Resgate da cultura brasileira

Com mais de 150 obras, exposição do Museu Casa do Pontal convida o público a conhecer a história da cultura popular brasileira

Felipe Stoffa
Zé Caboclo - Casal Sentado (Foto: Museu Casa do Pontal)

Com o Rio de Janeiro lotado de turistas, não há melhor data para o Brasil mostrar um pouco mais de suas raízes. Aproveitando o calendário olímpico, o Museu Casa do Pontal, que comemora 40 anos de atividade, festeja a data com a exposição O Brasil Na Arte Popular e reúne distintas produções de nossa cultura tradicional que falam de música, literatura, festejos, arte e muito mais.

Fundada em 1976, a instituição detém peças produzidas por mais de 300 artistas populares, muitos deles já falecidos, de todas as regiões do Brasil. São, aproximadamente, oito mil obras que faziam parte do acervo pessoal do designer francês Jacques Van de Beuque. Apaixonado pela cultura popular brasileira, Beuque iniciou sua coleção há 60 anos atrás, quando foi tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Artístico e Cultural do Rio de Janeiro em 1989.

Ulisses Pereira - Duas Cabeças Humanas em Animal (Foto: Acervo Museu Casa do Pontal)

Ulisses Pereira – Duas Cabeças Humanas em Animal (Foto: Acervo Museu Casa do Pontal)

A mostra, sediada no Museu Histórico Nacional, tem curadoria assinada pela antropóloga Angela Mascelani e oferece ao público uma seleção de 150 obras que abrangem temáticas festivas, o cotidiano e o imaginário do povo brasileiro. Dentro disso, Mascelani se preocupou em dar voz às distintas identidades dos artistas apresentados, como também no caso de peças produzidas por coletivos e grupos de artesãos, que guardam estilos singulares e marcas próprias. Grande exemplo disso é a obra que abre a exposição, uma escultura cinética e sonora de Luiz Gonzaga, um dos maiores cantores brasileiros, produzida pelo artista carioca Adalton Fernandes Lopes. “Como critério de curadoria selecionamos obras potentes, capazes de transmitir ao público a força poética da cultura brasileira. Além disso, a exposição tem como objetivo oferecer uma visão sintética acerca do mundo cultural no qual floresce a arte popular. E revelar as maneiras por meio das quais os participantes deste segmento, historicamente situado nas periferias urbanas e nas zonas rurais, atualizam suas presenças no cenário contemporâneo do país”, explica Angela.

Além das obras, a curadoria contou com filmes e ambientes digitais para oferecer uma síntese de algumas das mais famosas festas e figuras tradicionais brasileiras, como a Cavalhada de Goiás, o Bumba-meu-boi, o Cavalo-Marinho, o Maracatu, os Reisados, a Festa Junina, enquanto que o carnaval é retratado a partir de um dispositivo que leva o público ao famoso sambódromo carioca. Já nas artes plásticas, podemos conhecer artistas como Mestre Vitalino, Noemisa, Dona Isabel, Nino, Nhô Caboclo, Manoel Galdino e Adalton Lopes, que recebem homenagem especial. A cerâmica também ganha visibilidade, contando com a presença de peças produzidas nas principais regiões do país: Alto do Moura, Caruaru, em Pernambuco; Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais e Juazeiro do Norte, no Ceará.

Banda de Músicos com Quepe Preto (Foto: Acervo Museu Caa do Pontal)

Banda de Músicos com Quepe Preto (Foto: Acervo Museu Caa do Pontal)

Ao final da visita, o público também pode entrar em contato com a história do Museu da Casa do Pontal a partir de uma linha do tempo elaborada para o espaço. “Queremos que o visitante tenha uma noção abrangente da vida brasileira. Pois a arte popular do país fala do que é comum a todos nós. Ela aciona memórias, valoriza os atos do dia-a-dia, os costumes, mas também fala de sonhos e de imaginação. Estimula conversas entre as gerações, atraindo crianças e adultos. E, finalmente, permite que o público – seja o carioca, seja o brasileiro de outras regiões, ou ainda os muitos estrangeiros que aqui se encontram e celebram – faça uma verdadeira viagem pelo Brasil…”, conclui Angela Mascelani.

 

Zé Caboclo - Time de Futebol (Foto: Museu Casa do Pontal)

Zé Caboclo – Time de Futebol (Foto: Museu Casa do Pontal)

Serviço
O Brasil Na Arte Popular – 40 Anos do museu Casa do Pontal
Museu Histórico Nacional
Praça Marechal Âncora, s/n, Centro, Rio de Janeiro
Até 30/10
De terça a sexta-feira, das 10h às 17h30; sábados, domingos e feriados, das 14h às 18h
Tel.: (21) 3299 0324

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.