seLecTs – agenda da semana (21/03/2019)

Marcelo Masagão, Diego Castro, A Casa do Parque, Andrey Zignnatto, Paulo Bruscky, Francisco Amêndola, Jenn Nkiru, Farnese de Andrade, Chico Tabibuia, Verger e Carybé

Publicado em: 21/03/2019

Categoria: Agenda, Destaque, Selects

Varal de panorâmicas (2019), de Marcelo Masagão

SÃO PAULO
Maquinaria, de Marcelo Masagão, até 18/8/2019
Enfoque, de Diego Castro, até 23/6/2019
Individuais, Centro Universitário Maria Antonia, Rua Maria Antonia, 258 | prceu.usp.br/centro/maria-antonia
O Centro Universitário Maria Antonia inaugura no dia 21/3 duas exposições individuais. Maquinaria, de Marcelo Masagão, tem curadoria de Giselle Beiguelman e traz imagens que avançam para além do espaço expositivo e também tomam o espaço da Praça Sem Nome do centro cultural. “O que está em jogo na exposição são formas de ver o mundo e de estar na cidade. Não é possível visitá-la apenas com os olhos. É preciso que se mobilize o corpo na sua integralidade”, diz Beiguelman. Já Enfoque, de Diego Castro, aborda os caminhos da informação na mídia, por meio de interferências sobre matérias encontradas em arquivos de impressos e digitais de comunicação.

 

Sem Título #9 (2010), de Henry Krokatsis (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Tensão Relações Cordiais
Inauguração de espaço e exposição coletiva, 23/3/2019, A Casa do Parque, Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 1300 | facebook.com/acasadoparquesp
Em frente ao Parque Villa-Lobos passa a existir em 23/3 a nova casa paulistana de cultura, idealizada pela colecionadora Regina Pinho de Almeida. O espaço deve receber cursos, exposições, palestras e projetos especiais relacionados a cultura. Chamado A Casa do Parque, o local inaugura com exposição coletiva com curadoria de Tadeu Chiarelli, que traz recorte da coleção de Almeida com obras de 42 artistas. No sábado e domingo, 23 e 24, também acontecem ciclos de debate, a partir de 18h, sobre colecionismo de arte contemporânea, com entrada gratuita.

Tapete de Orações #2 (2019), de Andrey Zignnatto (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Reforma: Canteiro de Obras
Individual de Andrey Zignnatto, até 27/4/2019, Janaina Torres Galeria, Rua Joaquim Antunes, 177 | janainatorres.com.br
Seleção de dez recentes trabalhos de Andrey Zignnatto produzidos no Brasil, Peru e Emirados Árabes. A mostra apresenta obras da série Reforma, iniciada em 2016, e quatro trabalhos site specific. Sua produção está bastante relacionada à sua relação com seu avô, que trabalhava como pedreiro em Jundiaí, São Paulo. “No ato de me apropriar ou interferir em objetos e sistemas usados para construção deste mundo artificial, subverto as condições originais e busco caminhos de questionamento das tradições e da relação entre homem e mundo”, aponta Zignnatto.

O Mundo foi Dedetizado contra Arte (2018), de Paulo Bruscky (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Di Paulos
Retrospectiva de um artista múltiplo, arquivista de um Banco de ideias e que não pede permissão, individual de Paulo Bruscky, de 23/3/2019 a 18/5/2019, Carbono Galeria, Rua Joaquim Antunes, 59 | carbonogaleria.com.br
Como diz o próprio subtítulo da exposição, Di Paulos é uma retrospectiva de um artista múltiplo, arquivista de um Banco de ideias e que não pede permissão, chamado Paulo Bruscky. Com curadoria de Galciani Neves, a individual reúne trabalhos em diversos suportes produzidos nos últimos 50 anos e inaugura na semana em que o artista completa 70 anos. “Nessa exposição, o público poderá ver os muitos Paulos que existem em mim”, afirma Bruscky.

Trabalho de Francisco Amêndola (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Francisco Amêndola
Individual, de 23/3 a 30/4, Galeria MaPa, Rua Costa, 31 | fundodearte.com
Após reforma em seu espaço expositivo, Galeria MaPa reabre com individual do pintor e fotógrafo Francisco Amêndola (1924-2007), curada por Marly Porto. “Amêndola via-se como um livre pensador em permanente observação da sociedade. Sua arte manifesta-se através do uso constante de técnicas expressivas e da rica elaboração de pigmentos e cores que emergem em harmonia”, escreve a curadora.

SÃO PAULO
Infinito Vão: Brasil
Ciclo de conversas, 22 e 23/3, IMS Paulista, Av. Paulista, 2424 | https://ims.com.br/
Durante dois dias, arquitetos, fotógrafos e gestores culturais reúnem-se no IMS para conversar sobre a história da arquitetura brasileira, sua relação com outras linguagens artísticas e sua influência na vida cotidiana e cultural. O ciclo de conversas tem curadoria de Fernando Serapião, Guilherme Wisnik e Nuno Sampaio e foi organizado pela Casa da Arquitectura e pela Flip. Na ocasião, será lançado o livro Infinito Vão, que traz mais de 100 projetos arquitetônicos concebidos entre 1928 e 2018. Ingressos são gratuitos e distribuídos uma hora antes de cada conversa. Há um limite de 1 senha por pessoa. Acesse a programação completa aqui.

Still do curta Rebirth Is Necessary de Jenny Nkiru (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Jenn Nkiru no Masp
Palestra, 23/3, 11h, Masp, Av. Paulista, 1578 | masp.org.br
Masp recebe a cineasta anglo-nigeriana Jenn Nkiru no sábado, 23/3, para palestra. O bate-papo acontece das 11h às 13h, com entrada gratuita. A distribuição de senhas acontece uma hora antes do evento. Nkiru conversa sobre a produção negra no cinema, sua relação com literatura e música, além de falar a respeito do filme Rebirth Is Necessary (2017), que está em exibição na sala de vídeo do Masp.

Sem Título (1981), de Farnese de Andrade (Foto: Sergio Guerini)

SÃO PAULO
Memórias Imaginadas
Individual de Farnese de Andrade, de 23/3 a 25/5. Galeria Almeida e Dale, Rua Caconde, 152 | almeidaedale.com.br
Com curadoria de Denise Mattar, a individual traz 70 obras do mineiro Farnese de Andrade (1926-1996). A mostra inclui pinturas, desenhos e gravuras, além de suas experimentações tridimensionais. “Farnese usa oratórios, caixas e gamelas como continentes de uma turbulência mental mórbida, cujo grito sai abafado. São trabalhos potentes, mas claustrofóbicos, que remexem sem dó nas entranhas do inconsciente, e por isso fascinam, encantam, assustam e incomodam”, afirma Mattar.

Escultura Sem Título (s.d.) de Chico Tabibuia (Foto: João Liberato)

SÃO PAULO
Chico Tabibuia
Individual, até 18/5, Galeria Estação, Rua Ferreira de Araújo, 625 | galeriaestacao.com.br
Exposição individual de Francisco Moraes da Silva (1936-2007), conhecido como Chico Tabibuia, com curadoria de Thais Rivitti. “É necessário recusar categorias estanques e incluir o que já foi visto como ‘arte popular’ nas exposições de museus de arte contemporânea. Mas, para isso, é preciso repensar como as obras de Tabibuia operam (e como podem estar) dentro de museus e galerias”, afirma a curadora. No dia 29 de abril, às 19h, Rivitti conversa com o artista Jaime Lauriano sobre a obra de Tabibuia, com entrada franca.

Entre Acte (1950-1951), monotipia de Geraldo de Barros (Foto: Reprodução)

SÃO PAULO
Atelier 17 e a gravura moderna nas Américas
Exposição coletiva, de 23/3 até abril, MAC USP, Av. Pedro Álvares Cabral, 1301 | mac.usp.br
A partir de uma parceria entre o MAC USP e a Terra Foundation for American Art, a mostra reúne 53 gravuras, com curadoria de Carolina Rossetti de Toledo, Ana Magalhães e Peter John Brownlee. A exposição é complementada por uma conferência internacional em 11 e 12 de abril, sobre gravura no Brasil e nos Estados Unidos entre 1900 e 1950,  e por um curso com Christina Weyl sobre o Atelier 17, entre 15 a 18 de abril.

Foto de Pierre Verger em Benin (Foto: Fundação Pierre Verger)

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO
Verger e Carybé: entre as duas margens do Atlântico
De 23/3/2019, SESI São José do Rio Preto, Av. Duque de Caxias, 4656 | riopreto.sesisp.org.br
O foyer do teatro do Sesi de São José do Rio Preto se transforma em espaço expositivo para receber mostra que coloca em diálogo as obras do francês Pierre Verger com as do argentino Carybé, que se radicou no Brasil. Com curadoria de Luiz Gustavo Carvalho, a exposição traz o olhar dos dois artistas sobre cenas da vida cotidiana da África Iorubá e da Bahia.

Três itens da série o espelho Dragãozinho, de Sergio Rodrigues (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
O espelho Dragãozinho, de Sergio Rodrigues
Marcelo Solá, individual
Até 13/4, Luciana Caravello Arte Contemporânea, Rua Barão de Jaguaripe, 387 | lucianacaravello.com.br
Exibição de série de 30 espelhos do designer Sergio Rodrigues (1927-2014), criados originalmente nos anos 1960 para a Oca, com curadoria de Afonso Luz. A série é apresentada a partir de instalação lúdica. Simultaneamente, a galeria também inaugura individual do artista goiano Marcelo Solá. A mostra traz cerca de 20 trabalhos inéditos que tratam sobre a história do desenho desde a pintura rupestre até o grafite.

Vista da exposição Ficção e Fabricação (Foto: Divulgação)

LISBOA
Fiction and Fabrication
Photography of Architecture after the Digital Turn, coletiva, até 19/8/2019, MAAT, Av. Brasília, Central Tejo | maat.pt
Exposição coletiva internacional reúne 50 artistas que criam e manipulam imagens de objetos e espaços arquitetônicos a partir da era digital. A mostra tem curadoria de Pedro Gadanho e Sérgio Fazenda Rodrigues e traz obras de artistas como Carlos Garaicoa, Lucia Koch, Inês Lombardi, Wolfgang Tillmans e Jeff Wall. Por ocasião da coletiva, acontece em 31 de março, a partir de 9h30, a 5ª Conferência Internacional On The Surface – Photography of Architecure. Saiba mais sobre o evento aqui.

Still do filme Estás Vendo Coisas, de Barbara Wagner e Benjamin de Burca (Fotos: Divulgação)

AMSTERDAM
You Are Seeing Things
Individual de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, até 16/6, Stedelijk Museum, Museumplein, 10 | stedelijk.nl
A dupla de artistas Bárbara Wagner e Benjamin de Burca exibe em Amsterdam os três vídeos Faz Que Vai (2015), Estás Vendo Coisas (2016) e Terremoto Santo (2017), em mostra individual curada por Martijn van Nieuwenhuyzen. “O trabalho de Wagner e De Burca tem uma nova e inédita percepção de urgência diante do atual clima político no Brasil”, afirma o holandês, que está afrente da curadoria do museu Stedelijk desde 1995.

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.