seLecTs – agenda da semana (10/1/2019)

Rugendas, Leila Danziger, Salão dos Artistas Sem Galeria, Luisa Brandelli, Amélia Toledo, Atelier do Centro, Tulio Dek, Tiago Sant´Ana

Da redação
Vista do Rio de Janeiro a partir da Barra (1835), gravura de Rugendas (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Rugendas, um cronista viajante
De 12/1 a 31/3, Caixa Cultural São Paulo, Praça da Sé, 111 | caixacultural.com.br
Com curadoria de Angela Ancora da Luz, a exposição reúne obras do pintor, desenhista, aquarelista e litógrafo alemão Johan Rugendas (1802-1858). O artista foi um dos primeiros responsáveis pela divulgação de imagens do Brasil no exterior. A exposição traz paisagens de diferentes Estados brasileiros, cenas da vita cotidiana e estudos da fauna e flora local. Entre os trabalhos exibidos está um recorte do álbum Viagem Pitoresca Através do Brasil.

6.028 toneladas de registro (2018), de Leila Danziger

SÃO PAULO
Navio de Emigrantes
Individual de Leila Danziger, de 15/1 a 31/3, Caixa Cultural São Paulo, Praça da Sé, 111 | caixacultural.com.br
Leila Danziger exibe duas séries na mostra Navio de Emigrantes, que tem curadoria de Raphael Fonseca e homenageia Lasar Segall. Em seu processo criativo, a artista parte de suas memórias familiares para construir narrativas coletivas e reconfigurações geopolíticas. “Ao se apropriar, deslocar e ressignificar imagens e textos oriundos de arquivos de história, da história da arte e da mídia em geral, a exposição contribui decisivamente para a elaboração de novas narrativas históricas, baseadas em horizontes locais, mas pensadas a partir da nova configuração geopolítica internacional”, afirma Fonseca.

Detalhe de Hydrate Naturally (2019), de Luisa Brandelli

SÃO PAULO
10º Salão dos Artistas Sem Galeria
Caraíva, individual de Luisa Brandelli
De 15/1 a 16/2, Zipper Galeria, Rua Estados Unidos, 1494 | zippergaleria.com.br
O espaço recebe obras dos artistas selecionados para a 10ª edição do Salão dos Artistas Sem Galeria, promovido pelo Mapa das Artes. Os 10 participantes foram escolhidos pelos jurados Andrés Inocente Martín Hernández, José Armando Pereira da Silva e Luciana Nemes. Entre eles está Adriana Amaral, André Souza e o Coletivo Lâmina. Ao mesmo tempo, a Zipper também apresenta individual de Luisa Brandelli como parte do programa Zip`Up, que desde 2011 recebe exposições de artistas emergentes sem representação em São Paulo.

Obras da série Impulso, de Amélia Toledo (Foto: Reprodução)

SÃO PAULO
Amélia Toledo: Lembrei que Esqueci
Até 4/2, Edifício Banco do Brasil, Av. Paulista, 1230 
No fim de 2017, o CCBB SP inaugurou uma grande retrospectiva de Amélia Toledo, que faleceu poucas semanas após a abertura da mostra. Agora, o centro cultural exibe parte das obras que compunham a exposição no edifício do Banco do Brasil. A montagem traz seis trabalhos, entre os quais estão Dragões Cantores, esculturas da série Impulso e Poço de Cristal.

Arma II – Bazuca, 2018 (Foto: Estúdio Extraordinário)

SÃO PAULO
Méthodo, do Atelier do Centro
De 15/1 a 9/2, Emmathomas Galeria, Alameda Franca, 1054 | culturabancodobrasil.com.br
O Atelier do Centro, grupo com mais de 30 artistas comandado por Rubens Espírito Santo, inaugura a mostra Méthodo, que tem curadoria de Ricardo Resende. O coletivo trabalha com diferentes suportes. “A prática do Atelier do Centro exalta a relevância de projetos embasados na experimentação. Eles reutilizam, reconfiguram, desorganizam e, por fim, ressignificam os materiais do desenho, da escultura, da pintura e fotografia”, afirma Resende.

Pintura que compõe a instalação Memorial Por Tulio Dek (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Memorial por Tulio Dek
Instalação, de 12/1 a 5/5, Memorial Municipal Getúlio Vargas, Praça Luís Camões s/nº, subsolo | facebook.com/memorialmunicipalgetuliovargas
Tulio Del monta uma grande instalação no subsolo do Memorial Municipal Getúlio Vargas, com curadoria de Luis Erlanger. “O Memorial virou um cenário ideal, logo após as eleições que dividiram o país de forma assustadoramente radical, para aprofundar dilemas sobre os quais, mesmo que inconscientemente, o Brasil se debruçou, de forma beligerante”, afirma o curador. A instalação do artista reúne pinturas, suspensas pelo teto, feitas sobre tecido que imita a estampa do pijama usado por Vargas no dia em que cometeu suicídio.

Trabalho da série Sapatos de Açúcar, de Tiago Sant’Ana (Foto: Maiara Cerqueira)

RIO DE JANEIRO
A Performance Negra nas Artes Visuais do Brasil, workshop, 14 e 15/1
Pão de Açúcar, performance, 16/1
Simone Cadinelli Arte Contemporânea, Rua Aníbal de Mendonça, 171 | simonecadinelli.com
A individual Baixa dos Sapateiros, de Tiago Sant´Ana, está em exibição até 13 de fevereiro. Como programação paralela, o artista realiza dois eventos. Nos dias 14 e 15 de janeiro,  das 15h às 18h, Sant´Ana ministra um workshop sobre a performance e seus intercâmbios com as poéticas negras. O curso é gratuito e recebe inscrições pelo telefone (3496-6821). Já em 16/1, às 19h30, o artista realiza a performance Pão de Açúcar, em que aproxima a cultura da cana-de-açúcar baiana com a paisagem carioca.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.