Questionar o presente

Anri Sala abre no Instituto Moreira Salles sua maior retrospectiva já realizada em solo brasileiro

Felipe Stoffa

Publicado em: 11/08/2016

Categoria: Da Hora, Destaque, Notícias Quentes

Tags: , ,

Anri Sala - Still de Long Sorrow (Foto: Cortesia Marian Goodman Gallery/Hauser & Wirth/Galerie Chantal Crousel/Johnen Galerie/Galerie Rüdiger Schöttle)

Em meio ao agito que toma o Rio de Janeiro, os visitantes que passarem pelo monumental projeto modernista de Olavo Redig Campos, construção de 1951 encomendada pelo então embaixador Walther Moreira Salles, encontrarão o edifício imerso em um ambiente com vídeos, sons e obras sensoriais. Trata-se da maior retrospectiva do artista albanês Anri Sala já realizada em solo brasileiro, Anri Sala: O Momento Presente, com curadoria de Heloisa Espada no Instituto Moreira Salles.

Anri Sala - Still de Answer Me, 2008 (Foto: Cortesia Marian Goodman Gallery/Hauser & Wirth/Johnen Galerie/Galerie Rüdiger Schöttle, Munique/Galerie Chantal Crousel)

Anri Sala – Still de Answer Me, 2008 (Foto: Cortesia Marian Goodman Gallery/Hauser & Wirth/Johnen Galerie/Galerie Rüdiger Schöttle, Munique/Galerie Chantal Crousel)

A instituição não apenas recebeu trabalhos de Sala, mas teve sua arquitetura modificada para acolher obras especialmente projetadas para a mostra, como é o caso de No Windows No Cry (Olavo Redig Campos) (2016), em que o artista substituiu uma das vidraças que dá vista ao pátio interno da casa, ou em Bridges in the Doldrums (2016), instalação sonora inédita que invade dois cômodos da residência. A relação entre os trabalhos e a própria arquitetura modernista é um recorte que a curadoria pretendeu ressaltar, fazendo com que as obras envolvam o espectador durante a visita. Nesse ponto, vale atenção para a expografia da mostra, que procurou junto com Sala fechar lugares mais conhecidos e abrir espaço para ambientes pouco visitados da casa modernista, tornando o passeio pela exposição um ato de reconhecimento do local.

Anri Sala é um dos artistas de maior destaque na cena internacional. Nascido em 1974 em Tirana, capital da Albânia, atualmente reside em Berlin, Alemanha. Desde muito cedo, ainda enquanto cursava a Academia Nacional de Artes de Tirana, e posteriormente na École Nationale Supérieure des Arts Décoratifs, em Paris, manifestava interesse pela vídeoarte. Prova disso é o vídeo Intervista (Finding the Words) (1998), fruto de seu trabalho de conclusão de curso, que já passou por diversas exposições ao redor do mundo e ganhou prêmios como o Melhor Documentário no Festival Entrevues, em Belfort, França; no Brooklyn Film Festival, em Nova York; e Melhor Curta-Metragem no Festival Amascultura, em Lisboa. A obra, por sinal, integra a exposição brasileira.

Anri Sala - No Barragán No Cry, 2002 (Foto: Cortesia Hauser & Wirth/Galerie Chantal Crousel)

Anri Sala – No Barragán No Cry, 2002 (Foto: Cortesia Hauser & Wirth/Galerie Chantal Crousel)

O interesse do artista pelo passado colonial do Brasil fez com que ele produzisse uma nova versão de seu vídeo Làk-kat, originalmente filmado em 2009, no Senegal. Em 2015, exibiu o documentário em Londres, batizado de Làk-kat 2.0 (British/American) (2015), que foi exposto em duas telas, uma com legendas em inglês britânico, outra com inglês americano. Nesta nova edição, agora Làk-kat 3.0 (Brazilian Portuguese/Portuguese/Angolan Portuguese) (2016), são três telas que contém legendas em português de Portugal, da Angola e do Brasil, trabalho que conta com a colaboração de Noemi Jaffe, o angolano Ondjaki e o português José Luís Peixoto.

A exposição aponta para o condição sensível da obra de Sala mas também dá voz ao caráter crítico e político de seus vídeos. “Entre performance, ficção e documentário, os trabalhos apresentados em Anri Sala: o Momento Presente, propõem experiências nada apaziguadoras por meio da justaposição de contingências pessoais, históricas e políticas”, afirma Heloisa Espada.

Anri Sala - Still de Answer Me, 2008 (Foto: Cortesia Marian Goodman Gallery/Hauser & Wirth/Johnen Galerie/Galerie Rüdiger Schöttle, Munique/Galerie Chantal Crousel)

Anri Sala – Still de Answer Me, 2008 (Foto: Cortesia Marian Goodman Gallery/Hauser & Wirth/Johnen Galerie/Galerie Rüdiger Schöttle, Munique/Galerie Chantal Crousel)

Serviço
Anri Sala: O Momento Presente
Instituto Moreira Salles
Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea, Rio de Janeiro
De 10/9 até 20/11
De terça-feira a domingo, das 11h às 20h
Tel.: (21) 3284 7400

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.