seLecTs

Agenda da semana (21/6/18)

Vitória Savini

Publicado em: 21/06/2018

Categoria: Agenda, Destaque, Selects

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Detalhe de Fuck the Past (2018), pintura e colagem sobre tela de Pedro França (Foto: Cortesia do Artista)

SÃO PAULO
Transformers
De 23/6 a 4/8, Auroras, Avenida São Valério, 426 | auroras.art.br
A coletiva apresenta obras de Leda Catunda, Arthur Chaves, Pedro França e Robert Rauschenberg, artistas que exploram as possibilidades da imagem por meio da apropriação. A desordem da composição é fundamental para suas investigações sobre os limites do espaço, do gosto e de matérias e texturas. Simultaneamente, Anitta Boa Vida apresenta o trabalho Nossa Senhora Da Boa Vida na Sala de Projetos. Além disso, no dia da abertura, 23/6, Arto Lindsay faz performance musical às 18h e acontece o lançamento das camisetas-meme de Aleta Valente.

Recorte da capa da edição #39 da revista seLecT

SÃO PAULO
Lançamento #seLecT39 e debate sobre política cultural
23/6 às 16h, Vila Itororó Canteiro Aberto, Rua Pedroso, 238 | vilaitororo.org.br
No sábado 23/6 às 16h ocorre o lançamento da edição #39 da revista seLecT, cujo tema é política cultural. Na ocasião, Renato Janine Ribeiro, Renato de Cara e Benjamin Seroussi conversam sobre o tema da edição com mediação de Giselle Beiguelman. Logo após, Seroussi guia uma visita pela Vila Itororó Canteiro Aberto. Das 16h às 21h acontece também a Festa Junina Comunitária do espaço.

I Love You (2018), fotografia de Randolpho Lamonier

SÃO PAULO
ICEBERG, de Fernando Velázquez
É Tarde e Chove, Mas os Ratos Não Têm Medo Do Escuro, de Randolpho Lamonier
Até 28/7, Zipper Galeria, Rua Estados Unidos, 1494 | zippergaleria.com.br
Fernando Velázquez dá sequência à sua pesquisa sobre arte e tecnologia e apresenta instalação multimídia na Zipper Galeria. O artista trabalha alegoricamente a imagem do iceberg explorando a relatividade e incompletude do conhecimento sobre os fenômenos da vida. Em paralelo, parte do projeto Zip’Up, a primeira individual de Randolpho Lamonier traz reflexões existenciais sobre as geografias urbanas e espaços coletivos de Belo Horizonte.

Tintas Acrílicas na escadaria do Bixiga, materias de trabalho de Saulo Alencastre (Foto: Saulo Alencastre)

SÃO PAULO
Abrace Sua Sombra
Saulo Alencastre, 23/6 às 14h, Escadaria do Bixiga, Rua Treze de Maio, 750 | portaldobixiga.com.br/escadaria-do-bixiga
Em sua terceira intervenção urbana em São Paulo, Saulo Alencastre realiza uma sequência de ações com uma televisão de plasma. Primeiro, pinta a TV. Depois, a pendura no muro e joga sobre ela tinta acrílica industrial e gasolina. Por fim, ateia fogo no objeto e convida o público a arremessar martelos na composição, participando do processo artístico. Tendo a escadaria do Bixiga como cenário, o artista recompõe a paisagem cinza da cidade com vida, cor e expressão em uma concepção coletiva.

Notassons – Notações Musicais e Visuais Aleatórias (1970-1992), de Montez Magno (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
NOTASSONS, Montez Magno
MAIS UMA E VOCÊ ESTÁ CIAO CIAO BAMBINA, Janina McQuoid
Até 11/8, Galeria Pilar, Rua Barão de Tatuí, 389 | galeriapilar.com
Em decorrência do lançamento do livro Montez Magno – Poeta, Artista, Camaleão em 19/6, a exposição NOTASSONS resgata o título de uma série do artista realizada ao longo de 20 anos, em que Magno investiga a linguagem musical. No mesmo dia, às 19h, a artista Janina McQuoid abre exposição com mais de dez esculturas compostas de tecidos, espumas e madeira. Seus trabalhos exploram possibilidades entre estética e prática desses objetos artísticos.

F.M.S (2013), de Kboco (Foto: Fernando Martins)

SÃO PAULO
Sertão Expandido
Kboco, de 23/6 a 26/8, Museu Afro Brasil, Av. Pedro Álvares Cabral, Portão 10 | museuafrobrasil.org.br
Após morar em cidades como Porto Alegre, Olinda e São Paulo, Kboco reencontrou seu Estado de origem, Goiás, onde produziu novos trabalhos como desenhos, pinturas, assemblages e intervenções. O conjunto é apresentado no Museu Afro Brasil. Suas obras dialogam com o acervo da instituição. Para o diretor-curador, Emanoel Araujo, o artista é o barroco do grafismo.

Obra de Mestre Molina Bocaina (Foto: Eron Silva)

SANTO ANDRÉ
(RE)INVENTAR – ARTISTAS CRIADORES
De 23/6 a 25/11, Sesc Santo André, Rua Tamarutaca, 302 | sescsp.org.br/santoandre
Reunindo mais de 25 artistas do universo artesanal e da arte em cerâmica, como Manuel Josette Molina, Adalton Lopes e Geraldo Teles, a exposição de curadoria de Angela Mascelani propõe uma ampliação do olhar sobre a arte e cultura popular brasileira. A mostra trata de um conjunto de antigas tradições, imaginários coletivos, crenças e costumes. No período de exibição, a comedoria do Sesc oferece pratos típicos dos Estados representados pelos artistas.

Bumi (2014), aquarela sobre papel de Manuella Karmann (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Campos Gerais
Daniel Caballero, Manuella Karmann, Miguel Penna, até 25/8, Adelina Galeria , Rua Cardoso de Almeida, 1285 | adelinagaleria.com.br
A mostra tem como propósito difundir visões particulares sobre as paisagens dos biomas que mais sofrem degradação no Brasil. Daniel Caballero se interessa pelos cerrados paulistas e realiza desenhos de catalogação de espécies. Manuella Karmann trabalha com pinturas e desenhos inspirados pela serra da mantiqueira. Por fim, Miguel Penha, da chapada dos guimarães e de ascendência indígena, retrata a floresta amazônica e sua carga mítica, bem como o cerrado do centro-oeste.

Napague Bay (2016), de Bruno Dunley (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
No Meio, Bruno Dunley
Fragmentos do Real (Atalhos), Fabio Miguez
De 23/6 a 11/8, Galeria Nara Roesler, Avenida Europa, 655 | nararoesler.art
Bruno Dunley apresenta 24 obras que manifestam caráter de resistência perante o excesso imagético midiático contemporâneo. De acordo com o curador Tadeu Chiarelli, são obras-espelhos que não refletem o mundo, mas os símbolos de suas fortalezas. Simultaneamente, a individual de Fabio Miguez exibe 60 pequenas obras que para o curador Rodrigo Moura figuram temporalidades expandidas por meio de variações cromáticas e formais. No dia 4/8 acontece conversa aberta ao público com os artistas e críticos às 11h.

SÃO PAULO
Fotolivro de Cabeceira com Waltercio Caldas
23/6 às 11h, IMS Paulista, Avenida Paulista, 2424 | ims.com.br/unidade/sao-paulo
Na série de conversas Fotolivro De Cabeceira, artistas, curadores e críticos conversam com o público sobre seu fotolivro preferido. Nesta edição, o artista Waltercio Caldas fala sobre Photo-Eye (1929), organizado por Franz Roh e Jan Tschichold, e Jump book (1959), de Philippe Halsman. Senhas serão distribuídas 60 minutos antes da conversa e os lugares são limitados.

A Batalha do Passinho (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Aula de passinho e exibição de documentário na mostra Corpo a Corpo
24/6, IMS Rio, Rua Marquês de São Vicente, 476 | ims.com.br/unidade/rio-de-janeiro
A mostra CORPO A CORPO expõe a produção contemporânea brasileira de fotografia e audiovisual, promovendo eventos interativos. No domingo 24/6, às 15h30, acontece a exibição do documentário A Batalha Do Passinho, de Emilio Domingos, seguida de conversa com o diretor e dançarino Cebolinha. Ingressos devem ser retirados 30 minutos antes da exibição. Logo após, às 17h, ocorre uma aula de passinho com entrada gratuita.

Registro de Passagem (1979), performance de Celeida Tostes (Foto: Henri Stahl)

RIO DE JANEIRO
Artes Do Fogo, Celeida Tostes
Fonte 193 / 475 Volver, Cinthia Marcelle
Até 15/7, Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Rua Jardim Botânico, 414 | eavparquelage.rj.gov.br
Curador Ulisses Carrilho propõe diálogo entre as produções de Celeida Tostes e Cinthia Marcelle com duas exposições na EAV Parque Lage. A primeira tem fundo documental e parte da oficina Artes do Fogo, lecionada por Tostes durante os primeiros anos da escola. A segunda traz dois trabalhos de Cinthia Marcelle em que ela examina as noções de tempo acumulado e cíclico a partir da repetição de atividades sem finalidade predeterminada. Para o curador, as artistas dialogam entre si, mas tem procedimentos singulares de criação.

Copinho Vermelho (2017), óleo sobre tela de Claudio Tobinagua (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Luzes Indiscretas Entre Colinas Cônicas
De 21/6 a 8/8, Galeria Simone Cadinelli Arte Contemporânea, Rua Aníbal de Mendonça, 171 | simonecadinelli.com
Dia 20/6 às 19h inaugura a Galeria Simone Cadinelli Arte Contemporânea no quadrilátero dourado de Ipanema. A primeira mostra da galeria reúne artistas como Anna Kahn, Brígida Baltar e Roberta Carvalho, com trabalhos que investigam a luz e suas perspectivas perante o corpo e a paisagem. A curadoria é de Marcelo Campos.

Senzala (2011-2017), de José Resende (Foto: Marcelo Auge)

ITU
O Tridimensional na Coleção Marcos Amaro: Frente, Fundo, Em Cima, Embaixo, Lados. Volume, Forma e Cor
A partir de 23/6, Fábrica de Arte Marcos Amaro (FAMA), Rua Padre Bartolomeu Tadei, 9 | fmarte.org
Exposição permanente da Fundação Marcos Amaro, localizada na antiga indústria têxtil Fábrica São Pedro, reúne cerca de 50 trabalhos de artistas brasileiros. Entre pinturas, esculturas e instalações, as obras vão do barroco ao contemporâneo. O cerne da mostra é o aspecto tridimensional, tanto da materialidade das coisas, quanto dos limites de permanência da matéria.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.