Resgate de raiz

Quarta edição do projeto Mestres Navegantes recupera ritmos tradicionais da música popular brasileira

Felipe Stoffa

Publicado em: 02/06/2016

Categoria: Da Hora, Notícias Quentes

Marujas da Marujada de São Benedito, Bragança, Pará (Foto: Samuel Macedo/Divulgação)

Uma nova iniciativa de recuperação de aspectos pouco conhecidos do patrimônio imaterial brasileiro surge a partir de um ambicioso projeto que se desloca ao sertão em busca de ritmos musicais tradicionais, muitos sobreviventes do passado colonial. É a quarta edição do projeto Mestres Navegantes, coordenada pelo produtor musical Betão Aguiar.

O produtor musical Betão Aguiar e as Marujas na sede da Marujada de S. Benedito, Bragança, Pará (Foto: Samuel Macedo/Divulgação)

O produtor musical Betão Aguiar e as Marujas na sede da Marujada de S. Benedito, Bragança, Pará (Foto: Samuel Macedo/Divulgação)

O projeto escolheu as cidades de Bragança e Cametá, no Pará, para integrar o segundo volume da coletânea dedicada às manifestações musicais do Estado. O resultado são dois discos com cerca de 50 faixas que reúnem ritmos como a folia, ladainha, roda, retumbão, chorado, mazurca, contradança, xoté, pássaro junino, bambaê, samba de cacete e muito mais, até chegar nas marchinhas de carnaval, sobreviventes há mais de cem anos. Conhece alguma? Se não, é possível escutar a coletânea completa na internet.

Ao escutar a nova coletânea musical, não perca também o lançamento da edição 30 da seLecT, dedicada ao popular, logo nas bancas. Confira novas informações e matérias da revista e leia nosso editorial que entra no site a partir desta sexta-feira (3/6).

Conjunto Cinco de Ouro do Maú, Cametá, Pará (Foto: Samuel Macedo/Divulgação)

Conjunto Cinco de Ouro do Maú, Cametá, Pará (Foto: Samuel Macedo/Divulgação)

Tags: , ,

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.