Recriação artística

Luciana Pareja Norbiato

Publicado em: 12/08/2015

Categoria: Da Hora, exposições e bienais

Exposição na Oca traz subversão do design por expoentes da arte internacional

Jarbas Lopes - O Bem E O Mal Entendido

Legenda: O Bem e o Mal Entendido (2006), de Jarbas Lopes

Subversiva, a arte nunca se conformou em se deixar escravizar pela instrumentalização do progresso. Para cada novo artefato criado em vista de uma certa finalidade havia dúzias de artistas morrendo de vontade de inutilizá-lo, modificar sua função inicial ou, pelo menos, transformar seus contornos. No último caso se enquadra a guitarra amarela, que parece derretida, graças às suas curvas fora do comum, criação de Andy Warhol para a banda Velvet Underground, de Lou Reed.

Já da proposta de inutilização total da funcionalidade, o ferro de engomar que o vanguardista Man Ray enfeitou com pregos lá nos anos 1920, quase como um instrumento de tortura surrealista, é o exemplo perfeito; ao lado das televisões que, agregadas, formam o corpo de um sorridente robô desconjuntado, trabalho do sul-coreano Nam June Paik.

Esses artistas fazem parte do grupo selecionado pelos curadores Agnaldo Farias e Marcello Dantas em Invento, que apresenta a linha evolutiva da subversão dos equipamentos utilitários.

Mas nem só de artistas estrangeiros se faz a exposição: Jarbas Lopes e seu Fusca dupla-face, Nelson Leirner reinventando a geladeira e Nazareth Pacheco insinuando possibilidades funestas no uso de giletes como vestido se irmanam a Renata Lucas, Paulo Nenflídio, a dupla mineira O Grivo e o imprescindível Guto Lacaz, reconhecidamente um dos maiores nomes da iconoclastia funcional, para compor o time que representa o Brasil na mostra.

Invento – As Revoluções Que Nos Inventaram, 5/8 a 4/10, Oca, Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, Portão 3, São Paulo

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.