Prelúdio de uma exposição individual

Configuradas pela artista especificamente para o Pivô, obras de Anna Maria Maiolino roubam a atenção em exposição coletiva Imannam

Luana Fortes
Sala em que Anna Maria Maiolino exibe conjunto de vídeos no Pivô (Fotos: Everton Ballardin)

A exposição que inaugura o Programa Anual de Exposições do Pivô reúne Ana Linnemann, Anna Maria Maiolino e Laura Lima, artistas de três gerações diferentes, com curadoria de Tania Rivera. A partir de um jogo com as letras de seus nomes, a coletiva recebe o título Imannam, replicando um suposto entrelaçamento entre os trabalhos exibidos. Em texto sobre a mostra, afirma-se que não se pode determinar onde termina o trabalho de uma artista e começa o da outra. Isso de fato acontece em obras de Linnemann e Lima, especificamente feitos para o Pivô. No entanto, até que ponto é possível um entrelaçamento entre essas obras e a produção de uma artista com mais de 50 anos de trajetória?

Ao entrar no espaço expositivo, a obra Caramujo (2018), de Laura Lima, pretende desestabilizar ou ativar o corpo do público. Lima rebaixou o teto de uma parte do Pivô e espera que as pessoas se curvem e passem debaixo dele. No entanto, muitos simplesmente desviam do trabalho e acabam também deixando de notar Os Invisíveis (número 11) (2017), de Ana Linnemann, que já tem como proposta não ser imediatamente percebido. Uma instalação sonora de Anna Maria Maiolino, Trans-versos (2012), também entra no jogo de relações, por mais que seja a única obra de Maiolino que de fato estabelece contato com as de suas companheiras de exposição.

  • Caramujo (2018), teto rebaixado por Laura Lima
  • A Mesa Do Ateliê (2018), de Ana Linnemann
  • Quarto Incapacitado (2018), de Laura Lima

 

Adiante, após curvar-se à obra de Lima (ou desviar dela), dá-se de cara com Os Invisíveis (número 12). Outra vez sútil, o trabalho talvez também não seja notado. A obra de Linnemann que mais clama por atenção é A Mesa Do Ateliê (2018). Com um espaço mais reservado, tem um aspecto desconstruído que faz com que a instalação pareça parte do Pivô. Mas apresenta partes que convidam um olhar mais curioso, como um lápis desenhando em um caderno, movimentado por um pequeno motor, ou uma espiral iluminada que desce de uma mesa ao chão.

Logo a frente, uma sala quadrada paira sobre o espaço, suspensa. Um tanto esquisita, traz um feixe esburacado que permite enxergar aquilo que se passa por dentro. É o Quarto Incapacitado (2018) de Laura Lima. Ao olhá-lo, remanesce na cabeça do público se aquilo sempre esteve ali, parte do Pivô, quando na realidade foi inteiramente projetado pelo artista. Lima escalou Kimis Noda e Leandro Muniz, da equipe de curadoria do espaço, para trabalhar dentro do quarto enquanto a exposição estiver acontecendo. O nome dos dois está inclusive na ficha técnica do trabalho.

  • Sequência com seis vídeos de Anna Maria Maiolino, diante da obra Sem Título (1981), da série Vida Afora
  • Ao fundo, Os Homens Ocos (2018), trabalho de Anna Maria Maiolino feito a partir de apropriação de poema de T.S. Elliot. A frente, Estado de Exceção (2009 - 2012), também de Maiolino

E, depois dessas dúvidas sobre o que é ou não trabalho de arte, geradas por sutilezas e relações espaciais, a exposição ganha cara de exposição. Anna Maria Maiolino expõe uma instalação com cadeiras e ovos, uma intervenção na parede com poema de T.S. Elliot, o trabalho Estado de Exceção (2009-2012), além de 12 vídeos que roubam a atenção com a maior imponência. “Não me importava muito saber o que elas estariam mostrando”, disse a artista em vídeo exibido na mostra. “As duas eram construtoras e eu me sentia um corpo estranho”, continua, enfatizando também o respeito que sente por ambas. E, é uma pena, ou um prazer, afirmar que Maiolino é realmente um corpo estranho em Imannam. Estranho no sentido de especial, de algo que se sobressai. Ao atravessar a exposição, logo deixa-se de considerá-la uma coletiva. Em certo momento, você se encontra em uma individual de Anna Maria Maiolino e recebe uma torrente de investigações de uma artista de 76 anos, experimentando com antigos trabalhos, montando instalações com vários vídeos em sincronia admirável e, sem dúvida e sem sutileza, fazendo com que a coletiva anterior fosse considerada um prelúdio do que vem a seguir.

Serviço
Imannam – Ana Linnemann, Anna Maria Maiolino e Laura Lima
Pivô
Avenida Ipiranga, 200 – Edifício Copan, lj 54 – São Paulo
Até 2/6/2018
pivo.org.br

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.