seLecTs

Dicas da semana (26/10) selecionadas pela redação

Ana Beatriz Scudeler
Silkscreen da série Tropicália de Regina Vater, (Foto: Luiz Ferreira)

RIO DE JANEIRO
50 anos de Regina Vater
Oxalá que Dê Bom Tempo, Regina Vater, até 18/2/2018, MAC Niterói, Mirante da Boa Viagem | macniteroi.com.br
Em Oxalá que Dê Bom Tempo, Regina Vater recebe pequena retrospectiva e apresenta um recorte de 70 obras desenvolvidas durante sua trajetória de mais de 50 anos. Com curadoria de Pablo León de la Barra e Raphael Fonseca, a mostra exibe trabalhos nunca apresentados no Brasil e passeia pelas mais diversas linguagens e temáticas. Aproveitando o embalo, o livro X-Range, concebido por Vater e publicado em 1977, ganha reedição pela Ikrek Edições e é lançado durante o período expositivo por R$ 100.

A artista de Curitiba Mayla Goerisch exibe Farewell (2016) (Fotos: Divulgação)

SÃO PAULO
Arte e oportunidades
DIRECT MESSAGE, 28 e 29/10, Galeria Sancovsky, Praça Benedito Calixto, 103 | galeriasancovsky.com
DIRECT MESSAGE surge no cenário paulistano como modelo alternativo de feira de arte. Com o objetivo de estabelecer novos parâmetros na comercialização de obras artísticos, a feira dá autonomia ao artista e permite que ele apresente seu trabalho diretamente ao público. A primeira edição tem foco em arte contemporânea, mas a Galeria Sancovsky pretende realizar outras dedicadas também ao Design e à Fotografia.

Um dos palestrantes, Moacir dos Anjos (Foto: Diego Bresani)

RIO DE JANEIRO
Processos de criação
Semana Pensamento Criativo, até 29/10, CAIXA Cultural Rio de Janeiro, Av. Almirante Barroso, 25 | semanapensamentocriativo.com.br
CAIXA Cultural Rio de janeiro apresenta Semana Pensamento Criativo. Com quatro palestras voltadas principalmente para profissionais e estudantes de ciências humanas, o evento reúne nomes como Rivane Neuenschwander, Suely Rolnik, Moacir dos Anjos, Edson Luiz de Sousa, Peter Pal Pélbart, Bárbara Wagner e Rosângela Rennó, para discutir diferentes processos de criação. Além das conversas, acontece nos dias 28 e 29 uma oficina de autopublicação com o quadrinista Lucas Gehre e o designer Neno. O número de vagas é limitado, então é necessário se inscrever pelo site

Andreia de Bernardi, sócia fundadora da Akala (Foto: Victor Burgos)

BELO HORIZONTE
Feira mineira
Feira Livre de Arte Contemporânea, de 27/10 até 29/10, CentoeQuatro, Praça Rui Barbosa, 104 | centoequatro.org
Os curadores Ana Luiza Teixeira Neves, Jorge Cabrera Gómez e Sara Moreno Rocha selecionaram 65 artistas e coletivos para participarem da 1ª edição da Feira Livre de Arte Contemporânea. Realizada pela Akala, a feira mineira dá a oportunidade de conhecer e adquirir obras de diversas linguagens. No primeiro dia do evento, 27/10, serão leiloadas trabalhos inéditos dos artistas participantes. O dinheiro arrecadado será doado ao grupo Pérolas de Minas, que atua na prevenção e combate ao câncer de mama.

Pintura Sem título de Alfredo Volpi, realizada na década de 1950

SÃO PAULO
Transição da arte brasileira
Concretos/Neoconcretos Paulistas, de 27/10 a 17/11, Stúdio Nobrega, Rua Estados Unidos, 1162 | studionobrega.com
Com curadoria do artista abstrato-geométrico Macaparana, a mostra Concretos/Neoconcretos Paulistas apresenta 25 obras de artistas que lidaram com a tônica racional da abstração geométrica no meio do século 20. A exposição trabalha a introdução da arte concreta e neoconcreta no Brasil, trazendo a público catálogos e textos originais de 1950 e 1960 que contextualizam as obras exibidas. Entre os apresentados estão Willys de Castro, Waldemar Cordeiro, Antonio Maluf, Geraldo de Barros, Judith Lauand e Alfredo Volpi.

Concretina Parede, (2016)

RIO DE JANEIRO
Confinamento
Você Vê os Pássaros? Sempre Quis que Você Visse os Pássaros Daqui, Omar Salomão, até 18/11, Silvia Cintra + BOX 4, Rua das Acácias, 104 | silviacintra.com.br
Em sua primeira individual na galeria Silvia Cintra + BOX 4, o artista e poeta Omar Salomão apresenta uma série inédita de pinturas, esculturas, cadernos de desenhos e fotografias. A mostra sugere uma certa sequência quanto à apresentação dos trabalhos, terminando na série Quadro de Avisos, que consistem em cadernos trancados dentro de quadros de avisos com chave, podendo ser abertos ou não. A ideia de confinamento predomina em sua produção, a partir de jogos com materiais ou até mesmo com o público.

Break Out Red Kopie, de Isabelle Borges

SALVADOR
Abolindo as bordas
L´Espace Indicible – O Espaço Inefável, Isabelle Borges, até 20/11, Roberto Alban Galeria, Rua Senta Pua, 53 | robertoalbangaleria.com.br
A artista baiana Isabelle Borges apresenta L´espace Indicible – O Espaço Inefável, em sua terra natal, Salvador. Seus trabalhos dialogam com o espaço e pegam emprestado o conceito de “espaço inefável”, muito usado na teoria arquitetônica de Le Corbusier. Ainda mantendo sua marca geométrica e abstrata, Borges realiza desenhos que extrapolam as bordas do seu tradicional suporte e passam a abranger as paredes ao redor. “Como realizo muitos desenhos usando linhas, planos e recortes de papel, vejo a parede como uma extensão da pintura ou mesmo como um suporte em si”, revela a artista.

Páginas (1972), de Maria Leontina

SÃO PAULO
A vida em cem anos
Maria Leontina – Poética e Metafísica, de 27/10 a 30/11, Dan Galeria, Rua Estados Unidos, 1638 | dangaleria.com.br
A mostra Maria Leontina – Poética e Metafísica tem curadoria de Peter Cohn e Alexandre Franco da Costa. Ela marca o centenário do nascimento da artista, muito conhecida por lidar com o conceito de geometria sensível. São apresentadas 73 obras de diferentes fases da vida de Leontina, que tem como ponto de partida a investigação do espaço e do tempo como elementos básicos da vida.

Latin American Way of Life (1976), de Falves Silva

SÃO PAULO
Poesias visuais
50 Anos Poema/Processo: Uma Vanguarda Semiológica, até 16/12, Galeria Superfície, Rua Oscar Freire, 240, e Biblioteca Mário de Andrade, Rua da Consolação, 94 | galeriasuperficie.com.br
50 Anos Poema/Processo: Uma Vanguarda Semiológica rememora as primeiras manifestações e exposições do movimento vanguardista Poema/Processo, que desde 1967 se dedicou a ampliar a concepção de poema no Brasil. A mostra é resultado de dois anos de pesquisa e acontece simultaneamente na Galeria Superfície e na Biblioteca Mário de Andrade. Estão presentes artistas como Wlademir Dias Pino, Alvaro de Sá, Neide Sá, Décio Pignatari, Falves Silva, Moacy Cirne e Paulo Bruscky.

Oh! Bahia Minha Estrela, Minha Amada, de José Pancetti (1954)

SÃO PAULO
Nossa gente, nossa luz, nosso mar
Pancetti – Navegar É Preciso, José Pancetti, até 9/12, Galeria Almeida e Dale, Rua Caconde, 152 | almeidaedale.com.br
A exposição Pancetti – Navegar É Preciso tem curadoria de Denise Mattar e apresenta cerca de 60 pinturas do modernista, entre paisagens e naturezas-mortas, além de manuscritos e documentos. “Sem estar preocupado com uma brasilidade teórica, Pancetti retratou como ninguém a nossa gente, a nossa luz e o nosso mar”, afirma Mattar. A mostra acompanha catálogo que será lançado em 11 de novembro, durante o Art Weekend, e se insere na proposição da Galeria Almeida e Dale de destacar nomes da arte brasileira.

Frame de vídeo de Janaina Wagner

SÃO PAULO
Arte sonora por artistas brasileiros
Ensaio de Tração, 21/10 a 12/3/2018, Pinacoteca de São Paulo, Largo General Osório, 66 | pinacoteca.org.br
A mostra Ensaio de Tração consiste em uma coletiva que explora os limites da linguagem audiovisual por meio de vídeos de artistas brasileiros. Nomes como Cinthia Marcelle, Cao Guimarães e Tiago Mata Machado estão presentes na exposição. No desenrolar de cada vídeo, são utilizados diferentes recursos da linguagem, perceptíveis na edição, enquadramento, montagem e performance da câmera. Os trabalhos apresentados na exposição criam imagens potentes de resistência e resiliência em dimensão física, política e mental que colocam o espectador como cúmplice da situação registrada em cada obra.

Dia de Ano Novo (1835), xilogravura sobre papel de Eisen (Foto: Ronin Gallery)

SÃO PAULO
Histórias eróticas
Histórias da Sexualidade, 20/10 a 14/2/2018, Masp, Av. Paulista, 1578, | masp.art.br
A coletiva Histórias da Sexualidade se apresenta no Masp com mais de 200 obras, entre desenhos, pinturas, esculturas, filmes, vídeos e fotografias.  São artistas nacionais e internacionais como Louise Bourgeois, Ana Mendieta, Balthus, Mauricio Dias & Walter Riedweg, Jac Leirner e Leonilson. Com a curadoria peso-pesado de Adriano Pedrosa, Pablo León de la Barra, Lilia Schwarcz e Camila Bechlany, a mostra trata a sexualidade em diferentes períodos, territórios e suportes. São exibidos relatos verídicos e ficcionais sobre o assunto como meio de discussão da temática.

Documentação fotográfica da intervenção urbana Ensacamento (1979), do coletivo 3NÓS3

RIO DE JANEIRO
A política do passado
A Construção do Patrimônio, até 22/12, CAIXA Cultural Rio de Janeiro, Av. Almirante Barroso, 25 | caixacultural.com.br
A exposição A Construção do Patrimônio tem curadoria de Luiz Fernando de Almeida e apresenta cerca de 150 obras de artistas como Tarsila do Amaral,  Mário de Andrade, Lúcio Costa, Oscar Niemeyer, Pierre Verger, Mestre Vitalino, Marcel Gautherot, Germano Graeser, Eric Hess e uma réplica de aleijadinho. Distribuídos em 12 espaços, documentos raros, telas e esculturas montam um importante panorama da história das políticas públicas de preservação do Brasil. O público é recebido no dia 26 com uma visita guiada pelo curador seguida de um debate com Jurema Machado, ex- presidente do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

O cavalo, a Amazona e o Palhaço, de Henri Matisse

RIO DE JANEIRO
Desenhos com tesoura
Henri Matisse – Jazz, até 22/12, CAIXA Cultural Rio de Janeiro, Av. Almirante Barroso, 25 | caixacultural.com.br
Com 20 pranchas impressas pela técnica au pochoir, a mostra de Henri Matisse traz um conjunto de desenhos feitos com tesoura que compuseram em 1947 o livro de arte denominado Jazz. As imagens oscilam entre abstração e vivacidade, acompanhadas de um manuscrito que discute diversos assuntos ligados ao circo, contos populares e viagens. A curadoria da exposição é assinada por Ana Paola Baptista.

Silêncio Invertebrado, de Arturo Gamero

SÃO PAULO
Após a pós-graduação
Para Lá e Após, de 30/10 a 25/11, Eda – Espaço das Artes da ECA–USP, Rua da Praça do Relógio, 160 | eca.usp.br
Para Lá e Após trata-se da montagem de nove individuais simultâneas de Mariana Chama, Isis Gasparini, Cleber Alexsander, Diogo de Moraes, Arturo Gamero, Fabíola Salles Mariano, Priscila Guerra, Angélica Del Nery e o artista convidado Raul Mourão. A iniciativa é do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da ECA-USP/CAPES e apresenta trabalhos desenvolvidos com base em pesquisas de pós-graduação.

Espera, de Leandro Lima e Gisele Motta

SÃO PAULO
Ser Humano é ser poeta
Tempo Presente, de 1/11 a 17/12, Espaço Cultural Porto Seguro, Alameda Barão de Piracicaba, 610 | espacoculturalportoseguro.com.br
Os curadores de Tempo Presente, Amanda Dafoe e Rodrigo Villela, selecionaram cuidadosamente obras que convidam o público a participar da exposição tanto fisicamente quanto no plano reflexivo. A mostra tem o intuito de lidar com os sentidos, fundamentais na relação das pessoas com o mundo. Inspirada no poema Mãos Dadas de Carlos Drummond Andrade, a mostra traz sete artistas nacionais, entre eles Laura Vinci, Laura Belém e a dupla Leandro Lima e Gisela Motta.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.