seLecTs

Agenda da semana (24/5/18)

Da redação
Bandalha (2017), de André Socorro (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Kabuletê. Na Tonga da Mironga
André Parente, de 26/5 a 30/6, Galeria Jaqueline Martins, Rua Dr. Cesário Mota Júnior, 443 | galeriajaquelinemartins.com.br
André Parente apresenta primeira individual da Galeria Jaqueline Martins e exibe 19 obras realizadas desde os anos 1970. O título da exposição faz referência a uma música de Vinícius de Moraes e Toquinho. Entre os conceitos problematizados pela mostra estão a circularidade e a desaparição.

Beyoncé and Jay (2017), instalação de Pedro Saci (Foto: Reprodução)

SÃO PAULO
Que barra
De 26/5 a 30/6, Ateliê 397, Rua Gonzaga Duque, 148 | atelie397.com
A exposição coletiva é uma proposta curatorial de Carollina Lauriano, Flora Leite e Thais Rivitti que questiona como pautas de 1968 continuam presentes até hoje. Com obras de artistas como Carla Zaccagnini, João Loureiro e Paulo Nimer Pjota, a mostra investiga a relação entre arte e liberdade. A discussão é complementada por ciclo de debates, performances e apresentações.

Paradoxo do Santo (1994) de Regina Silveira (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Paradoxo(s) da Arte Contemporânea
Diálogos entre os acervos do MAC USP e do Paço das Artes, de 26/5 a 5/8, MAC USP, Av. Pedro Álvares Cabral, 1301 | mac.usp.br
Fruto de parceria entre o MAC USP e o Paço das Artesas, exposição reúne artistas que ajudaram a desenhar a história das duas instituições, com curadoria de Ana Magalhães e Priscila Arantes. A mostra tem como ponto de partida a obra Paradoxo do Santo (1994) de Regina Silveira e gira em torno de assuntos como museu, território, ativismo e violência.

Obra de Mira Schendel (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Sarrafos e Pretos e Brancos
Mira Schendel, até 23/6, Galeria Bergamin & Gomide, Rua Oscar Freire, 379, loja 1 | bergamingomide.com.br
Individual de Mira Schendel,  artista suíça radicada no Brasil, realizada em parceria com a Hauser & Wirth, traz 20 obras produzidas entre 1960 e 1980. A exposição inclui quatro trabalhos da série Sarrafos (1987), última série completa realizada antes de sua morte.

Map Tongue One (2018), de Simon EvansTM (Foto: Eduardo Ortega, Cortesia Fortes D’Aloia & Gabriel)

SÃO PAULO
Shopping Chão
Simon Evans™, de 26/5 a 28/7, Fortes D’Aloia & Gabriel Galpão, Rua James Holland, 71 | fdag.com.br
Individual da dupla formada pelo britânico Simon Evans e pela norte-americana Sarah Lannan. A exposição traz quinze trabalhos inéditos ao galpão da galeria Fortes D’Aloia & Gabriel.

Pizza (2016), de Jac Leirner, feito com embalagem de papel para cigarro (Foto: Ben Westoby, Cortesia Fortes D’Aloia & Gabriel)

SÃO PAULO
Adição
Jac Leirner, Fortes D’Aloia & Gabriel Galeria, Rua Fradique Coutinho, 1500 | fdag.com.br
Jac Leirner inaugura nova individual e exibe esculturas com embalagens de papéis de seda, sequências fotográficas sobre madeira e uma instalação com pontas de cigarro e maconha. Na abertura da exposição, em 26/5, das 11h às 14h, acontece o lançamento no Brasil da publicação Three White Nights, feito em parceria com a designer holandesa Irma Boom.

Sem Título (2014), de Vânia Mignone (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Mínimo, Múltiplo, Comum
Até 17/9, Pina Estação, Largo General Osório, 66 | pinacoteca.org.br
O curador José Augusto Ribeiro propõe discussão sobre as definições de arte moderna, popular e contemporânea em exposição coletiva com seis artistas de diferentes gerações. Intituladas Mínimo, Múltiplo, Comum, a mostra apresenta mais de 100 obras de Amadeo Lorenzato, Chen Kong Fang, Eleonore Koch, Marina Rheingantz, Patricia Leite e Vânia Mignone.

Fotografia de Serguei Maksimishin

SÃO PAULO
O Último Império
Serguei Maksimishin, de 30/5 a 29/7, CAIXA Cultural São Paulo, Praça da Sé, 111 | caixacultural.com.br
Inédita no Brasil, a exposição O Último Império abriga 65 fotografias de Serguei Maksimishin, com curadoria de Luiz Gustavo Carvalho. Em suas imagens, o fotojornalista russo mostra o cotidiano de seu país, passando por aspectos da vida pós-soviética até os dias atuais.

Imagem do filme A Chinesa, de Jean-Luc Godard (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Explosão 68
De 24/5 a 27/5, Centro Cultural São Paulo, Rua Vergueiro, 1000 | facebook.com/CentroCulturalSaoPaulo
Com exibições de filmes de Jean-Luc Godard, John Cassavetes e Rogério Sganzerla, a mostra de cinema Exposição 68 traz à tona debates e estéticas que surgiram em 1968. Em 24/5, às 20h, acontece conversa sobre Gordard com João Moreira Salles, Ivana Bentes e Cadão Volpato. E em 25/5, às 20h, a companhia de teatro As Moças faz leitura de cenas do espetáculo Abre a Janela e Deixa Entrar o Ar Puro e o Sol Da Manhã (1968), de Antonio Bivar.

Aguardente de cana Cascata (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Papéis Efêmeros
Memórias Gráficas do Cotidiano, até 26/8, Sesc Ipiranga, Rua Bom Pastor, 822 | sescsp.org.br
Exposição mostra 500 peças gráficas do Brasil, produzidas entre 1890 e 1990, do acervo do Museu do Ipiranga. Com curadoria de Chico Homem de Melo e Solange Ferraz de Lima, a exposição divide as peças entre os eixos Consumo, Educação e Cultura.

Sem Título (1976), pitura de Arcangelo Ianelli (Foto: Divulgação)

CURITIBA
Ianelli: obra voltada à percepção
Arcangelo Ianelli, até 30/6, Simões de Assis Galeria de Arte, Alameda D. Pedro II, 155 | simoesdeassis.com.br
Com curadoria de Daniela Bousso, individual de Ianelli apresenta esculturas, pinturas e pasteis, feitos entre 1970 e 2000. “A trajetória de Arcangelo Ianelli tem tudo a ver com as mudanças estéticas pelas quais a arte no brasil passou a partir do projeto modernista, seguido do advento dos museus, das bienais, e na sequência, das celeumas entre abstração informal e geométrica”, escreve Bousso em texto curatorial.

Materialização do voleio de Pelé em poliamida branca (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Chutes Inesquecíveis
Analívia Cordeiro, de 26/5 a 22/7, MAM Rio, Av. Infante Dom Henrique, 85 | mamrio.org.br
A individual de Analívia Cordeiro mostra desenhos e esculturas, com curadoria de Fernando Cocchiarale. No entanto, discutir sobre elas a partir de critérios específicos dessas linguagens não é suficiente. Apesar do que se vê, importa muito mais a maneira pela qual os objetos foram construídos. Bailarina, a artista desenvolveu com Nilton Lobo, em 1982, o software Nota-Anna, que codifica em escrita movimentos do corpo. Foi assim que Analívia Cordeiro criou as obras apresentadas na individual. Elas fazem referência a três chutes históricos – o yokogueri kekome, golpe realizado por Bruce Lee nos anos 1960 e dois chutes de Pelé de 1968, a bicicleta e o voleio.

Captura (2018), pintura de Eduardo Berliner, um dos artistas apresentados no estande da Casa Triângulo (Foto: Divulgação)

BUENOS AIRES
ArteBA
Feria de Arte Contemporáneo de Buenos Aires, até 27/5, La Rural, Avenida Sarmiento, 2704 | arteba.org
Com apoio do Projeto Latitude, desenvolvido pela Associação Brasileira de Arte Contemporânea (ABACT) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), sete galerias brasileiras participam da 27ª edição da feira de arte contemporânea de Buenos Aires. As participantes são Galeria Athena Contemporânea, Baró Galeria, Casa Triângulo, Galeria Luisa Strina, Galeria Nara Roesler, Sé Galeria e Galeria Vermelho.

Registro do primeiro Levante Queer na EAV Parque Lage (Foto: Renan Lima)

RIO DE JANEIRO
Levante Queremos Queer
26/5, das 10h às 22h, EAV Parque Lage, Rua Jardim Botânico, 414 | eavparquelage.rj.gov.br
Para comemorar a montagem da exposição Queermuseu na EAV Parque Lage, a escola realiza segunda edição do Levante Queremos Queer. A programação inclui debates, oficinas infantis, shows e apresentações de grupos ligados à cultura popular.

Livro de Carne (1978-1979) trabalho de Artur Barrio (Foto: Louis D. Haneuse)

MADRI
Experiencias y Situaciones
Artur Barrio
Até 27/8, Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofía, Calle Santa Isabel, 52 | museoreinasofia.es
Espanha recebe individual do artista luso-brasileiro Artur Barrio, no Museu Reina Sofía. A exposição ocupa duas salas do espaço com um itinerário histórico de sua trajetória e uma intervenção feita por Barrio antes da abertura.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.