seLecTs

Agenda da Semana (2/8/18)

Vitória Savini
Performance Sofáraoke do Coletivo OPAVIVARÁ! no Rio de Janeiro (Foto: Reprodução)

RIO DE JANEIRO
Performance Sofáraoke
Opavivará, 4/8, às 15h, OM Art, Rua Jardim Botânico, 997 | om.art.br
O coletivo carioca Opavivará! realiza no próximo sábado dia 4/8 às 15h a performance Sofáraoke no OM Art. O ato tem como objeto central um sofá com caixas de som embutidas, ao redor do qual os artistas e público se envolvem criando uma relação democrática e coletiva para a cantar em um karaokê. A performance acontece em Rhodislandia, remontagem de instalação de Hélio Oiticica, localizada no subsolo do Studio OM.art. O coletivo, criado em 2005, é conhecido por suas inversões sobre o modo de ocupar o espaço urbano.

Obra da mostra Shaka Sign (2018), acrílica sobre Poliéster de Camila Oliveira Fairclough (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Batom, de Daniel Albuquerque
Shaka Sign, de Camila Oliveira Fairclough
Até 1/9, Galeria Cavalo, 51 | galeriacavalo.com

O artista Daniel Albuquerque trabalha com gestos íntimos e relações cromáticas em obras tridimensionais elaboradas com cigarros, chicletes mastigados, tricô, cerâmica e gesso. Rituais e hábitos cotidianos são evocados pelo artista, evidenciando sua atração por uma estética do prazer. Paralelamente, Shaka Sign é a primeira individual de Camila Oliveira no Brasil com influências geométricas neoconcretas de Hélio Oiticica, Lygia Clark e Willys de Castro. Em uma reflexão sobre estereótipos culturais de países tropicais, a artista desenvolve apropriações da saudação havaiana hang loose em pinturas de acrílica sobre poliéster.

Registro da obra multimídia A Menina e o Pote de Fernanda Bond e Valentina Homem (Foto: João Penoni)

RIO DE JANEIRO
A Menina e o Pote
Até 5/8, Oi Futuro Flamengo, Rua Dois de Dezembro, 63 | oifuturo.org.br
Ocupando a galeria II do Oi Futuro Flamengo, A Menina e o Pote é um projeto híbrido e imersivo de música, documentário, teatro, dança, performance e artes visuais, com criação e direção conjunta de Fernanda Bond e Valentina Homem. A obra é uma narrativa filosófica e lúdica sobre uma criança com seu grande pote que um dia se quebra e revela um imenso vazio. Na dramaturgia, o fio condutor é o processo de transformação da protagonista, e a visualidade é composta por imagens documentais e animações que representam floresta, fundo do mar, fundo do pote, o universo e o corpo da menina. Essa construção simbólica-figurativa reflete sobre o mundo que nos rodeia e sobre qual forma queremos dar a ele. 

Still do filme O Código de Salvador Dalí (2018) de David Fernández (Foto: Reprodução)

RIO DE JANEIRO
Arte No Cinema
Até 31/8, Instituto Casa Roberto Marinho, Rua Cosme Velho, 1105 | casarobertomarinho.org.br
A Casa Roberto Marinho promove o projeto Arte no Cinema em parceria com o canal de documentários da Globosat, Philos. A programação do mês de Agosto inclui curtas como A Casa, de Antonio Carlos de Fontoura (14 min) e a série Masterworks mergulha nas obras de grandes artistas como A Fortuna de Man Ray (9 min), Jovem Triste Em Um Trem de Marcel Duchamp (9 min) e Girafa em Chamas de Salvador Dalí (9 min). Aos finais de semana são exibidos os longa-metragens O Código de Salvador Dalí (sábados), de David Fernández e Orsay, Crônicas De Um Museu, de Bruno Ulmer (domingos).

Obra em nanquim de Paula Klien (2016-2018) (Foto: Mariama Prieto)

RIO DE JANEIRO
Extremos Líquidos
Paula Klien, até 2/9, Casa de Cultura Laura Alvim, Avenida Vieira Souto, 176 | casadeculturalauraalvim
Com exposições em Nova York, Buenos Aires, Londres e São Paulo, onde é representada pela Galeria Emmathomas, Paula Klien exibe 20 trabalhos no Rio de Janeiro. O nanquim é instrumento essencial para seu processo criativo que agora traz obras monocromáticas em grandes formatos. A partir de variações de cinza, a artista cria cenários e imagens poéticas com limites indeterminados provocando a sensação de flutuações e remetendo ao conceito de modernidade líquida de Zygmunt Bauman

Série Doubleface (2016-2018), intervenção com tinta a óleo e recorte em pintura a óleo antiga de Valeska Soares (Foto: Leandro Viana)

SÃO PAULO
Entrementes
Valeska Soares, de 4/8 a 22/10, Pina_Estação, Largo General Osório, 66 | pinacoteca.org.br
A mostra da Pinacoteca expõe trabalhos de Valeska Soares produzidos desde o final dos anos 1980 sobre a fusão de sujeito e corpo, memória e afeto, tempo e espaço. Escolhidas pela curadora Júlia Rebouças, as instalações, esculturas, objetos e colagens provenientes tanto do acervo da Pina, quanto de coleções particulares e da própria artista, ocupam o quarto andar e a entrada da Pina_Estação. O trabalho Detour (2012) é central na exposição, inspirado em As Cidades e O Desejo, conto de Ítalo Calvino sobre a busca coletiva por um objeto de desejo. Através da proximidade obra-público, Entrementes valoriza o espaço como lugar de percepção sensorial do público e sua coletividade.

Iceberg, escultura de Flavio Cerqueira (Foto: Rômulo Fialdini)

SÃO PAULO
Arte Pra Sentir
De 4/8 a 30/9, Caixa Cultural São Paulo, Praça da Sé, 111 | caixacultural.com.br
Carolina Ponte, Ernesto Neto, Floriano Romano, Flavio Cerqueira, OPAVIVARÁ! e Pedro Varela compõem a coletiva que reflete sobre a participação do público em mostras artísticas, bem como a relação artista-comunidade. Diante de renovações estéticas tanto em temática quanto em materiais e suportes, o público é capaz de experimentar novos modos de perceber, sendo assim estimulado a uma posição mais ativa e menos contemplativa. Arte Pra Sentir reflete a ampliação da diversidade de espectadores e a democratização dos espaços artísticos por meio de instrumentos de mediação como sinalização, audioguias, audiodescrição, informações em Braille e peças táteis. No dia da abertura (4/8) haverá visita guiada (11h) e palestra sobre arte sensorial (14h) ambas com a curadora Isabel Sanson Portella.

Registro de atividade de uma das edições do URBE em São Paulo (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
URBE, Mostra de Arte Pública
De 5/8 a 16/8, Instituto Tomie Ohtake, Rua Coropés, 88 | institutotomieohtake.org.br
Acerca do propósito de ativar diálogos artísticos em espaços públicos, a terceira edição da Mostra de Arte Pública URBE apresenta, na programação, três atividades que serão realizadas no Instituto Tomie Ohtake, um dos apoiadores do projeto do Instituto Urbe. Oficina com o coletivo carioca OPAVIVARÁ, oficina com Ricardo Palmieri (LiveNoiseTupi) e a conversa Paisagens Invisíveis, com o curador Reinaldo Botelho, a artista Estela Sokol, Fernando Túlio (LabCidade + IAB-SP) e Roni Hirsch (eRe Lab). Programação completa aqui.

Registro das artistas participantes da exposição IMANNAM Laura Lima, Anna Maria Maiolino e Ana Linnemann  (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
12° Ateliê Aberto
11/8, Pivô, Avenida Ipiranga, 200 | pivo.org.br
O décimo segundo ateliê aberto conta com lançamento do catálogo IMANNAM e conversa aberta com as artistas Ana Linnemann, Anna Maria Maiolino, Laura lima, a editora do projeto Camila Bechelany e a curadora da mostra Tânia Rivera. O evento está alinhado ao programa de residência artística da Pivô Pesquisa, que conta atualmente com as artistas-pesquisadoras Lyz Parayzo, asma (Hanya Beliá & Matias Armendaris), Carolina Caliento, Érica Ferrari, Gabriella Garcia e Giulia Puntel. O programa abre espaços de experimentação e interlocução a fim de incentivar a cena artística de São Paulo e aproximar o público de processos criativos emergentes.

Oneself (2017), tinta guache, lápis colorido e fita adesiva sobre impressão fotográfica de Alice Quaresma (Foto: Divulgação AdelanteSP)

SÃO PAULO
Horizonte
Alice Quaresma, de 4/8 a 30/9, Caixa Cultural São Paulo, Praça da Sé, 111 | caixacultural.com.br
Alice Quaresma utiliza 49 fotografias para explorar campos geométricos e cromáticos. A artista trabalha com ampliação fotográfica sobre as quais aplica fitas, adesivos ou realiza pinturas com guache e tinta a óleo. Assim Quaresma compõe planos inseparáveis da foto propriamente dita. Com influência da corrente neoconcreta brasileira, a artista encerra sua exposição com uma instalação site specific com 16 móbiles, complementando sua produção que propõe novas percepções sobre o belo.

Colagem por Deyson Gilbert e Leopoldo Ponce (Foto: Reprodução)

SÃO PAULO
1:1
Deyson Gilbert e Leopoldo Ponce, de 7/08 a 13/10, Galeria Jaqueline Martins, Rua Dr. Cesário Mota Júnior, 443 | galeriajaquelinemartins.com.br
Com abertura no dia 4/8, o trabalho de Deyson Gilbert e Leopoldo Ponce confronta o espaço da galeria Jaqueline Martins com o do Museu da Santa Casa de São Paulo. Artefatos e equipamentos cirúrgicos antigos são expostos no Museu juntamente com uma ilustração referente ao atentado ao presidente Prudente de Moraes, em 1897. No espaço da galeria esta imagem é recombinada com outros objetos e elementos non sense, produzindo simbologias não literais. Com curadoria de Bruno de Almeida, o conceito dos objetos cirúrgicos transcende seu uso cotidiano criando uma esfera comum entre homem-ciência-conhecimento.

Cent Mil Milliards De Poèmes (1961) de Raymond Queneau Milliards (Foto: ©Carlos Azevedo, Cortesia Fundação Calouste Gulbenkian)

SÃO PAULO
Tarefas Infinitas
De 8/8 a 27/10, Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, Rua Dr. Plínio Barreto | centrodepesquisaeformacao.sescsp.org.br
Exposição coletiva que coloca em diálogo o livro e a arte, incluindo trabalhos que tem a intenção de transvalorar as funções básicas da leitura. A mostra é também um laboratório de experiências estéticas e artísticas do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc. Entre os artistas expositores encontram-se Marilá Dardot e Fabio Morais com a obra Lá Em Casa (A Queda) (2010), série de tapetes que reproduzem capas de livros de autores como Rayuela, de Julio Cortazar.

Still do filme O Levante (2012-2014) de Jonathas de Andrade (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
1° Mostra De Filme De Artista
De 9/8 a 11/8, Espaço Cultural Porto Seguro, Alameda Barão de Piracicaba, 610 | espacoculturalportoseguro.com.br
Com curadoria de Beatriz Franco, mostra reúne filmes de artistas visuais contemporâneos que trabalham com paisagens urbanas e conexões interpessoais. Em três dias, o evento tem o intuito de criar redes de diálogos. Entre os filmes exibidos, Levante (8 min, 2012-2014), do artista Jonathas de Andrade, no dia 9/8 às 19h.

Combinação, colagem de Antonio Bokel (Foto: Divulgação)

MINAS GERAIS
Inquiet(ação)
Individual de Antonio Bokel, de 4/8 a 3/9, AM Galeria de Arte, Rua do Ouro, 136 | amgaleria.com.br
O artista carioca Antonio Bokel apresenta cerca de 40 trabalhos entre esculturas, pinturas e instalação dentro da temática morte e renascimento, fazendo referências à literatura. O artista tem a experiência das cidades como alicerce de sua criação poética, na qual jogos de palavras, fragmentos literários e peças urbanas transitam em livres associações. Partindo de uma livre apropriação instintiva, a figuratividade de Bokel é referenciada em aspectos da linguagem pop art de Andy Warhol, Jean Michel Basquiat e Keith Haring.

Intervenção urbana em Santa Teresa (1970) (Foto: Roberto Cuíca, Cortesia da Chave Mestra)

EDITAL
28ª Edição Do Arte De Portas Abertas 2018
Inscrições até 13/8, Evento em 1 e 2/9 | chavemestracontato.wixsite.com
A Chave Mestra, Associação De Artistas Visuais de Santa Teresa, realiza em 1 e 2 de setembro a 28ª edição do evento Arte de Portas Abertas, que tem como objetivo revitalizar o bairro carioca. O evento abrange os ateliês dos artistas da Chave Mestra, além das ruas, praças, ladeiras, escadas centenárias e espaços de cultura de Santa Teresa. Artistas que desejarem participar com propostas de intervenção urbana deverão se inscrever pelo email contato@chavemestra.com.br com nome artístico, denominação do trabalho a ser apresentado, síntese da proposta e local de sua realização. A temática é sobre Arte e Resistência.  Serão priorizados trabalhos que dialoguem com os diferentes territórios do bairro, em diferentes linguagens, incluindo rodas de conversa e palestras.

 

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.