seLecTs agenda da semana (28/11/2019)

Fernanda Gomes, Anna Bella Geiger, Guto Lacaz, Marcia Pastore, Instituto José Resende, O Ovo e a Galinha, Antes do Cio dos Gatos, Miami Basel

Da redação
Ateliê de Fernanda Gomes (2015, Foto: Pat Kilgore)

SÃO PAULO
Fernanda Gomes
Individual, de 30/11 a 24/2/2020, Pinacoteca, Praça da Luz, 2 | pinacoteca.org.br
Fernanda Gomes recolhe e produz objetos de extrema simplicidade formal e potencial filosófico. Sua exposição na Pinacoteca, com curadoria de José Augusto Ribeiro, é uma retrospectiva, já que há obras feitas desde os anos 1970. No entanto, o caráter cronológico e classificatório implícito nesse tipo de exposição é questionado na medida em que não há legendas com datas, ou pelo fato de a artista sempre incorporar trabalhos de diferentes períodos em suas exposições. Múltiplas experiências estéticas e reflexivas são o resultado de uma montagem que durou três semanas e ocupa sete salas da instituição, agora cobertas por uma paleta de cores neutras e arranjos provisórios. 

Serigrafias de Guto Lacaz (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Allegro
Individual de Guto Lacaz, até 29/3/2020, Chácara Lane, Rua da Consolação, 1.024 | museudacidade/chacara-lane
Allegro é o nome dado ao movimento musical no qual há um ligeiro andamento, em torno de 120 e 130 batidas por minuto. Uma metáfora precisa para a mostra panorâmica dos mais de 40 anos de produção do artista paulistano Guto Lacaz, que tem curadoria de Douglas de Freitas. Uma série de traquitanas inéditas é utilizada para criar movimento em objetos banais, como guarda-chuvas ou CDs, diversas delas sendo executadas pela primeira vez. 

Brasil Nativo, Brasil Alienígena (1976-1977) de Anna Bella Geiger (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Anna Bella Geiger: Brasil Nativo/Brasil Alienígena
Individual, de 28/11 a 1/3/2020, Masp, Av. Paulista, 1.578, e Sesc Avenida Paulista, Av. Paulista, 119 | masp.org.br
Com curadoria de Tomás Toledo e Adriano Pedrosa, a mostra traz 180 trabalhos de Anna Bella Geiger divididos entre o MASP e o Sesc Paulista. Questões como o passado colonial brasileiro, a representação de povos indígenas, experiências viscerais e a cartografia estão entre os grandes assuntos tratados pela artista. Enquanto no museu serão expostas obras de menores dimensões, três grandes e relevantes instalações estarão no Sesc, como Mesa, Frio e Vídeos Macios (1981), que foi apresentada apenas uma vez, na 16ª Bienal de São Paulo. O Masp inaugura também uma mostra com três vídeos da francesa Laure Prouvost, na Sala de Vídeo, com curadoria de María Inés Rodríguez.

Imagem de divulgação da Exposição Le Salon des Refusès da Casa da Luz

SÃO PAULO
Le Salon des Refusès da Luz
Exposição coletiva, de 7/12 a 6/2/2020, Casa da Luz, Rua Mauá, 512 | facebook.com/casadaluzsp
Como referência à iniciativa de artistas que no século 19 criaram seu próprio salão, em recusa aos padrões e critérios acadêmicos, a Casa da Luz  apresenta uma exposição coletiva na qual os únicos limites são as dimensões da obra, que não podem exceder 50x50cm. Entre os confirmados estão Anna Costa e Silva, Ana Mazzei, Bruno Mendonça, Carla Chaim, Dan Coopey, José Damasceno, Lourival Cuquinha, Ricardo Castro, entre outros. 

Bananeira Sobre O Azul (2019) de Rodrigo Sombra (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Coletiva Ano Um
Exposição coletiva, de 30/11 a 31/1/2020, Galeria São Paulo Flutuante, Rua Estados Unidos, 2186 | facebook.com/spflutuante
A exposição celebra o primeiro ano da Galeria São Paulo Flutuante, que voltou à atividade sob a direção de Regina Boni, com trabalhos de Fernando Barata, Manu Maltez, Rafael Vogt Maia Rosa, Rodrigo Sombra, Sérgio Mamberti e Ucho Carvalho, que fizeram parte da programação do espaço desde sua reabertura. A exposição reúne 30 obras entre pinturas, obras sobre papel e fotografias. 

Caricatura de Cássio Loredano (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Instituto José Resende
Inauguração, de 30/11 a 13/2/2020, Rua Dr Esdras Pacheco Ferreira, 37 | ijr.art.br
O Instituto José Resende é destinado não apenas a preservar e difundir a obra do escultor paulista, como também a ampliar o debate sobre as diferentes linguagens da arte contemporânea. Para tanto, o instituto, que já possui uma sede na cidade de São José Barreiro, abrigando obras de grandes dimensões de Resende, inaugura agora uma sede em São Paulo, com uma exposição do caricaturista Cássio Loredano sobre Machado de Assis. 

Pôster do filme Blood Machines, uma das estreias do festival (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO E PARATY
Phenomena
Festival de cinema, de 28/11 a 13/12, diversos locais | phenomenafest.com
O Phenomena Festival é focado em cinema fantástico, apresentando produções de diretores em diversos estágios de carreira e de diversas nacionalidades, entre curtas e longas. As sessões acontecem em diversos centros culturais, cinemas e instituições das cidades que abrigam o projeto e há um prêmio em dinheiro para os filmes vencedores da competição. Acesse a programação completa aqui

Decanter (2019), de Waltercio Caldas (Foto: Everton Ballardin)

RIO DE JANEIRO
O Ovo e a Galinha
Exposição coletiva, até 20/2/2020, Simone Cadinelli Arte Contemporânea, Rua Aníbal de Mendonça, 173, casa 4 | simonecadinelli.com
Com curadoria de Ulisses Carrilho, a exposição presta homenagem ao centenário do nascimento da escritora Clarice Lispector (1920-1977) e toma emprestado o título do conto O Ovo e a Galinha (1964). A investigação proposta pelo curador é a hipótese de que o desejo também opera entre objetos e não só entre humanos. Trabalhos de 14 artistas são exibidos aos pares, para que sejam percebidos diálogos e atrações. Importa mais a Carrilho que sejam notadas as características que as obras têm em comum, do que aquilo que elas têm de singular. Entre os artistas que integram a coletiva estão grandes nome da arte brasileira, como Cildo Meireles, Leticia Parente e Rubens Gerchman, em conversa com os sete artistas contemporâneos representados pela Simone Cadinelli Arte Contemporânea, como Jeane Terra, Jimzon Vilela e Leandra Espírito Santo.

Travessia (2019) de Ellen Alves (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
A Potência da Presença
Exposição coletiva, até 2/2/2020, Museu da República, Rua do Catete, 153 | museudarepublica.museus.gov.br
Com curadoria de Keyna Eleison, as 14 artistas participantes da mostra fazem parte do grupo de acompanhamento Rede Nami, que tem como inquietação inicial pensar formas de materializar a condição da mulher negra enquanto artista, seus desafios e subjetividades. A exposição é resultado de oito encontros promovidos pela ONG de Panmela Castro, cujo objetivo é fomentar novos artistas e criar trânsitos entre os mais estabelecidos e os em início de produção. 

Transposição (2019) de Marcia Pastore (Foto: Hugo Curti)

MAIRINQUE
Transposição
Individual de Marcia Pastore, a partir de 30/11, Fama Campo, Sítio Santa Clara | famamuseu.org/famacampo
A Fundação Marcos Amaro amplia sua atuação no fomento à arte e inaugura a Fama Campo, que lida com obras que interferem na paisagem de um parque de 100 mil m², em Mairinque, no interior de São Paulo. A primeira artista convidada para desenvolver um projeto foi Marcia Pastore, que deslocou grandes porções de terra do espaço, gerando um corte geométrico na paisagem, no qual o volume de terra retirado de um lado do espaço, foi transposto para o outro lado, formando um bloco arquitetônico fechado. 

Retrato de Tereza Costa Rêgo, Clara Moreira e Juliana Lapa (Foto: Juliana Lapa)

RECIFE
Antes do Cio dos Gatos
Exposição coletiva, até 25/1/2020, Galeria Amparo 60, Rua Artur Muniz, 82, 1º andar | amparo60.com.br
Com curadoria de Bruno Albertim, a exposição reúne trabalhos das artistas pernambucanas Tereza Costa Rêgo, Clara Moreira e Juliana Lapa, sobretudo pinturas figurativas com protagonistas femininas. O ponto de partida é a produção de Costa Rêgo, a veterana do grupo, hoje com 90 anos, que exibe na mostra sete obras inéditas, colocadas em conversa com obras de Clara Moreira e Juliana Lapa. A nudez e as inquietações acerca do feminino são elos que unem as produções das três artistas. Enquanto Clara Moreira retrata mulheres como pássaros que estão prestes a levantar voo, simbolizando a iminência da libertação, Juliana Lapa mira na representação metafórica da ideia de fecundidade, a partir de imagens de corpos, florestas e úteros. Por ocasião da exposição, Juliana Lapa produziu um retrato com Tereza Costa Rêgo e Clara Moreira em Olinda para marcar o encontro entre elas, que foi transformado em cartaz.

Zélia Gattai e Jorge Amado (Foto: Divulgação)

RECIFE
Amados – Zélia & Jorge
Exposição, até 19/1/2020, Caixa Cultural, Av. Alfredo Lisboa, 505 | caixacultural.com.br
A exposição retrata a vida e obra do casal de escritores Zélia Gattai e Jorge Amado, por meio de projeções, documentos e relatos de amigos como Dorival Caymmi, Mãe Menininha, Glauber Rocha, Vinicius de Moraes, Carybé, entre outros. 

Imagem de divulgação da feira A Prensa

PORTO ALEGRE
A Prensa
Feira de arte, 30/11, das 10h às 19 hrs, MARGS, Praça da Alfândega, s/n° | margs.rs.gov.br
Diversos produtores de cerâmica, fotografia, gravura, ou objetos funcionais, como roupas e adereços, apresentam e comercializam suas produções na feira de arte promovida pela Associação dos Amigos do Museu de Arte do Rio Grande do Sul. Pela primeira vez, a feira também ocupa as galerias do museu, em formato de exposição.

Sem Título (1994), de Amadeo Lorenzato, um dos artistas apresentados no estande da Galeria Bergamin e Gomide (Foto: Ding Musa)

MIAMI BEACH
Art Basel Miami Beach
Feira de arte, de 4 a 8/12, Convention Center Drive, 1901 | artbasel.com
A importante feira internacional Art Basel Miami Beach tem como um de seus pontos fortes a promoção de artistas de regiões não hegemônicas, como a América Latina, a África e a Ásia. A 18ª edição do evento conta com a participação de mais de 200 galerias, entre as quais estão as brasileiras Galeria Bergamin e Gomide, Galeria Anita Schwartz, Galeria Luisa Strina e Galeria Luciana Brito, que apresenta um estande em parceria com a Galeria Jaqueline Martins. 

 

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.