seLecTs – agenda da semana (8/11/18)

Sonia Gomes, Rubem Valentim, Campos de Invisibilidade, Albano Afonso, Clarissa Tossin, Daniel Senise, Ruptura, Cristina Canale, Not Vital, Evandro Soares, Daniel Feingold, José Pedro Croft

Da Redação

Publicado em: 08/11/2018

Categoria: Agenda, Destaque, Selects

Correnteza, da série Raiz (2018), de Sonia Gomes (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Rubem Valentim: Construções Afro-Atlânticas
Sonia Gomes: Ainda Assim Me Levanto
De 14/11/2018 a 10/3/2019, Masp, Av. Paulista, 1578 | masp.org.br
O pintor, escultor e gravador baiano Rubem Valentim (1922-1991) ganha exposição individual no Masp, com 90 obras e curadoria de Fernando Oliva e Adriano Pedrosa. Acompanhada de catálogo, a mostra procura reposicionar o artista na história da arte brasileira e internacional e ressaltar sua importância. A individual faz parte da iniciativa do museu de dedicar sua programação de 2018 às Histórias Afro-Atlânticas. Em 2019, terá início o novo ciclo do projeto, que será então destinado às Histórias Feministas. Nessa transição de ciclos encaixa-se a individual de Sonia Gomes, que ocorre simultaneamente à de Valentim. A artista mineira exibe novos trabalhos realizados especialmente para o Masp e para a Casa de Vidro, sede do Instituto Bardi, onde a mostra também acontece. O título Ainda Assim Me Levanto faz referência ao poema Still I Rise (1978), da escritora e ativista americana Maya Angelou.

Trabalho de Solange Pessoa (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Invenção de Origem
Exposição coletiva, de 10/11/2018 a 11/2/2019, Pina Estação, Largo General Osório, 66 | pinacoteca.org.br
Tendo como ponto de partida o filme The Origin of the Night: Amazon Cosmos (1973-77), do artista alemão Lothar Baumgarten, a exposição apresenta obras que se relacionam com narrativas sobre a origem da vida. Com curadoria coordenada por José Augusto Ribeiro, a coletiva exibe trabalhos de Antonio Dias, Carmela Gross, Solange Pessoa e Tunga, além do próprio Baumgarten.

Um Dia Na Vida (2018), de Albano Afonso (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Viver Em Um Mundo Abstrato
Individual de Albano Afonso, de 9/11 a 22/12, Casa Triângulo, Rua Estados Unidos, 1324 | casatriangulo.com
Albano Afonso exibe uma grande instalação, esculturas, pinturas, desenhos e fotografias em Viver Em Um Mundo Abstrato. “A montagem de Viver em um mundo abstrato reúne um corpo de obras que corresponde ao ato de fechar os olhos para reintegrar partes soltas do corpo e de memórias, como um rito de ecdise ao revés”, escreve o curador Josué Mattos sobre a mostra.

Still de All That Is Solid (2014), de Louis Henderson (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Campos de Invisibilidade
Exposição coletiva, de 9/11/2018 a 3/2/2019, Sesc Belenzinho, Rua Padre Adelino, 1000 | sescsp.org.br
Campos de Invisibilidade discute a concretude das estruturas tecnológicas da atualidade e como elas se relacionam com a terra, os diferentes corpos e territórios. A exposição apresenta 23 obras de 18 artistas, brasileiros e estrangeiros, e tem curadoria de Cláudio Bueno e Ligia Nobre. “Se o mundo inteiro já está fazendo a narrativa elogiosa ao universo da tecnologia, essa mostra vem adicionar uma perspectiva crítica” afirma Bueno.

Bones and Wings (1997), de José Roberto Aguilar (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Ossos e Asas 98
Individual de José Roberto Aguilar, até 7/12/2018, Galeria ZERØ, Rua Simpatia, 23 |
Exposição inaugural da Galeria ZERØ, que abre as portas no bairro Vila Madalena, sob direção de Pedro Paulo Coelho Afonso. A individual apresenta 36 trabalhos, entre pinturas e esculturas, do artista paulistano José Roberto Aguilar, em que ele relaciona metaforicamente elementos dicotômicos como ossos e asas.

Still de Ch’u Mayaa (2017), vídeo de Clarissa Tossin (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Azul Maia
Individual de Clarissa Tossin, ate 21/12, Galeria Luisa Strina, Rua Padre João Manuel, 755 | galerialuisastrina.com.br
A exposição de Clarissa Tossin reúne trabalhos inéditos da série Os Maias, esculturas que exploram a qualidade performática de antigas construções maia, e da série Encontro Das Águas, que reflete sobre o impacto da globalização. Além disso, a artista também exibe o vídeo Ch’u Mayaa, uma resposta à influência negligenciada da arquitetura maia na Hollyhock House, projeto de Frank Lloyd Wright.

Armagens de Paulo Roberto Leal (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Paulo Roberto Leal
Individual, até 2/2/2019, Galeria Bergamin & Gomide, Rua Oscar Freire, 379, loja 1 | bergamingomide.com.br
Com cerca de 16 trabalhos, a exposição individual mostra como Paulo Roberto Leal (1946-1991) explorou as possibilidades plásticas de diferentes tipos de papel, em especial o kraft. A mostra ainda dá a oportunidade de perceber como o artista foi influenciado pelos movimentos Concreto e Neoconcreto.

Nuvens (2017), de Crisina Canale (Foto: Cortesia da Artista, Galeria Nara Roesler)

SÃO PAULO
Cabeças/Falantes, de Cristina Canale
Saudade, de Not Vital
De 10/11/2018 a 19/1/2019, Galeria Nara Roesler, Av. Europa, 655 | nararoesler.art
Galeria Nara Roesler exibe duas individuais. Cabeças/Falantes, de Cristina Canale, tem como eixo principal uma série de pinturas de cabeças femininas ao lado das quais apresenta obras com representações de partes do corpo humano e gestos cotidianos. Por sua vez, a exposição Saudade, do suíço Not Vital, traz um recorte de sua produção com esculturas e desenhos que mostram a multiplicidade dos locais por onde o artista já passou, como Itália, China, Chile, Brasil e Níger.

Arranjo de Três Formas Semelhantes Dentro de um Círculo (1953), de Geraldo de Barros (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Ruptura
Exposição coletiva, de 10/11/2018 a 19/1/2019, Luciana Brito Galeria, Av. Nove de Julho, 5162 | lucianabritogaleria.com.br
Reedição de projeto apresentado pela galeria em Nova York, a exposição traz nomes pioneiros da arte concreta no Brasil, com mais de 50 trabalhos. O título Ruptura alude ao movimento de mesmo nome, do qual participaram artistas em defesa da abstração em detrimento à figuração a partir de 1952.

Detalhe de obra de Marcos Amaro (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Aquilo Que Resta
Individual de Marcos Amaro, até 8/12/2018, Luis Maluf Art Gallery, Rua Peixoto Gomide, 1887 | luismaluf.com
Gorduras, óleos e betumes são substâncias que Marcos Amaro usa nos trabalhos exibidos em sua individual Aquilo que Resta, curada por Marcus de Lontra Costa. O artista apresenta 11 obras que se aproximam da pintura. No entanto, não abandona a escultura, linguagem com a qual tem maior familiaridade, e agrega volume às composições pictóricas.

Estrutura #25 (2017), de Daniel Feingold (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Estruturas e Pinturinhas, de Daniel Feingold
Um Corpo Impermanente, de José Pedro Croft
Até 26/1/2019, Galeria Raquel Arnaud, Rua Fidalga, 125 | raquelarnaud.com.br
Daniel Feingold comemora 25 anos de representação na Galeria Raquel Arnaud e apresenta individual com sete pinturas da série Estrutura, realizadas com esmalte sintético sobre terbrin, e doze desenhos em bastão a óleo da série Pinturinhas. Simultaneamente, o artista português José Pedro Croft também exibe individual, a convite de Feingold. Croft exibe gravuras, desenhos e esculturas.

Paisagem Entrelaçada (2006), de Leda Catunda (Foto: Jaime Acioli)

RIO DE JANEIRO
Constelações – O Retrato nas Coleções MAM Rio
Horizontes – A Paisagem nas Coleções MAM Rio
Exposições coletivas, de 10/11/2018 a 10/3/2019, MAM Rio, Av. Infante Dom Henrique, 85 | mamrio.org.br
Ambas com curadoria de Fernando Cocchiarale e Fernanda Lopes, as exposições exploram o acervo do Museu de Arte Moderna do Rio.  Constelações trata de exibir trabalhos que se relacionam com o gênero retrato, enquanto Horizontes pretende investigar a paisagem. As coletivas exibem mais de 120 artistas brasileiros ou radicados no Brasil que tratam das temáticas em pinturas, objetos, vídeos, desenhos, instalações, fotografias, gravuras e esculturas.

Museé d’Art de Nantes (2018), de Daniel Denise (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Biógrafo
Individual de Daniel Senise, de 8/11 a 15/12, Silvia Cintra + Box 4, Rua das Acácias, 104 | silviacintra.com.br
Em sua nova individual, Daniel Senise exibe pinturas e fotografias de diferentes séries. Em Biógrafo, que também nomeia a exposição, o artista mostra pinturas que tem como ideia principal colocar retângulos dentro da forma retangular da própria tela. Além disso, também estão expostas pinturas que retratam o interior de grandes museus e uma série de fotografias do antigo Hospital Matarazzo, em São Paulo, ainda em obras em 2014.

Trabalho de Evandro Soares (Foto: Diego Bresani)

BRASÍLIA
Traço Expandido
Individual de Evandro Soares, até 30/11, Referência Galeria de Arte, CLN 202 Bloco B Loja 11, Asa Norte | referenciagaleria.com.br
Com curadoria de Mario Gioia, a exposição traz trabalhos de Evandro Soares que pretendem extrapolar os limites do desenho, da fotografia e da escultura. “Evandro Soares persiste em eleger o elemento-linha como o vetor poético mais vigoroso de sua produção, mas o desenho se traveste agora de outras linguagens”, afirma Gioia. Em uma série de objetos, por exemplo, o artista parte de fotografias de edifícios contemporâneos para a construção de esculturas com linhas em metal.

Rotorama (2017), trabalho de Daniel Acosta realizado no Octógono da Pinacoteca de São Paulo (Foto: Divulgação)

PELOTAS
Natureza para a Aurora de um Novo Tempo
Individual de Daniel Acosta, até 5/12, Galeria A Sala, Centro de Artes da UFPel, Rua Alberto Rosa, 62, sala 111 | portal.ufpel.edu.br
Daniel Acosta exibe individual na Universidade onde leciona há quase 30 anos. O artista apresenta na galeria A Grande Sala uma instalação, um desenho na parede do espaço e três esculturas. Os trabalhos que exibe foram pensados para responder ao contexto político brasileiro de hoje.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.