seLecTs – agenda da semana (24/10/2019)

León Ferrari, Adrià Julià, Coletivo Garapa, Ding Musa, Vik Muniz, Kimi Nii, Marina Weffort, Miguel Bakun, Natasha de Albuquerque, Deborah Engel

Da redação
Copy Money Copy (2017) de Adrià Julià (Foto: Adrià Julià)

SÃO PAULO
León Ferrari: Nós Não Sabíamos, individual
Adrià Julià: Nem Mesmo Os Mortos Sobreviverão, individual
Gravura e Crítica Social: 1925-1956, exposição coletiva, de 26/10 a 16/2/2020, Pinacoteca, Praça da Luz 2 | pinacoteca.org.br
A Pinacoteca de São Paulo abre no sábado, 26, três novas exposições simultâneas com assuntos relacionados. Cerca de 50 obras do artista argentino León Ferrari pertencentes ao acervo do museu estarão em exibição, com ênfase em suas críticas políticas e sociais realizadas por meio de intervenções em veículos de mídia, como jornais e revistas. Já a exposição coletiva Gravura e Crítica Social: 1925-1956 apresenta 67 obras. Da mostra fazem parte artistas como Lívio Abramo, Lasar Segall e Oswaldo Goeldi, já conhecidos por suas descrições das mazelas sociedade brasileira, e também uma abordagem mais rara sobre a produção de Renina Katz, que tinha uma produção voltada às discussões sociais, antes de suas pesquisas com abstração. Por fim, o museu apresenta a primeira individual do espanhol Adrià Julià no Brasil, na qual o artista distorce mecanismos de produções de imagens e as narrativas contadas por elas a fim de revelar dimensões ocultas das histórias hegemônicas. 

Imagem de arquivo apresentada na exposição Sob Ataque, do Coletivo Garapa (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Sob Ataque
Individual do Coletivo Garapa, de 26/10 a 15/3/2020, Casa da Imagem, Rua Roberto Simonsen, 136 | prefeitura.sp.gov.br/casadaimagem
O Coletivo Garapa – que atua tanto no campo da produção audiovisual, como no das artes plásticas – apresenta exposição individual na Casa da Imagem, em São Paulo. A mostra reúne imagens históricas, material de arquivo e registros recentes da região do Campos Elísios, para estabelecer um paralelo entre os bombardeios contra a população civil durante a Revolução Paulista de 1924 e as diversas formas de violência que ainda acontecem no bairro atualmente.

Unidade de Construção (2019) fotografia de Ding Musa

SÃO PAULO
Parêntesis, individual de Ding Musa, de 26/10 a 20/12
Vertigem, individual de Deborah Engel, de 26/10 a 30/11, Galeria Raquel Arnaud, Rua Fidalga, 125 | raquelarnaud.com.br
A relação entre a construção do espaço e suas implicações sociais, econômicas e políticas, são o ponto de partida do artista Ding Musa para a produção das fotografias, vídeos, esculturas e instalações que exibe na individual Parêntesis, na Galeria Raquel Arnaud. O espaço também inaugura, em pareceria com a galeria carioca Portas Vilaseca, a exposição de Deborah Engel, que apresenta relevos fotográficos que também discutem a construção do espaço e os limites entre objetos e suas representações.

Sem Título (Marzinho) (2019) de Marina Weffort (Foto: Ana Pigosso)

SÃO PAULO
Miguel Bakun: Uma Grandeza Precária, individual
Tecido, individual de Marina Weffort, de 26/10 a 14/12, Sim Galeria, Rua Sarandi, 113 A | simgaleria.com
A Sim Galeria apresenta individual do artista paranaense Miguel Bakun, com cerca 40 pinturas de forte apelo tátil, que representam paisagens e marinhas. A mostra conta com textos de apresentação do crítico Ronaldo Brito e do artista Paulo Pasta. A artista Marina Weffort também abre mostra na galeria e apresenta tecidos desfiados, que formam delicados desenhos entre o geométrico e o orgânico, e aquarelas, que possuem a mesma materialidade diáfana em uma paleta de tons pastéis e rebaixados.  

Detalhe de Nuvens (2019) de Kimi Nii (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Montanha Das Nuvens Brancas 白雲山 Hakuunzan, individual de Kimi Nii
A Concha, a Espada, o Corte e o Amor, individual de Katia Salvany, de 26/10 a 23/11, Galeria Kogan Amaro,  Alameda Franca, 1054 | galeriakoganamaro.com
A Galeria Kogan Amaro exibe individuais de Kimi Nii e Katia Salvany. A artista japonesa Kimi Nii trabalha com cerâmica para construir peças de extrema concisão formal, que evocam elementos orgânicos como nuvens, vegetais e estruturas geológicas. O uso de diferentes técnicas de modelagem e queima na produção das obras também remete à experiência nipo-brasileira, presente na formação da artista. Já Katia Salvany apresenta uma série de gravuras, pinturas e performances, nas quais associa o fluxo das águas ao corpo, ao tempo e à memória.

Leque, A Partir De Waldemar Cordeiro (2019) de Vik Muniz (Foto: Erika Mayumi / Cortesia do artista e da Galeria Nara Roesler)

SÃO PAULO
Superfícies
Individual de Vik Muniz, de 24/10 a 30/1/2020, Galeria Nara Roesler, Av. Europa 655 | nararoesler.art
O artista Vik Muniz dá seguimento à sua produção de imagens que embaralham ilusionismo, representação e matéria, por meio de fotografias sobre as quais são acoplados objetos e outras imagens. Para a individual Superfícies, para além das conhecidas reproduções de imagens da história da arte em materiais inusitados, como poeira ou açúcar, o artista exibe trabalhos em que reproduz formas geométricas ou orgânicas, borrando os limites entre a representação e abstração. 

Detalhe da coluna Umas de Lenora de Barros no Jornal do Brasil (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Performance de Lenora de Barros
Em 24/10 às 20 hrs, Galeria Jaqueline Martins, Rua Cesário Mota, 443 | galeriajaquelinemartins.com.br
Lenora de Barros faz performance nesta quinta-feira, 24/10, como parte da exposição coletiva Comigo Ninguém Pode, que busca desconstruir clichês sobre a produção artística de mulheres de diferentes linguagens. A ação apresentada por Lenora trata-se de uma performance vocal em diálogo com as foto-performances produzidas na coluna Umas no Jornal do Brasil, com a qual contribuiu no início dos anos 1990.  

Em Curso (2019) de Márcia Beltrão (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Em Curso
Individual de Márcia Beltrão, até 1/12, MIS, Av. Europa, 158 | mis-sp.org.br
Como parte do programa Nova Fotografia 2019 do Museu de Arte e do Som, com curadoria de Ronaldo Entler, a instituição apresenta uma série de imagens de Márcia Beltrão, produzida pela observação das relações entre o trem, o Rio Pinheiros e sua paisagem, entre 2015 e 2018. O projeto propõe relações entre as imagens em movimento do cinema e a passagem do trem, registrando a paisagem que milhares de pessoas veem todos os dias durante seu percurso entre casa e trabalho. 

Maraca (2019) de Gabriela Noujaim (Foto: Fernando Souza)

RIO DE JANEIRO
Conversa com Gabriela Noujaim
Em 26/10 às 14 hrs, Galeria Simone Cadinelli Arte Contemporânea, Rua Aníbal de Mendonça, 173 | simonecadinelli.com
A Galeria Simone Cadinelli apresenta no sábado, 26/10, às 14h, uma conversa entre a artista Gabriela Noujaim, a líder indígena Potira Guajajara-Krikati e a museóloga Mariane Vieira no contexto da exposição coletiva Maraca. O objetivo é discutir desequilíbrios ecológicos e a exploração humana de recursos naturais. 

Diota de Natasha Albuquerque (Foto: Divulgação)

BRASÍLIA
Poética Do Absurdo
Individual de Natasha de Albuquerque, de 31/10 a 30/11, A Pilastra, QE 40, Conjunto D, Lote 38 | facebook.com/apilastra
Na individual Poética do Absurdo, fotografias, vídeos, performances e obras interativas são apresentadas em um recorte dos mais de dez anos de produção da artista Natasha de Albuquerque. Em sua prática artística, Albuquerque costuma utilizar procedimentos de justaposição, deslocamento e ironia para debochar de lugares comuns da política, da sociedade e da arte, com muito bom humor. 

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.