Residências artísticas públicas no mundo

Levantamento de residências com financiamento público direto espelha preocupação de certos países com o incentivo à cultura

Da redação
NKD, em Dale i Sunnfjord, Noruega (Fotos: Reprodução)

Se são raros os governos que constroem sólidas políticas de preservação de acervos de instituições museológicas, quem dirá dedicar-se à valorização da atividade artística. Entre as iniciativas ao redor do mundo que promovem residências a artistas e curadores, são escassas aquelas que contam com financiamento público direto. Em contraste, existem muitas empresas privadas, espaços sem fins lucrativos e pessoas físicas – leia-se grandes colecionadores – que financiam esse tipo de projeto, especialmente através de leis de isenção fiscal e/ou pela possível promoção de suas marcas. A pesquisa a seguir evidencia que residências internacionais acontecem graças ao apoio direto de governos – sejam eles nacionais ou federais –, o que, por consequência, espelha quais países estão verdadeiramente preocupados em incentivar a produção cultural e o pensamento crítico. Entre elas, destaca-se atualmente apenas um programa brasileiro, recém-lançado, o que denota a instabilidade de nossas políticas públicas.

NKD (Desde 1998) – Dale i Sunnfjord, Noruega | nkdale.no

  • Residência de dois, três ou quatro meses para artistas, arquitetos e designers.
  • Financiada pelo Ministério da Cultura da Noruega.
  • Acontece em centro cultural de 670 m² com elaborada infraestrutura, localizada em um pequeno vilarejo.

A residência MAK em Los Angeles (Foto: Alan Ferguson)

MAK (Desde 1995) – Los Angeles, EUA | makcenter.org/residency-program

  • Residência de seis meses oferecida duas vezes ao ano para dois artistas e um arquiteto, mediante inscrição.
  • Fundada pelo Ministério Federal da Educação, Arte e Cultura da Áustria.
  • Cada residente vive em um apartamento denominado Mackey, do complexo residencial projetado pelo arquiteto vienense Rudolph Michael Schindler

Akademie Scholoss Solitude, em Suttgart, Alemanha

Akademie Schloss Solitude (Desde 1990) Stuttgart, Alemanha | akademie-solitude.de

  • 50 a 65 vagas, a cada dois anos, para artistas de até 40 anos.
  • Mantida pela província alemã de Baden-Württemberg.
  • Localizada em um castelo pós-barroco construído em 1764.

Studio Museum (Foto: Reprodução)

The Studio Museum Artist-in-Residence (Desde 1968) Nova York, EUA | studiomuseum.org/artist-in-residence

  • Residência de 11 meses oferecida anualmente a três artistas emergentes.
  • Promovida pelo reconhecido museu do bairro do Harlem, em Nova York.
  • Foco em descendentes de latino-americanos ou africanos.

Banff Centre, em Alberta, no Canadá (Foto: Creative Commons)

Banff Centre (Desde 1935) – Alberta, Canadá | banffcentre.ca

  • Financiado pelo governo de Alberta a partir de programas públicos desenvolvidos no Canadá.
  • Infraestrutura sofisticada com residências para diversas áreas, incluindo pesquisa em curadoria e crítica.
  • Bolsas-auxílio podem ser oferecidas de acordo com a necessidade.

Boston Center for the Arts, nos Estados Unidos

Boston Center for the Arts (Desde 1970) – Boston, EUA | bcaonline.org

  • Residências de 12 semanas no Boston Center for the Arts.
  • Instituição mantida com apoio do The National Endowment for the Arts, agência federal independente dos Estados Unidos.
  • Estúdios privados em um edifício que acomoda cerca de 50 artistas.

Künstlerhaus Schloss Balmoral em Bad Ems, Alemanha

Künstlerhaus Schloss Balmoral (Desde 1995) – Bad Ems, Alemanha | balmoral.de

  • Por ano, ocorrem duas residências de três meses e quatro de nove meses.
  • Apoiada pelo Ministério da Ciência, Educação e Cultura da Alemanha.
  • Acontece em um castelo de três andares de estilo neoclássico, construído em 1868.

Rijksacademie, em Amsterdã, Holanda

Rijksakademie (Desde 1980) Amsterdã, Holanda | rijksakademie.nl

  • Residência de um a dois anos, oferecida anualmente a cerca de 50 artistas.
  • Conta com financiamento do Ministério da Educação, Cultura e Ciências da Holanda, do fundo de Amsterdã para as artes (AFK) e da prefeitura da cidade.
  • Estúdio e apartamento a partir de parcerias com agências especializadas.

De Ateliers, em Amsterdã, Holanda (Foto: Rienk Toorman)

De Ateliers (Desde 1963) – Amsterdã, Holanda | de-ateliers.nl

  • Fundada por artistas, chamava-se antes Ateliers’63, e promove residências de dois anos.
  • Recebe contribuição do Ministério da Educação, Cultura e Ciência da Holanda.
  • Localizada no mais antigo edifício de escola de artes do país, projetado pelo arquiteto Bastiaan de Greef.

Escuela Flora, em Bogotá, Colômbia

Escuela FLORA (Desde 2016) – Bogotá, Colômbia | arteflora.org

  • Apoiada pelo Ministério da Cultura da Colômbia.
  • Programa de estudos independentes baseado na prática do ateliê que dura de cinco a dez meses.
  • Oferece ao participante um estúdio e, aproximadamente, US$ 500 por mês, para despesas de alojamento, alimentação etc.

Tapei Artist Village, em Tapié, Taiwan (Foto: Reprodução)

Taipei Artist Village (Desde 2001) – Taipé, Taiwan | artistvillage.org

  • Compreende duas iniciativas de residências artísticas desenvolvidas pelo Departamento de Assuntos Culturais de Taipé.
  • Oferece ateliês, por um a três meses, para cerca de 12 artistas.
  • Acontece em uma vila com edifícios históricos revitalizados.

Arcus, em Moriya, Japão (Foto: Reprodução)

ARCUS (Desde 1994) – Moriya, Japão | arcus-project.com

  • Fundada por iniciativa do governo da província de Ibaraki.
  • Espaços localizados dentro do centro de aprendizado Moriya Manabi-no-sato.
  • Combina o programa de residência artística com atividades direcionadas à comunidade local.

U-jazdowski, em Varsóvia, Polônia (Foto: Bartosz Gorka)

U-jazdowski Residencies (Desde 2002) – Varsóvia, Polônia | u-jazdowski.pl

  • Financiada pelo governo de Varsóvia e organizada pelo Ujazdowski Castle Center for Contemporary Art.
  • Localizada em uma antiga residência real, acomoda de cinco a dez participantes de cada vez por períodos de um a três meses.
  • Seleções feitas por convite ou recomendação de instituições parceiras.

Lunds_konsthall é uma das residências para os artistas selecionados pela IASPIS (Foto: Aiert Buruaga)

Iaspis (Desde 1996) – Suécia | iaspis.com

  • Programa internacional da agência governamental The Swedish Arts Grants Committee.
  • Compreende 12 residências espalhadas pela Suécia, nove das quais se localizam em Estocolmo.
  • Busca a internacionalização da arte sueca e o diálogo entre artistas nacionais e estrangeiros.

Um dos espaços onde acontece a Bolsa Funarte de Residências Artísticas

Bolsa Funarte de Residências Artísticas nas Estações Cidadania-Cultura 2019 – Brasil | funarte.gov.br

  • Lançada em junho de 2019 pela Fundação Nacional de Artes (Funarte), órgão do governo federal brasileiro.
  • Concede, por meio de processo seletivo, 18 bolsas de R$ 20 mil para brasileiros ou estrangeiros residentes no Brasil.
  • Participantes residem por três meses em Estações Cidadania-Cultura, que são equipamentos públicos localizados em áreas de vulnerabilidade social em diversas cidades brasileiras

Trabalho de Flavia Mielnik, Bermudez (2016) durante a a Residência Comunitaria (Foto: Divulgação)

Comunitaria (Desde 2016) – Lincoln, Argentina | residenciacomunitaria.com.ar

  • Voltada para processos sociais ou arte-política.
  • Acontece em 11 localidades da cidade de Lincoln, na província de Buenos Aires, e dura duas semanas.
  • Produzida com apoio da Secretaria de Cultura e Educação de Lincoln.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.