R.I.P. Anna Barros

Guilherme Kujawski

Publicado em: 27/09/2013

Categoria: Da Hora, obituário

Faleceu hoje a artista e pesquisadora Anna Barros

Nanoarte

Legenda: Capa do livro Nanoarte, de Anna Barros, Sesi-SP, 2013, 96 págs.

Durante o período em que estava fazendo o bacharelado em Fine Arts no Otis Art Institute de Los Angeles, Anna Barros foi influenciada pelos artistas californianos que exploravam a luz como mídia. De volta ao Brasil, produziu vídeos com recursos de computação gráfica, sem apelar para excessos cromáticos típicos desses recursos (leia o verbete sobre a artista na Enciclopédia de Arte e Tecnologia do Itaú Cultural).

Mais recentemente foi curadora da exposição Nanoarte, no MuBE (2011) e passou a coordenar a área de nanoarte do GIIP – Grupo Internacional e Interinstitucional de Pesquisa em Convergências entre Arte, Ciência e Tecnologia -, da Unesp. Na última edição do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (FILE) ela montou uma nova instalação e lançou um livro. A revista seLecT, quando do lançamento, publicou a seguinte nota na edição #13:

Do alto de seus 80 anos, a artista Anna Barros não se cansa de inovar. No FILE 2013, ela monta nova instalação, feita em parceria com Alberto Blumenschein, e lança o livro Nanoarte. “Na minha pesquisa em nanoarte, dois reinos se aliam: o da natureza e o da tecnologia. Minha obra resulta da união entre amostras de materiais concretos da natureza e a tecnologia dos microscópios eletrônicos empregada para desvendá-las em escala manométrica”, diz Anna Barros.

Segundo o artista Ricardo O’ Nascimento, que também participou da última edição do FILE, Anna foi uma “gentil pessoa e excelente artista”. Concordamos em gênero, número e grau. Chegou o momento de seu descanso, o descanso de uma guerreira. Ficará in memoriam para sempre em nossos corações e mentes.

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.