seLecTs – agenda da semana (28/11/2018)

Pedro Moraleida, Imagens Impressas, Débora Bolsoni, Carmela Gross, Lais Myrrha, Tiago Sant’Ana, Almandrade, Vanderlei Lopes, Caio Reisewitz

Da Redação
Somos Uma Criança Assim (Série Corpo Sem Órgãos, sub-série Corpo Sem Órgãos 01), de Pedro Moraleida, (Foto: Cortesia Instituto Pedro Moraleida Bernardes)

SÃO PAULO
Canção Do Sangue Fervente
Individual de Pedro Moraleida, de 4/12/2018 a 10/3/2019, Instituto Tomie Ohtake, Av. Faria Lima, 201 | institutotomieohtake.org.br
Primeira retrospectiva de Pedro Moraleida fora de sua cidade Belo Horizonte, Minas Gerais. A exposição reúne aproximadamente 200 trabalhos e tem curadoria de Paulo Miyada. “Pedro Moraleida rebelou-se contra o conformismo de sua geração e contra os atalhos ‘inteligentes’ que lhe pareciam estar em pauta no ensino da arte contemporânea. Decidiu que a arte precisava ser sempre um grito, um gozo, uma pústula, uma canção do sangue fervente. Alimentar-se de nossos desejos e traumas inconfessáveis, ao invés de polir a superfície cromada dos ambientes sofisticados”, afirma o curador.

David et Bethsabée (1949), de Pablo Picasso (Foto: Succesion AUTVIS Br 2018)

SÃO PAULO
Imagens Impressas
Um Percurso Histórico pelas Gravuras da Coleção Itaú Cultural, até 17/2/2019, Itaú Cultural, Av. Paulista, 149 | itaucultural.org.br
Instituto destina dois andares de seu prédio para exibir recorte de gravuras da coleção Itaú Cultural. Com curadoria de Marcos Moraes, a exposição percorre seis séculos da linguagem gráfica a partir de uma centena de trabalhos que revelam diferentes técnicas, temas e destinações das gravuras. “A imagem impressa acompanha a humanidade desde os seus primórdios e podemos remontar essa trajetória às primeiras mãos marcadas, por meio de pigmentos, nas paredes de grutas e cavernas”, aponta Moraes. Entre os destaques da mostra está a litogravura David et Bethsabée (1949), de Pablo Picasso, e a xilogravura The Girls On The Bridge (1918), de Edvard Munch. Ambas foram recém adquiridas para a coleção.

O Gato Velho e a Rata Novinha (As Mais Belas Fábulas), 2018, de Débora Bolsoni (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
O Inferno de Boazinha
Individual de Débora Bolsoni, até 2/2/2019, Galeria Superfície, Rua Oscar Freire, 240 | galeriasuperficie.com.br
Com esculturas e instalações feitas a partir da experimentação com diversos materiais, a individual de Débora Bolsoni trata sobre a presença da sexualidade e do consumo no ambiente doméstico. O espaço expositivo abriga releituras de desenhos infantis feitos pelo ilustrador Mário Pinto na década de 1960 e objetos domésticos.

Still do filme Louis Quem? O que Você Precisa Saber Sobre Louis Agassiz, de Sasha Huber (Foto: Cortesia da Artista)

SÃO PAULO
Intercâmbios culturais em contextos assimétricos
Encontro Conversas em São Paulo, de 29/11/2018 a 1º/12/2018, Itaú Cultural, Av. Paulista, 149 | coincidencia.net
Palestras, projeções, obras de arte, oficinas e refeições coletivas comissionadas a artistas fazem parte da programação da segunda fase do programa COINCIDÊNCIA – Intercâmbios Culturais Suíça – América do Sul. Após apoiar mais de 120 projetos de seis países, o projeto apresenta no Itaú Cultural, entre 29 de novembro e 1 de dezembro, um evento aberto ao público que busca refletir sobre as especificidades de programas de intercâmbio cultural em contextos assimétricos. Entre os convidados estão Boris Nikitin, Clarissa Diniz, Tony Evanko, Peter Pfrunder, Santiago Turenne e Rebeca Guinea.

Produção da obra Estudo Sobre um Futuro Construído, de Lais Myrrha (Foto: Ricardo Kugelmas)

SÃO PAULO
Real People Are Dangerous, de Carmela Gross
Estudo Para Um Futuro Construído, de Lais Myrrha
Pandã, de Flávia Vieira
De 1º/12/2018 a 26/1/2019, Auroras, Av. São Valério, 426 | auroras.art.br
O espaço Auroras inaugura no sábado 28/11 exposições de três artistas. Carmela Gross exibe a instalação em neon Real People/Are Dangerous (2008-2018) enquanto Lais Myrrha mostra Estudo De Um Futuro Construído, em que examina a arquitetura modernista brasileira a partir de uma tese dialética sobre a potência construtiva do projeto modernista e sua insustentabilidade. Ademais, a artista portuguesa Flávia Vieira inaugura a instalação Pandã, segundo projeto selecionado via edital aberto do Auroras.

Trabalho da série Sapatos de Açúcar, de Tiago Sant’Ana (Foto: Maiara Cerqueira)

RIO DE JANEIRO
Baixa dos Sapateiros
Individual de Tiago Sant’Ana, até 13/2/2019, Simone Cadinelli Arte Contemporânea, Rua Aníbal de Mendonça, 171 | simonecadinelli.com
O artista baiano Tiago Sant’Ana inaugura no mês da Consciência Negra a individual Baixa dos Sapateiros, que tem curadoria de Clarissa Diniz. Em seus trabalhos, de diferentes linguagens, o artista reconstrói criticamente a história colonial brasileira. Uma das relações simbólicas comuns de sua produção é a representação de calçados como símbolo de libertação pós-abolição no Brasil. Como escravizados andavam descalços, usar sapatos declarava o estado de liberdade das pessoas. O título Baixa dos Sapateiros remete a região de Salvador procurada por pessoas negras para a confecção de sapatos após a abolição. Um dos trabalhos presentes na individual é a série Sapatos de Açúcar, que também problematiza o sistema de exploração da cana-de-açúcar e a chegada de engenhos na região do Recôncavo baiano.

Sem Título (1986-2016), de Almandrade (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Investigações Visuais, de Almandrade
Planos Maciços, de Zanini de Zanine
De 1º/12/2018 a 21/12/2018, Luciana Caravello Arte Contemporânea, Rua Barão de Jaguaripe, 387 | lucianacaravello.com.br
Almandrade exibe síntese de sua trajetória de mais de 45 anos na individual Investigações Visuais. A mostra reúne 2o trabalhos, feitos desde 1970 até hoje, entre pinturas, objetos, gravuras, desenhos e poemas visuais, corrente artística pela qual é mais conhecido. Simultaneamente, o designer Zanini de Zanine exibe 13 obras inéditas feiras com madeira de demolição de espécies brasileiras.

Deus Está Solto (2018), de Vanderlei Lopes

RIO DE JANEIRO
Arena
Individual de Vanderlei Lopes, até 26/1/2019, Galeria Athena, Rua Estácio Coimbra, 50 | galeriaathena.com
A exposição Arena traz cerca de 30 trabalhos inéditos feitos em bronze de Vanderlei Lopes à Galeria Athena. “Factualidade e ficção, pensamento e ação, colidem nesse constante processo. Aqui, perpetuados em bronze, situações cotidianas e transitórias surgem como esculturas, monumentos que desejam discutir tais fenômenos”, afirma o artista. As obras são feitas a partir de moldes de objetos e, à primeira vista, não parecem feitas de metal.

Biblioteca (2018), fotografia de Caio Reisewitz realizada em visita à biblioteca pública de Medellin

MEDELLÍN
Biblioteca
Individual de Caio Reisewitz, de 4/12/2018 a 17/2/2019, Museo de Antioquia, Cl. 52 #43 | museodeantioquia.co
O artista paulistano Caio Reisewitz exibe individual em Medellín, Colômbia, com curadoria do espanhol Alejandro Castellote. Chamada Biblioteca, a exposição traz ao público uma grande instalação acompanhada de 19 fotografias sobre as quais Reisewitz fez interferências usando colagens. O trabalho metaforicamente aborda questões geopolítico do Brasil e da Colômbia.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.