Rotas de Siron

Mostra individual do goiano Siron Franco na SP-Arte Rotas Brasileiras ilumina a versatilidade da obra e a universalidade de sua temática

Paula Alzugaray

Publicado em: 19/08/2022

Categoria: Da Hora, Destaque

Interior de Boate (2000), de Sinron Franco [Fotos: Almeida & Dale Galeria de Arte]

A exposição Siron Franco – Ontem, Hoje, Agora, no estande compartilhado entre a Almeida & Dale Galeria de Arte e a Paulo Darzé Galeria, na SP-Arte – Rotas Brasileiras, promove um acontecimento de particular interesse: o encontro de gerações. A primeira coisa que acontece quando um curador de 30 anos encontra um artista de 75, com mais de 50 anos de atividade artística profissional como Siron Franco, é dar-se conta da monumentalidade e responsabilidade da tarefa de produzir um recorte de sua obra.

A versatilidade de Siron Franco (1947, Goiás Velho, GO) foi o grande desafio enfrentado pelo curador Victor Gorgulho para a mostra que pretende apresentar um pontual, mas significativo, panorama da obra do artista nos últimos 20 anos. São cerca de 18 pinturas e esculturas realizadas entre 2000 e 2021 e seis pinturas da série inédita Humanos (2022). No texto da exposição, o curador demarca esse “ímpeto polivalente e interdisciplinar” do goiano, apontando para sua contundência tanto artística quanto ativista. 

  • Anjo Azul (2019)
  • Dia e Noite (2007)
  • O Que Vi na Internet (2003-13)

A “pedra fundamental” do ativismo crítico e político de Siron Franco foi o conjunto de obras relacionadas ao acidente radioativo de Césio 137, que ocorreu em setembro de 1987, no bairro onde o artista passou sua juventude, em Goiânia. Quando a história vazou, embora minimizada pelos órgãos responsáveis, foi imediatamente transformada numa série de pinturas e esculturas que problematizou e deu as devidas dimensões à catástrofe. Esse ativismo humanista e cidadão se fortaleceu ao longo das décadas, culminando na instalação Renascimento (2022), na Casa das Rosas, em São Paulo, em que o artista presta uma homenagem às vítimas da pandemia e aos profissionais da saúde.

Mas a curadoria de Siron Franco – Ontem, Hoje, Agora não envereda por essa trilha. Em uma bonita associação com uma história da infância do artista – o ensinamento que o pai deu ao filho para não se perder na volta para casa, levando-o a reconhecer as árvores do caminho –, Gorgulho conclui seu texto curatorial sobre a obra de Siron dizendo que “é preciso percorrê-la em seus meandros, investigá-la em seus pormenores, para então lançar-se ao desafio de buscar enxergá-la por inteiro”.

Tripas (2016), de Siron Franco

O elemento condutor dessa rota, aqui, é o corpo. “A figura humana tem uma incidência muito grande em todo o processo dele”, diz Gorgulho à seLecT. “São corpos ora totalmente abstratos, ora mais figurativos, ou que podem aparecer como fantasmagorias.”

Fricção natureza e cultura
Outro aspecto ressaltado é a forte materialidade da obra. A pintura de Siron Franco é um campo que não se contém nos limites da linguagem e frequentemente se comporta como espaço instalativo, onde debatem matérias orgânicas – couro, ossos, penas, terra, pigmentos naturais –, e matéria bruta – concreto, aço, chumbo, mármore, resina – além da matéria pictórica tradicional.

Embora as pinturas selecionadas para a exposição em São Paulo sejam predominantemente em óleo sobre tela – e é preciso dizer que, mesmo dentro dessa linguagem, trazem todo o poder da eloquência discursiva do material – destaca-se no espaço uma escultura (Sem título, 2021/2022) em granito, plástico, madeira, tinta spray e metal, que confere à exposição um caráter instalativo. “Essa pedra traz uma presença bruta, mineral, que remete à situação de enraizamento que o ateliê de Siron Franco tem na natureza do cerrado”, continua Gorgulho na conversa com a seLecT.

Série Seres Humanos, de Siron Franco

Essa presença mineral rebate e reforça ainda a temática rupestre da série Humanos, relacionada pelo curador a uma “semiótica antropológica”, com escrituras que se comportam como códigos de povos ancestrais do cerrado e do mundo.

Serviço:
Siron Franco – Ontem, Hoje, Agora
Estande D01 – Paulo Darzé Galeria e Almeida & Dale Galeria de Arte
SP-Arte – Rotas Brasileiras, ARCA, Av. Manuel Bandeira, 360, Vila Leopoldina, São Paulo
24-27/8, das 11h às 20h; 28/8, das 11h às 19h

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.