local onde eu trabalho. Ontem porém a situação ultrapassou qualquer limite. Fui perguntar a um superior sobre uma um fato mas tudo terminou com o descontrole dele, com gritos, insultos, dedos na minha cara”, narrou. “Fui pressionada contra a parede e onde ele dizia que ‘ia me mostrar como respeitá-lo’, gritei pedindo ajuda, várias pessoas assistiram e nada fizeram. Sai de lá chorando e fui registrar o caso à um delegado policial, abaixo”.

Funcionária pública há 31 anos e perita há seis, Berna declarou em entrevista ao jornal O Globo que o diretor do Instituto de Criminalística do órgão, Silvio André Lima da Conceição, tentou leva-la para dentro de uma sala à força. O jornal carioca ainda publicou a resposta do funcionário, que negou as acusações de agressão e disse que a artista estava “desestabilizada emocionalmente”. Berna registrou um Boletim de Ocorrência na 5ª Seccional da Polícia Civil de Belém.

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.