seLecTs – agenda da semana (4/7/2019)

Fundação Edson Queiroz, Laura Lima, Paulo Vivacqua, Sonia Andrade, Mostra Verbo, Grada Kilomba, Vik Muniz

Da redação
O Verão (1995) obra de Beatriz Milhazes (Foto: Divulgação)

FORTALEZA
Da Terra Brasilis à Aldeia Global
Exposição coletiva, até 11/8, Espaço Cultural Unifor, Av. Washington Soares, 1321 |unifor.br
Com curadoria de Denise Mattar, a mostra reúne mais de 250 obras produzidas entre os séculos XVI e XXI estabelecendo um amplo arco temporal sobre a produção e a discussão sobre a identidade brasileiras. Participam artistas como Vik Muniz, Adriana Varejão, Beatriz Milhazes, entre outros. Esta é a última exposição da Fundação Edson Queiroz na Universidade, pois está em construção o novo centro cultural em Fortaleza que abrigará as obras da coleção. 

Hydragramas (1978-1983) obra de Sonia Andrade (Foto: Reprodução)

RIO DE JANEIRO
…às contas
Individual de Sonia Andrade, 6/7 a 22/8, MAM, Av. Infante Dom Henrique, 85 | mam.rio 
Conhecida por ser uma pioneira da videoarte no Brasil, Sonia Andrade apresenta uma uma instalação inédita, na qual nove colunas de quatro metros de altura cada são formadas pelas contas acumuladas pela artista ao longo dos anos. Com mais de 40 anos de processo de constituição, o trabalho reflete as mudanças econômicas, tecnológicas e de consumo ao longo dos anos, afinal os gastos com celular e internet são mais recentes que luz ou água. 

Sem Título (2019) obra da exposição Balé Literal de Laura Lima (foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Balé Literal
Individual de Laura Lima, até 30/8, A Gentil Carioca, rua Gonçalves Lêdo nº11 e nº17 | agentilcarioca.com.br
A galeria A Gentil Carioca ocupa dois prédios em uma rua no centro do Rio de Janeiro. Laura Lima construiu uma traquitana que conecta os dois edifícios em uma ação orquestrada entre máquinas e seres vivos na abertura da exposição que também contou com uma sinfonia de Ana Frango Elétrico. Após o evento, estão em exposição objetos como um candelabro de coxinhas, uma chuva de peixes e mantos realizados em colaboração com os artistas Fernanda Gomes, João Modé e Cabelo. 

Obra de José Brechara (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Homenagem a Reynaldo Roels Jr.
Exposição coletiva, 6/7 a 25/9, MAM, Av. Infante Dom Henrique, 85 | mam.rio 
Reynaldo Roels foi um crítico, curador e professor falecido durante sua gestão como diretor do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro em 2009. Como homenagem aos dez anos de seu falecimento, um ensaio inédito será publicado em um livro organizado pela pesquisadora Rosana de Freitas, assim como a exposição organizada por critérios afetivos e de identificação do curador com algumas das obras e artistas pertencentes à coleção do museu, tais como José Bechara, Iole de Freitas, Ivens Machado, Anna Maria Maiolino, Victor Arruda, entre outros.

Barapapas (2018) obra de Paulo Vivacqua (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Barbapapa, Individual de Paulo Vivaqcua
Shiva, Individual de Brumo Vilela, 10/7 a 24/8, Anita Schwartz Galeria de Arte, Rua José Roberto Macedo Soares, 30 |
anitaschwartz.com.br

Composta por instalações e desenhos, a mostra é o resultado do desenvolvimento da pesquisa entre linguagem, som e visualidade que Vivaqcua vem realizando ao longo dos anos. O título é apropriado do desenho animado popular nos anos 1970 que retrata o cotidiano de uma família de personagens coloridos, informes e polimórficos. A referência ao desenho está nas formas arredondadas pintadas com tinta automotiva sobre as placas de aço nas quais estão apoiados alto falantes que emitem sons pré verbais. No mesmo período, estará em exposição a individual de Bruno Vilela, na qual uma série de pinturas são o resultado de uma viagem do artista para a Índia por cerca de 40 dias no início do ano. 

Frame de vídeo de Grada Kilomba (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Grada Kilomba: Desobediências Poéticas
Individual, 6/7 a 30/9, Pinacoteca, Praça da Luz, 2 | pinacoteca.org.br
A primeira exposição individual da artista portuguesa Grada Kilomba no Brasil tem curadoria de Jochen Volz e Valéria Piccoli, e está instalada em salas contíguas à coleção do século XIX da instituição, como a retratar vozes silenciadas ao longo daquela história. Doutora em filosofia, Kilomba tem uma prática artística na qual discussões sobre questões raciais, coloniais e de gênero são formalizadas a partir da linguagem acadêmica, extrapolando os limites das linguagens convencionais da arte. Na abertura da exposição haverá uma conversa entre a artista e a filósofa Djamila Ribeiro. 

Rasmussen Town With The Flow (s/d) de Lilibeth Cuenca (Foto: Jacob Ostergaard Johansson)

SÃO PAULO
Verbo
Mostra de performance, de 9 a 13/7, Galeria Vermelho, Rua Minas Gerais, 350 | galeriavermelho.com.br
Em sua 15a edição, a já tradicional mostra de performances realizada pela Galeria Vermelho apresenta artistas como Ana Pi, Efe Godoy, Guerreiro do Divino Amor, Marco Paulo Rolla, Renan Marcondes, Yiftah Peled entre outros, em uma curadoria de  curadoria de Samantha Moreira e Marcos Gallon. Além das ações na própria galeria, a mostra articula parcerias com outros espaços, como o Centro Cultural São Paulo e o Contemporão e depois seguirá para São Luís do Maranhão onde serão apresentados trabalhos no Chão SLZ e no Coletivo Re(o)cupa. 

Xenia Rivery (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Aula Magna com Xenia Rivery
10/7 às 19hrs, CCSP, Av. Vergueiro, 1.000 | centrocultural.sp.gov.br
Como apoio e incentivo à formação e à internacionalização no campo do audiovisual, o Projeto Paradiso e  a Spcine realizam uma masterclass com Xenia Rivery, diretora da cátedra de roteiro da Escuela Internacional de Cine y Televisión de San Antonio de los Baños de Cuba. Retirada de ingressos uma hora antes do evento. 

O b-boy Leoni no campeonato Red Bull BC One Camp (2018) (Foto: Little Shao / Red Bull Content Pool)

SÃO PAULO
Red Bull BC One Camp Brazil
Campeonato de breakdance, de 5 a 7/7, CCSP, Av. Vergueiro, 1.000 | centrocultural.sp.gov.br
O campeonato reúne workshops, palestras e, claro, competições de danças urbanas como hip-hop, breaking, passinho, entre outras. As batalhas buscam selecionar uma b-girl e um b-boy que irão participar de uma competição final na Índia em novembro. As inscrições tanto para os competidores quanto para o público são gratuitas.   

Obra na primeira edição da Feira na Publica (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Publica
Feira de arte impressa, 9/7 das 11 às 21hrs, Publica, Rua Sebastião Pereira, 110 | instagram.com/publicapublicapublica/
O evento conta com impressões em diversas técnicas e livros de artistas. Além da feira, serão realizadas oficinas, apresentações e debates que buscam expandir a discussão do evento. Entrada gratuita.

Iansã (2019) obra de Vik Muniz (Foto: Divulgação)

SALVADOR
Handmande
Individual de Vik Muniz, 4/7 a 10/8, Paulo Darzé Galeria, Rua Dr. Chrysippo de Aguiar, 8 | paulodarzegaleria.com.br
Em sua primeira individual em Salvador, o artista explora os limites entre a realidade e a representação para a produção de imagens abstratas, nas quais a gestualidade a as referências ao vocabulário da arte construtiva são resultado de uma hibridização entre processos fotográficos e materialidades precárias, como a do papelão, resultando em obras entre o ilusionismo e a construção artesanal sugerida no título.

Bonecos da fertilidade (s/d) da Coleção Yunes (Foto: Divulgação)

CURITIBA
África, Mãe de Todos Nós: Conexão entre Mundos
Exposição coletiva, 4/7 a 25/8, MON, Rua Marechal Hermes, 999 | museuoscarniemeyer.org.br
A mostra reúne máscaras dos povos punu, igbo, baulê e iorubá  pertencentes à coleção de Ivane e Jorge Yunes. Com curadoria do arqueólogo Renato Araújo da Silva, o objetivo é refletir sobre a centralidade da cultura africana na formação da identidade brasileira e possíveis paralelos entre Brasil e África hoje. 

Still de Vera Cruz (44′), de Rosângela Rennó | Exibição em 7/12 (Foto: Cortesia Rosângelo Rennó)

BELO HORIZONTE
Rosângela Rennó: Projetos De Experimentação E Resistência
Oficina, 6 e 7/7, Museu de Arte da Pampulha, Av. Otacílio Negrão de Lima, 16585 | bolsapampulha.art.br
Como parte do programa de residências da Bolsa Pampulha, a artista Rosângela Rennó foi convidada a realizar uma oficina com o público, na qual discutirá os usos e funções da fotografia no contexto atual, assim como uma palestra, na qual abordará seus projetos recentes. Participação gratuita. 

Antonio Candido no jardim da casa em Poços de Caldas (década de 1970) (Foto: Reprodução)

POÇOS DE CALDAS
Antonio Candido
Exposição, 6/7/2019 a 1/3/2020, IMS, Rua Teresópolis, 90 | ims.com.br
Entre os 11 e os 17 anos, o crítico literário viveu em Poços de Caldas, experiência que comentou por diversas vezes em entrevistas e depoimentos. Com curadoria de Laura Escorel, a mostra resgata um arquivo de fotos, documentos e livros que narram a história da ligação de Candido com a cidade. 

Eixo Sul (2018) de Alina Duchrow (foto: Divulgação)

BRASÍLIA
Sobrefalas
Exposição coletiva, 4 a 21/7, Galeria Casa, CasaPark – 1º Piso | casapark.com.br/novidade/galeria-casa/
Os artistas Antonio Obá, Débora Mazloum, João Trevisan, Matias Mesquita, Paul Setúbal, entre outros discutem o desenvolvimento da linguagem em uma curadoria compartilhada a partir de seus processos de trocas no Ateliê Elefante, um ateliê compartilhado de produção efervescente na cidade.

Performance de Paula Blower e Natalie Miredia(2016) no projeto Motorhome [PPPP] (Foto: Denis Rodriguez)

PORTO ALEGRE
Motorhome [PPPP]
Programa público, 6/7, MARGS, Praça da Alfândega, s./n | margs.rs.gov.br
O projeto Motorhome é uma performance de um mês realizada em trânsito por cidades do interior do Rio Grande do Sul dentro de uma casa-veículo. Para o encerramento da ação, as curadoras Gabriela Motta e Izis Abreu e artista residente Jessica Porciuncula realizam uma fala aberta com mediação de Andressa Cantergiani, além de apresentações de vídeos, debates e instalações. 

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.