seLecTs

Dicas da semana (29/9) selecionadas pela redação

Ana Beatriz Scudeler
Juliana Stein exibe individual Não Está Claro Até que a Noite Caia, no Museu Oscar Niemeyer, com curadoria de Agnaldo Farias (Foto: Divulgação)

CURITIBA
Cinco continentes
Bienal de Curitiba, 1/10 a 25/2/2018 | bienaldecuritiba.com.br
A Bienal de Curitiba’17, intitulada Antípodas – Diverso e Reverso, reúne importantes nomes da arte contemporânea que se distribuem por toda cidade durante cinco meses. O evento ocupa vários espaços culturais, entre museus, galerias de arte e espaços públicos, como o Museu Oscar Niemeyer, Largo da China, Museu Municipal de Arte e Memorial de Curitiba. Participam artistas de países dos cinco continentes. Este ano a Bienal homenageia a China e apresenta um espaço dedicado ao país.

Identidade visual da chamada aberta (Foto: Reprodução)

BRASIL
Chamada aberta
Residência Internacional de Produção de Arte Contemporânea, até 6/10 | cooperativadearte.org
Estão abertas as inscrições para a quinta edição da Residência Internacional de Produção de Arte Contemporânea, Imaginar Sin Imágenes (Imaginar Sem Imagens), organizada pelo Ateliê397 e pela Curatoría Forense – América Latina, ao lado da Uberbau_house. Destinada a artistas contemporâneos, a residência prevê a realização de um seminário, apresentação de portfólios, reuniões de trabalho, visitas a instituições e gestões autônomas em São Paulo e a organização de um Open Studio, com o suporte do curador Jorge Sepúlveda T., da artista Guillermina Bustos, da crítica e curadora Thais Rivitti, do produtor Maikon Rangel e da artista Flora Leite. Existem 10 vagas para o período de 8 a 24 de janeiro de 2018, por US$ 950,00.

Equations No 11 (1978), de Anna Bella Geiger (Foto: Cortesia Henrique Faria Fine Art)

MADRID
Mapeamento
Geografia Física y Humana, Anna Bella Geiger, até 7/1/18, La Casa Encendida, Ronda de Valencia, 2 | lacasaencendida.es
Com cerca de 100 trabalhos, entre vídeos, fotografias, livros e colagens, o centro cultural espanhol La Casa Encendida da Fundação Montemadrid apresenta retrospectiva de Anna Bella Geiger. A mostra tem curadoria de Estrella de Diego e divide a produção da artista brasileira entre os eixos geografia física e geografia humana, chamando atenção para o uso de mapas em sua produção. Para Diego, o ato de desenhar mapas está relacionado a esquemas de poder, ainda mais levando em consideração que essa era uma atividade delegada a homens.

A fotografia de Carlos Vergara, intitulada Poder, da série Carnaval (1972) (Foto: Cortesia do Artista)

PORTO ALEGRE
Cidade maravilhosa
Vivemos na Melhor Cidade da América do Sul, 30/9 a 17/12, Fundação Iberê Camargo, Av. Padre Cacique, 2000 |  iberecamargo.org.br
Com curadoria de Bernardo José de Souza e Victor Gorgulho, Vivemos na Melhor Cidade da América do Sul reúne obras de mais de 30 artistas que discutem as noções contraditórias de tropicalidade, identidade nacional, corpo e violência a partir da paisagem estética e política da cidade do Rio de Janeiro. Seminários, grupos de debates, sessões de cinema e diálogos estão previstos no programa.

Figura Voodoo (1988), de Mário Cravo Neto (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Representando culturas
Geníaco, Emanoel Araújo, Gilvan Samico e Mário Cravo Neto, 2/10 a 4/11, Galeria Base, Av. 9 de Julho, 5593/11 | galeriabase.com
Com curadoria de Paulo Azeco, a mostra Geníaco expõe obras em escultura, xilogravura e fotografia realizadas por Emanoel Araújo, Gilvan Samico e Mário Cravo Neto. Os trabalhos abordam a cultura nacional em relação à religiosidade portuguesa e africana. Mitos e lendas do nordeste são cultuados em obras de Samico que utilizam a linguagem do cordel e na série de fotografias The Eternal Now, de Cravo Neto, sobre o Candomblé.

Take Me Home (2017), de Marcelo Cipis

SÃO PAULO
Diferentes cenários
Arte Atual 2017 – Fábula, Frisson, Melancolia, até 29/10, Instituto Tomie Ohtake, Av. Faria Lima, 201 | institutotomieohtake.org.br
Arte Atual 2017, com curadoria de Paulo Miyada e Carolina De Angelis, traz obras de Marcelo Cipis, Pedro Wirz e Tiago Tebet. Os trabalhos se apresentam em cenários diferentes compostos por pinturas, peças e vídeos. Wirz por exemplo, reproduz em uma sala na penumbra, uma mata, com troncos, galhos e vegetações, onde o público ouve histórias e lendas folclóricas. Em contraposto, Tebet explora o cenário da cidade, com cerca de 15 obras. Já Cipis usa vídeos e telas para criar um ambiente midiático, habitado por promessas de felicidade e bem-estar.

Still do vídeo Faz Que Vai, da dupla Bárbara Wagner e Benjamin de Burca (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Misturas de arte e nacionalidades
Panoramas do Sul, 3/10 a 14/1/2018, Sesc Pompeia, Rua Célia, 93 | sescsp.org.br
O Sesc Pompeia apresenta o 20° Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil, que traz a exposição Panoramas do Sul. São mais de 70 obras de 50 artistas do sul global. Participam da mostra Roy Dib, Natasha Mendonca, Pedro Barateiro, Filipa César e Sana N’Hada, entre outros. A programação conta com conversas dos artistas, visitas guiadas e aulas abertas com curadores.

Mezzogiorno Locale Vero (2017) (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Boas Lembranças
As obras e os dias, Marco Maria Zanin, 3/10 a 21/10, Pivô, Av Ipiranga, 200 | pivo.org.br
A individual de Marco Maria Zanin apresenta uma seleção de obras sobre a arquitetura do Brasil e da Itália, baseadas nas lembranças do artista. Muitas das memórias estão ligadas a rituais e tradições milenares, vivenciadas por Zanin. A cidade de São Paulo também é usada na mostra para relatar uma fase de sua vida.

Jardim (2017) (Foto: Cortesia da Artista)

SÃO PAULO
Os limites do olhar
Um Passo a Mais e se Desfaz, Ana Calzavara, de 4/10 a 3/11, Galeria Virgílio, Rua Dr. Virgilio de Carvalho Pinto, 426 | galeriavirgilio.com.br
Pintura? Fotografia? Gravura? Todas essas linguagens são extrapoladas nos trabalhos que Ana Calzavara exibe em sua individual na Galeria Virgílio. Apesar da exposição ser composta por uma série de pinturas, a artista incorpora elementos da gravura e fotografia em seu campo pictórico. Sejam falhas fotográficas ou relações entre imagem positiva ou negativa, em uma mesma obra estão presentes diferentes camadas, que exploram os limites do olhar.

Trabalho de Martin Derner realizado em 2015 (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Brasil europeu
Enlace, de 4/10 a 18/11, Central Galeria, Rua Mourato Coelho, 751 | centralgaleria.com
Enlace reúne trabalhos de oito artistas, europeus e brasileiros, que traçam entre si linhas de associações espontâneas. São diferentes usos de um mesmo material, em abordagens distintas de um mesmo tema.

Vaso com esculturas de animais (Foto: Lucas Moura)

RIO DE JANEIRO
Importância arqueológica
Serra da Capivara – Homem e Terra, 4/10 a 3/1/2018, CRAB SEBRAE, Praça Tiradentes, 69 | crab.sebrae.com.br
Exposição com curadoria de Renato Imbroisi apresenta peças produzidas por 32 mestres ceramistas. A mostra revela a importância da conservação arqueológica, além de expor obras pré-históricas do acervo do Museu do Homem Americano. A mostra é composta por videoprojeções dos sítios arqueológicos, nos quais se encontram as peças. O público passeia por quatro salas repletas de paisagens naturais criadas com a ajuda de equipamentos tecnológicos e recursos cenográficos arquitetônicos que permitem conhecer as características da Serra da Capivara.

Detalhe da identidade visual (Foto: Reprodução)

SÃO PAULO
Moradores e as Cidades
Cidades | Percepção e Comunicação, 4/10, Instituto Moreira Salles, Av. Paulista, 2424 | ims.com.br
O seminário Cidades | Percepção e Comunicação reúne jornalistas que cobrem temas urbanos e especialistas em arquitetura para debates sobre a vivência nas cidades. O principal intuito é compreender como o espaço público é visto pela população brasileira e como a imprensa contribui para formação dessa imagem. São apresentados os desafios e problemas que os centros urbanos enfrentam, fazendo um paralelo com a história de seu surgimento e de seu desenvolvimento ao longo dos anos. Nomes como Fernando Serapião, Luciano Cury, Marcelo Lins, Mariana Barros e Raul Juste Lores participam do evento. Fora isso, também serão apresentados vídeos da série Cidade | Cidadão, que refletem sobre a mesma problemática. Inscreva-se!

Trama de Pedro França (2016) (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Outros meios de propagar arte
ARTE/FORMATTO Pontes, 3/10 a 8/10, Galeria Euroarte, Rua Colômbia, 157 |
ARTE/FORMATTO é um projeto idealizado por Liliana Pedrosa e Gisele Rossi que promove exposições itinerantes a fim de tornar arte mais acessível e visível ao público. Em sua terceira edição, que conta com assessoria do curador e crítico Rafael Maia Rosa, a mostra reúne cerca de 150 obras de 50 artistas. Os trabalhos são expostos pelo uso de plataformas digitais de diferentes naturezas. Ivan Padovani, Pedro França, Cristina Schleder, Maurízio Mancioli, João Magalhães e Bruno Miguel participam da mostra. No sábado 7, haverá um debate sobre o percurso e o reconhecimento do artista contemporâneo.

 

The Blind Leading The Blind (2017) (Foto: Divulgação, Cortesia Fortes D’Aloia & Gabriel)

SÃO PAULO
Pinceladas de suspense
Gerben Mulder, 30/9 a 18/11, Galpão Fortes D’Aloia & Gabriel, Rua James Holland, 71 | fdag.com.br
Com doze pinturas inéditas repletas de personagens excêntricos que evocam imagens épicas e narrativas oníricas, Gerben Mulder ocupa o galpão da galeria. Euforia e Melancolia são as obras que se destacam por apresentarem cores fortes e vibrantes sobrepostas entre fundos sombrios. Arquetípicos do subconsciente fazem partem do repertório do artista.

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.