seLecTs – agenda da semana (7/2/2018)

Jenn Nkiru, 3º Prêmio Marcos Amaro, Conversas Em Gondwana, Tony Camargo, Stephen Dean, Geórgia Kyriakakis, Marco Giannotti, Angelo Venosa, Charbel-joseph H. Boutros, Ronaldo do Rego Macedo, Armarinhos Teixeira, Nilce Eiko Hanashiro

Da redação
Still do curta Rebirth Is Necessary de Jenny Nkiru (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Rebirth is Necessary
Curta de Jenn Nkiru, até 24/3/2019, Masp, Avenida Paulista, 1578 | masp.org.br
A Sala de Vídeo do Masp exibe até fim de março o curta-metragem premiado Rebirth Is Necessary (2017), que em português significa Renascimento É Necessário, da cineasta anglo-nigeriana Jenn Nkiru, conhecida por trabalhos como a direção artística do clipe Apeshit, gravado com Beyoncé e Jay-Z no Louvre. O curta de Nkiru reúne imagens de diferentes autores produzidas entre os anos 1960 e 70, quando o movimento por direitos civis nos Estados Unidos estava em seu ápice e quando surgia o movimento afrofuturista. A exibição marca a transição entre os eixos temáticos da instituição Histórias Afro-atlânticas e Histórias Das Mulheres, Histórias Feministas.

EDITAL
3º Prêmio de Arte Marcos Amaro
Inscrições até 28/2/2019 | fmarte.org
A Fundação Marcos Amaro (FMA) abre inscrições para a terceira edição do Prêmio de Arte Marcos Amaro, realizado em parceria com a Sp-Arte/2019. O edital destina-se a artistas residentes no Brasil representados por galerias que participam da feira de arte de São Paulo. Um dos trabalhos inscritos deve fazer parte do estande na Sp-Arte da galeria que representar o artista. Ricardo Resende, Raquel Fayad, Aracy Amaral, Fábio Guimarães, Gilberto Salvador, Patricia Rousseaux e Marcos Amaro, membros do conselho executivo da FMA, são os responsáveis pela seleção. Cinco finalistas serão divulgados em 15/3 e o vencedor será anunciado durante a feira, no dia 4 de abril. O ganhador recebe um prêmio em dinheiro no valor de R$ 50 mil, além de R$ 45 mil para a produção de um novo trabalho artístico a ser exibido na Fábrica de Arte Marcos Amaro, em Itu, durante a Sp-Arte/2020. Para se inscrever, preencha o formulário aqui. Também é necessário enviar ao e-mail premio@fmarte.org um portfólio com cinco imagens de trabalhos existentes e um esboço da obra que gostaria de realizar em 2020, acompanhado de justificativa e orçamento.

Muito Futuro Para Uma Só Memória (2017), de Ana Hupe (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Conversas Em Gondwana
Exposição coletiva, até 7/4/2019, CCSP, Rua Vergueiro, 1000 | centrocultural.sp.gov.br
A exposição é uma plataforma de pesquisa e experimentação entre países do Sul. As curadoras Juliana Café e Juliana Gontijo pegaram as rédeas da primeira edição do projeto e convidaram cinco duplas formadas por artistas da África do Sul e do Brasil para se corresponder durante um ano e criar obras colaborativas, que são agora exibidas na mostra Conversas Em Gondwana. As duplas formadas são Aline Xavier e Haroon Gunn-Salie, Ana Hupe e Gabrielle Goliath, Clara Ianni e Mikhael Subotzky, Daniel Lima e Ismail Farouk e, afinal, Paulo Nimer Pjota e Siwa Mgoboza. O título da exposição vem do nome do supercontinente que antigamente conglomerava as massas continentais da América do Sul, África, Antártica, Austrália e Índia. 

Rehearsal With Props (2018), de Stephen Dean (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Num Logo Lugar, individual de Tony Camargo
Rehearsal With Props, individual de Stephen Dean
De 9/2/2019 a 16/3/2019, Casa Triângulo, Rua Estados Unidos, 1324 | casatriangulo.com
Casa Triângulo apresenta individuais simultâneas do paranaense Tony Camargo e do franco-americano Stephen Dean. Camargo reflete sobre como a pintura pode ser atravessas pela tecnologia e exibe pinturas e vídeos. Já Dean mostra trabalhos feitos em vidro dicroico e aquarela que pretendem expandir os limites da cor.

Sem Título (2019), de Marco Giannotti (Foto: Ria Duprat)

SÃO PAULO
Seca, individual de Geórgia Kyriakakis
Através, individual de Marco Giannotti
De 9/2/2019 a 23/3/2019, Galeria Raquel Arnaud, Rua Fidalga, 125 | raquelarnaud.com.br
Na individual Seca, a baiana Geórgia Kyriakakis exibe três séries de desenhos e duas instalações, que problematizam a palavra Seca tanto do ponto de vista climático, quanto de características dos materiais usados pela artista. Ao mesmo tempo, Marco Giannotti apresenta em Através 20 trabalhos com curadoria de Agnaldo Farias. O conjunto traz pinturas e relevos sobre a relação entre desenho e cor na pintura.

Trabalho de Angelo Venosa (Foto: Felipe Amarelo, Cortesia do artista, Galeria Nara Roesler)

SÃO PAULO
Penumbra
Individual de Angelo Venosa, de 9/2/2019 a 16/3/2019, Galeria Nara Roesler, Av. Europa, 655 | nararoesler.com.br
Com curadoria da historiadora Vanda Klabin, a individual traz oito esculturas de Angelo Venosa, paulistano radicado no Rio de Janeiro. “O agenciamento de outros materiais para construir um novo continente de trabalho vai presidir a criação de um núcleo de obras envoltas em incidências luminosas que se desenvolve numa turbulência interna, em que as formas oscilam e tomam posição, no sentido de multiplicar os planos, criar uma ambiguidade espacial”, afirma a curadora sobre a nova série de trabalhos do artista.

Exposição Galerie de Multiples, de Charbel-joseph H. Boutros em Paris, 2018 (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
The Gallerist, the Letter And the Garden
Individual de Charbel-joseph H. Boutros, de 9/2/2019 a março de 2019, Galeria Jaqueline Martins, Rua Dr. Cesário Mota Junior, 433 |  galeriajaquelinemartins.com.br
A exposição reúne 10 novos trabalhos conectados conceitualmente do artista franco-libanês Charbel-joseph H. Boutros. Organizada a partir da lógica de um jardim, a individual tensiona a relação entre visitantes, artista e galerista. Ao longo do período expositivo, a equipe do local somente poderá caminhar pela mostra usando uma passarela suspensa.

Depois do antes e do depois (2017-2018), de Anna Guilhermina (Foto: Edson Lopes Junior)

SÃO PAULO
Livro de Artistas
Oficina para crianças, 9/2/2019, 14h, Instituto Cultural Adelina, Rua Cardoso de Almeida, 1285 | adelina.com.br
A educadora Gabriela Conceição ministra a oficina Livro de Artista, destinada a crianças de 7 a 12 anos, no sábado 9 de fevereiro, a partir das 14 horas. A atividade faz parte da programação paralela da exposição Água Da Palavra/ Quando Mais Dentro Aflora, curada por Galciani Neves. Conceição aborda a origem dos livros de arte, mostra alguns títulos de brasileiros e fala sobre o papel de livros na coletiva. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo site sympla.com.br/adelina.

Visitantes no Inhotim caminham em direção ao penetrável Magic Square, de Hélio Oiticica (Foto: William Gomes)

BRUMADINHO
Reabertura Inhotim
9/2/2019, Instituto Inhotim, Rua B, 20 | inhotim.org.br
Após o rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão em Brumadinho, o Instituto Inhotim decidiu interromper suas atividades em solidariedade, apesar de seu território não ter sido atingido pela tragédia. No sábado, 9/2, o Inhotim reabre oficialmente para visitação e oferece entrada gratuita nessa data. O horário de funcionamento é das 9h30 às 17h30.

Isto Que Chegou Do Nada (2018), de Ronaldo do Rego Macedo (Foto: Wilton Montenegro)

RIO DE JANEIRO
Fissão][Tectônica
Individual de Ronaldo do Rego Macedo, até 25/2/2019, Paço Imperial, Praça 15 de Novembro, 48 | amigosdopacoimperial.org.br
Ronaldo do Rego Macedo mostra pinturas abstratas de dimensões variadas com curadoria de Sonia Salcedo Del Castillo. O artista, que é também professor da EAV Parque Lage, faz obras a partir da presença física das cores, sem referência a objetos. Na sexta-feira, 8/2, às 16h, na Sala dos Archeiros, Viviane Matesco e o artista David Cury discutem sobre a exposição ao lado do artista e curadora.

Vista da exposição de Armarinhos Teixeira (Foto: Divulgação)

BRASÍLIA
Colônia
Individual de Armarinhos Teixeira, até 10/3/2019, Museu Nacional da República, Setor Cultural Sul Lote 02 | cultura.df.gov.br/museu-nacional
As 12 esculturas de grande porte apresentadas por Armarinhos Teixeira em Colônia foram feitas in loco pelo artista. “De onde vêm essas estranhas figuras que dominam todo esse espaço? Elas se apresentam dentro do universo e da dinâmica da arte, mas elas são, também, filhas da indústria, da botânica, da ciência”, escreve o curador da exposição Marcus Lontra.

A instalação Fonte ou O Laranja, de Nilce Eiko Hanashiro (Foto: Divulgação)

BRASÍLIA
Antologia: Nilce Eiko Hanashiro
Exposição individual, até 31/3/2019, Museu Nacional da República, Setor Cultural Sul Lote 02 | cultura.df.gov.br/museu-nacional
Retrospectiva da obra de Nilce Eiko Hanashiro, artista que bastante atuou em Brasília e faleceu em 2015, com curadoria de Fernando Cocchiarale e Gladstone Menezes. A exposição reúne mais de 300 trabalhos, incluindo esboços de 1960, registros de performance e obras efêmeras recriadas especialmente para a ocasião. 

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.