seLecTs – agenda cultural da semana (27/6/2019)

Adriana Varejão, Maria Montero, Alex Cerveny, Nádia Taquary, Aryson Heráclito, Escola da Floresta, Flora Leite, #tbt, Djanira

Da redação
Proposta Para Uma Pesquisa Catquese PArte II (1993) obra de Adriana Varejão (Foto: Eduardo Ortega)

RECIFE
Por Uma Retórica Canibal
Individual de Adriana Varejão, de 28/6 a 8/9, Mamam, R. da Aurora, 265  | facebook.com/mamamrecife
Com 25 obras reunidas em uma curadoria de Luisa Duarte, essa é uma itinerância da exposição que esteve anteriormente em Salvador, descentralizando a circulação da obra de Adriana Varejão para além do eixo Rio-São Paulo. Esta é uma situação singular para se estabelecer relações entre os trabalhos com padrões retirados da azulejaria portuguesa, por exemplo, e igrejas do Recife, que a artista usou como referência para algumas de suas pinturas. 

8 x 8 movements (2018) obra de Maria Montero (Foto: Divulgação)

NOVA YORK
8 movements, a few Sundays, one song
Individual de Maria Montero, de 27/6 a 26/7, Simon Preston Gallery, 1 rivington st | simonprestongallery.com
Como parte do projeto Condo, no qual galerias de diferente países criam trocas e diálogos entre suas programações, a artista, curadora e galerista Maria Montero apresenta sua primeira exposição individual em Nova York. Montero reflete sobre as ambiguidades e passagens entre suas diferentes atuações no meio de arte, ao apresentar desenhos sobre papéis transparentes, decalcados de fotografias nas quais ela dança nua para a câmera, produzidos aos domingos – dia em que deixa sua atividade como galerista para se dedicar a sua produção. 

Tuiuti (s/d) obra de Alex Cerveny (foto: Reprodução)

SÃO PAULO
Palimpsesto
Individual de Alex Cerveny, de 29/6 a 21/10, Museu Lasaar Segall, Rua Berta 111 | mls.gov.br
Com curadoria de Giancarlo Hannud, a exposição é uma visão panorâmica da produção gráfica do artista Alex Cerveny, com gravuras em diferentes técnicas produzidas desde os anos 1980. São 44 obras e 16 matrizes, apresentando não apenas os resultados mas os meios e testes para a produção, composta de uma imaginário fantástico e híbrido, no qual narrativas religiosas, profanas e subjetivas se entrelaçam. 

Dinka Oxum (2018) obra de Nadia Taquary (Foto: Corteria Paulo Darzé Galeria)

SÃO PAULO
Nádia Taquary e Ayrson Heráclito
Exposição em dupla, de 29/6 a 3/8, Galeria Leme/AD, Av. Valdemar Ferreira, 130 | galerialemead.com
Em parceria com a Paulo Darzé Galeria, de Salvador, a Leme/AD apresenta uma exposição em dupla dos artistas Nádia Taquary e Ayrson Heráclito, na qual discutem religiosidades, disputas e narrativas relacionadas à experiência afro-brasileira. Para tanto, Taquary produz joalherias e balangandãs que envolvem sentidos estéticos, simbólicos e históricos, ao passo que Heráclito utiliza materiais presentes na vida social baiana, por exemplo dendê, para a construção de vídeos, instalações e fotografias que discutem a relação entre Bahia e África. 

Escola da Floresta, Biblioteca (Foto: Fábio Tremonte)

SÃO PAULO
Escola da Floresta
Inauguração, 6/7, das 11 às 21 hrs, Rua Fradique Coutinho, 1120 | anarcotropicalismo.com
A Escola da Floresta é um projeto nômade dedicado à criação de encontros e construções coletivas, idealizado pelo artista e educador Fábio Tremonte. Depois de três anos de existência e colaborações com diversas instituições e agentes do meio de arte, a escola ganha um espaço físico na Vila Madalena, seguindo seu funcionamento colaborativo por meio do qual processos e fins, experiências educativas, gastronômicas e de trocas ocorrem sem hierarquias. 

Still de Mortinha (2019) obra de Flora Leite (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Mortinha
Individual de Flora Leite, 27/6 a 3/8, arte_passagem, R. Sete de Abril, 127 | artepassagem.com.br
No projeto arte_passagem, artistas são convidados a intervir em uma vitrine em um pequeno centro comercial no centro da cidade. Para sua participação, Flora Leite apresenta a vitrine quase completamente vedada, convidando o espectador a olhar através de pequenos furos, como os de um olho mágico. Ao olhar através dessa vitrine, vemos a projeção de uma sereia dentro de um copo d’água colorido artificialmente.

Obra de Jandyra Waters (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Abstracionismo Orgânico
Individual de Jandyra Waters, de 27/6 a 30/7, Galeria MaPa, Rua Costa, 31 | galeriamapa.art.br
Aos 97 anos, a artista Jandyra Waters, conhecida por utilizar recursos da abstração geométrica em composições rigorosas e de cores sóbrias, reinventa sua própria produção ao apresentar pinturas que dialogam com as obras de artistas como Joan Miró e Jean Arp, entre outros expoentes da abstração orgânica das vanguardas do século XX.

O livro William Eggleston’s Guide (1981), de John Szarkowski (Foto: Reprodução)

SÃO PAULO
Fotolivro de Cabeceira
Conversa com Armando Prado, 29/6, às 11 hrs, IMS, Avenida Paulista, 2424 | ims.com.br
Para o programa Fotolivro de Cabeceira, no qual artistas, fotógrafos e pesquisadores são convidados a falar sobre fotolivros marcantes em sua experiência de formação, o Instituto Moreira Salles convida o fotógrafo Armando Prado para falar sobre o livro William Eggleston’s Guide (1981) de John Szarkowski. Entrada gratuita, com distribuição de senhas 1 hora antes do evento. 

Christopher Marrion (Foto: Embaixada e Consulados dos EUA no Brasil)

SÃO PAULO
Conservação e preservação no Brasil
Debate, 1/7, às 15 hrs, IEA/USP, Rua da Praça do Relógio, 109 | forumpermanente.org
Dando continuidade à série de debates acerca de temas, práticas e situação da arte na contemporaneidade, o Fórum Permanente promove um encontro com os pesquisadores Christopher Marrion e Renata Motta, no qual irão discutir métodos de preservação em patrimônios públicos. O encontro é gratuito, mas o espaço está sujeito a lotação.

Momento Nenhum (2019) Giselle Beiguelman

SÃO PAULO
A cidade e suas camadas – Fantasmas, mitos e representações de SP
Caminhada crítica, 29/6, das 10 às 13 hrs, Solar da Marquesa, R. Roberto Símonsen, 136 | monumentonenhum.art.br
O Museu da Cidade de São Paulo promove uma caminhada crítica pelo centro histórico com as artistas Giselle Beiguelman e Erica Ferrari e com os arquitetos Regina Helena e Jeff Keese, criando um circuito entre a Sé e a Luz. O projeto é parte do programa diálogos, que inclui as exposições Monumento Nenhum e Chacina da Luz, de Beiguelman. A caminhada passa pelo Solar da Marquesa de Santos, Beco do Pinto, Pátio do Colégio, Praça da Sé, Jardim da Luz e Praça Princesa Isabel. Não há necessidade de inscrição prévia.

Ronaldo Fraga (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Oficina para quem acha que não desenha, mas ama vinho
Oficina com Ronaldo Fraga, 28 e 29/6, Casa do Parque, Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 1300 |  acasadoparque.eventbrite.com
Com clima intimista, a oficina acontece a luz de velas com o objetivo de “liberar o desenho” de quem tem interesse nessa prática, mas não necessariamente a exercita. A oficina é parte do programa educativo da recém inaugurada Casa do Parque. Valores variáveis. 

Obra de Pedro Saci (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Bamba
Exposição coletiva, de 29/6 a 20/7, Breu, Rua Barra Funda, 444 | espacobreu.com
A coletiva reúne trabalhos que partem da pintura de forma expandida, utilizando procedimentos de sobreposição e uma linguagem urbana como pontos em comum, ainda que a mostra seja organizada por relações de afeto e amizade. Participam os artistas Adônis Pantazopoulos, Bruna Hirai, Felipe Filgueiras, Juliana Bernardino, Mariano Barone, Pedro Saci, Wagner Olino, entre outros. 

Salão de Festas (2019) Mauro Restiffe (Foto: Cortesia Multiplique Boutique e Fortes D’Aloia e Gabriel)

SÃO PAULO
Divergência Estética Cap.1
Exposição coletiva, 29/6 a 20/8, Centro da Terra, Rua Picurama, 19 | centrodaterra.org.br
O projeto reúne uma exposição, saraus, shows e performances em uma reação crítica à notícia de que o Salão Modernista de Gregori Warchavchik seria destruído para abrir espaço para uma arena no Clube Pinheiros. Entre os artistas participantes estão Juliana Freire, Mauro Restiffe, Rodrigo Garcia Dutra, entre outros, em uma curadoria de Gabriela Inui. 

Oficina no CCBB (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Lugar de Criação
Oficina, 29 e 30/6, CCBB, Rua Primeiro de Março, 66 | culturabancodobrasil.com.br
O programa educativo do Centro Cultural Banco do Brasil oferece uma oficina em que os participantes são convidados a construir coletivamente seus brinquedos a partir de técnicas simples e tradicionais. Esta atividade é parte da programação do mês de comemoração das festas juninas. 

Serradores (1959), pintura de Djanira (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Djanira: A Memória De Seu Povo
Individual, de 27/6 a 28/10, Casa Roberto Marinho, Rua Cosme Velho, 1105 | casarobertomarinho.org.br
A exposição monográfica da artista Djanira que esteve em exibição no Masp itinera para a Casa Roberto Marinho por meio de uma parceria institucional. Com curadoria de Rodrigo Moura e Isabella Rjeille, a mostra tem uma abordagem cronológica, enfatizando as relações entre a cultura popular e o modernismo que são perceptíveis nas pinturas da artista, cujos temas vão desde o cotidiano dos trabalhadores até questões étnicas até cenas de intimidade.  

Sem Título (1990) obra de Luiz Zerbini (Foto: Reprodução)

RIO DE JANEIRO
#tbt
Exposição coletiva, de 27/6 a 17/8, Carpintaria, Rua Jardim Botânico 971 | fdag.com.br
A exposição se vale da hashtag throwback thursday (em português, lembrança de quinta-feira), popularizada por ser usada para compartilhar lembranças no Instagram, para reunir obras de artistas como Barrão, Beatriz Milhazes, Iran do Espírito Santo, Jac Leirner, Leda Catunda, Luiz Zerbini, Mauro Restiffe, Valeska Soares e outros do time da galeria, produzidas entre os anos 1980 e 2000. No dia da abertura, será lançado no Rio de Janeiro o livro de Carlos Bevilacqua editado pela Cobogó. 

Tempo Zero (2009) obra de Lia do Rio (Foto: Divulgação)

BRASÍLIA
Tempo em Suspensão
Individual de Lia do Rio, de 2/7 a 4/8, Museu Nacional Honestino Guimarães, Lote 02, SCTS | cultura.df.gov.br/museu-nacional
A mostra reúne instalações, vídeos, livros e esculturas desenvolvidas desde os anos 1980, apresentando uma visão panorâmica e retrospectiva da obra de Lia do Rio, que trabalha com materiais naturais ou ligados ao corpo. Com curadoria de Bené Fonteles, o projeto discute a relação do sujeito com a natureza e o tempo.

Obra de Renzo Eusebi (Foto: Divulgação)

FLORIANÓPOLIS
Abstracionismo Geométrico Absoluto
Individual de Renzo Eusebi, de 27/6 a 19/7, Círculo Ítalo-Brasileiro, Rua dos Ilhéus, 340 | facebook.com/italobrasileiro.sc
A mostra é composta de obras inéditas do artista italiano, que trabalha entre a pintura e a escultura, basicamente com formas geométricas e cores primárias aplicadas com tinta esmalte, atualizando o debate sobre a produção de linhagem construtivista para a arte contemporânea. 

 

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.