seLecTs – agenda da semana (8/8/2019)

Somos Muit+s: Experimentos Sobre Coletividade, Vincent Ciantar, Sérgio Sister, Stephan Doitschinoff, Beth Moysés, Os Tupys, Felipe Góes

Da redação
Registro da performance O Vínculo (2015) de Maurício Ianês (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Somos Muit+s: Experimentos Sobre Coletividade
Exposição coletiva, 10/8 a 28/10, Pinacoteca de São Paulo, Praça da Luz, 2 | pinacoteca.org.br
A exposição Somos Muit+s: Experimentos Sobre Coletividade retoma a investigação do artista Joseph Beuys e traz um conjunto de suas obras em diálogo com trabalhos de Hélio Oiticica, Maurício Ianês, Mônica Nador e Jamac, Coletivo Legítima Defesa, Rirkrit Tiravanija, Tania Bruguera e Vivian Caccuri. Com curadoria de Amanda Arantes, Fernanda Pitta e Jochen Volz , a exposição reúne artistas cujas práticas artísticas são pensadas a partir do exercício coletivo. 

Sem Título (s/d) fotografia de Vincent Ciantar

SÃO PAULO
Vincent Ciantar
Individual, 8/8 a 6/9, Galeria Marcelo Guarnieri, Alameda Lorena, 1835 | galeriamarceloguarnieri.com.br
O fotógrafo Vincent Ciantar nasceu no Egito, tinha cidadania inglesa e se estabeleceu no Brasil na década de 1960. A expertise de seu trabalho comercial foi transposta para sua produção poética, na qual o apelo das imagens jornalísticas e publicitárias era desviado para cenas cotidianas de experiências ínfimas, como a passagem do tempo e as relações entre as pessoas. Essa é sua primeira exposição individual e a primeira vez que suas obras são expostas desde 1965. 

Sem Título (1970) desenho de Sérgio Sister (Foto: Erika Mayumi)

SÃO PAULO
Imagens De Uma Juventude Pop: Pinturas Políticas E Desenhos Da Cadeia
Individual de Sérgio Sister, 10/8 a 5/9, Galeria Nara Roesler, Av. Europa, 655 | nararoesler.art
Antes de sua produção de vertente construtiva, na qual planos de cores são aplicados sobre ripas de madeira ou caixas de feira, o artista Sérgio Sister teve um grande envolvimento político, tendo sido preso por 19 meses durante o regime militar. A mostra, com texto de Camila Bechelany, reúne desenhos produzidos nesse período, nos quais uma figuração pop, caricatural e psicodélica descreve o cotidiano do cárcere com agressividade e ironia. 

Palma Votiva (2017) de Stephan Doitschinoff (Foto: Franco Amendola)

SÃO PAULO
Estaremos Aqui Para Sempre
Individual de Stephan Doitschinoff, 14/8 a 5/10, Janaina Torres Galeria, Rua Joaquim Antunes, 177 | janainatorres.com.br
Com curadoria de Daniel Rangel, a exposição apresenta desenhos, esculturas e pinturas de fundos vazios nas quais figuras e palavras em primeiro plano levantam questões como colonialismo, democracia ou drogas através de uma iconografia que mistura elementos vindos do catolicismo, da umbanda, do xamanismo, do surrealismo ou mesmo do grafite. 

Registro da perfomance Memória do Afeto (s/d) de Beth Moysés (Foto: Reprodução)

SÃO PAULO
Palavras Somam
Individual de Beth Moysés, 8/8 a 30/9, MAB Faap, Rua Alagoas, 903 | faap.br/museu
A exposição Palavras Somam, com curadoria de Laura Suzana Rodríguez, busca discutir o lugar da palavra nas artes plásticas e na cultura em geral. O Núcleo Temporário é uma parte rotativa da mostra em que artistas ocupam a exposição com projetos especialmente desenvolvidos para o contexto. Em seu projeto, Beth Moysés apresenta vídeos e fotografias produzidos na Espanha, nos quais que discute questões como violência de gênero e amor romântico. 

NeuroPaisagens (2019) Os Tupys (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Os Tupys Caminho Suave Neuropaisagem
Exposição coletiva, 10/8 a 10/9, Galeria Virgílio, Rua Doutor Virgílio de Carvalho Pinto, 426 | galeriavirgilio.com.br
O coletivo Tupinãodá surgiu nos anos 80 em meio ao tópos de retorno à pintura e às reivindicações políticas das Diretas Já. O coletivo foi interrompido em 1993 e retorna agora como Os Tupys, em outro momento político conturbado. O grupo se vale do humor e do deboche para produzir trabalhos nos quais uma heterogeneidade de referências – de Tarsila do Amaral ao grafite – são amalgamadas sem decoro. Com texto de Paula Alzugaray, a exposição na Galeria Virgílio reúne os integrantes da última formação do coletivo Zé Carratu, Carlos Delfino e Ciro Cozzolino, em uma série de pinturas e recortes de madeira realizados a seis mãos. 

Pintura 351 (2019) de Felipe Góes (Foto: Reprodução)

SÃO PAULO
A Verdade Está Em Tudo, Mesmo No Erro, individual de Fabiano Rodrigues
Cataclismo, individual de Felipe Góes,  8/8 a 6/9, Galeria Kogan Amaro, Alameda Franca, 1054 | galeriakoganamaro.com
Fabiano Rodrigues parte da colagem e da fotomontagem para repensar os usos da fotografia e sua materialidade. Já Felipe Góes segue com sua pesquisa de pintura de paisagens, em que a gestualidade da construção e o acúmulo de camadas são recursos utilizados para gerar imagens serenas, imersas em uma leve bruma, cheia de passagens tonais. 

Obra de Renato Larini (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Sinfonia Concreta
Individual de Renato Larini, 14/8 a 1/12, Espaço Zebra, Rua Major Diogo, 237 | facebook.com/espacozebra
Entre esculturas e peças de mobiliário feitas por assemblage, as quinze obras do artista Renato Laniri em exposição são livremente inspiradas em referências heterogêneas, da fragmentação das composições cubistas, à música ou às construções precárias de comunidades. 

Frame do video 23 de Março de Verônica Vaz (Foto: Reprodução)

SÃO PAULO
Festivau de C4nn3$ – Sem anos de história
Mostra de vídeo, de 7 a 24/8, Lona Galeria, Rua Brigadeiro Galvão, 990 | lonagaleria.com
A mostra é organizada por uma convocatória aberta que põe em questão os  critérios de seleção de uma curadoria e dos parâmetros utilizados em premiações. Fundado em 2015 por alunos do Instituto de Artes da UFRGS, esta edição será realizada na recém fundada Lona Galeria, um espaço de artistas na região da Barra Funda. 

Querido Diário (2012) de Fábio Morais (Foto: Reprodução)

SÃO PAULO
Outrescrita: Escutar Alteridades
Curso com Fabio Morais, 22/8 a 7/11, SESC Pinheiros, R. Paes Leme, 195 | sescsp.org.br/pinheiros
A partir da escuta do outro, o curso busca propor exercícios de narrativas que não tenham um “eu”, expandindo procedimentos de produção textual a partir de referências inusitadas para esse campo como Rosângela Rennó, Sophie Calle, Dora García e Virgínia de Medeiros. Inscrições aqui. Valores variáveis. 

Imagem de divulgação do 36º Panorama da Arte Brasileira: Sertão

SÃO PAULO
Debates Sertão: Flip encontra Panorama
Evento, 10/8 às 15 hrs, auditório Lina Bo Bardi do MAM, Av. Pedro Álvares Cabral, s/n° | mam.org.br
Como parte da programação do 36º Panorama da Arte Brasileira: Sertão, o MAM São Paulo e a 17ª Flip promovem encontros que contam com a participação de nomes como Jarid Arraes, Mabe Bethônico, entre outros. Confira a programação completa aqui. 

Detalhe da exposição Floresta D’Água de Afonso Tostes no SESC Pompeia (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Afoxé Ogum Pá
Cortejo, 11/8 às 14:30, SESC Pompeia, R. Clélia, 93  | sescsp.org.br/pompeia
Como parte das atividades da exposição Floresta D’água, do artista Afonso Tostes com curadoria de Daniel Rangel, haverá um cortejo com o grupo Afoxé Ogum Pá. O grupo é referência nacional no estilo cujo repertório é formado por interpretações de canções de matriz afro-brasileiras e afro-latinas. 

BUROCRACIA (1982) Anna Bella Geiger (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Aula Magma
Palestra com Anna Bella Geiger, 8/8 às 20 hrs, Instituto Tomie Ohtake, Av. Brigadeiro Faria Lima, 201 | institutotomieohtake.org.br
Dando início ao segundo semestre das atividades da Escola Entrópica, o Instituto Tomie Ohtake promove uma fala aberta com a artista Anna Bella Geiger, na qual irá apresentar sua trajetória e sua produção. Evento gratuito. Sujeito a lotação. 

Luiz Aquila (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Luiz Aquila III Milênio – Criação Em Aberto
Individual, 31/8 a 1/12, Museu Nacional de Belas Artes, Avenida Rio Branco, 199 | mnba.gov.br
A mostra reúne 30 pinturas dos últimos dez anos de produção do artista com obras de média e grandes dimensões. Além das telas de tratamento gestual, cores de contrastes simultâneos e composições impulsivas, um documentário sobre o artista e textos de críticos e curadores como Felipe Chaimovich, Lauro Cavalcanti, Vanda Klabin e Frederico Moraes contextualizam sua produção. 

Mergulho No 3 (2019) de Deborah Engel (Foto: Divulgação)

RIO DE JANEIRO
Mergulho
Individual de Deborah Engel, 6/8 a Portas Vilaseca,Rua Dona Mariana, 137 casa 2 | portasvilaseca.com.br
Em sua primeira exposição individual na galeria, a artista parte de imagens de espaços arquitetônicos para radicalizar suas perspectivas e construções, gerando vertiginosos jogos visuais que sugerem um movimento de mise en abyme, enfatizando enquadramentos e composições. Com texto crítico de Daniela Labra, a exposição conta ainda com instalações e colagens que lidam com a fotografia em seus aspectos materiais, como o papel e a impressão. 

Franz Manata (Foto: Pedro Victor Brandão)

RIO DE JANEIRO
Encontros Sobre Arte
Conversa com Franz Manata e Fernando Cocchiarale, 12 e 26/8 às 19 hrs, Galeria Simone Cadinelli, R. Aníbal de Mendonça, 171 | simonecadinelli.com
A próxima edição do projeto Encontros Sobre Arte, coordenado por Tania Queiroz, tem como convidados o artista, professor e curador Franz Manata e o crítico, curador e professor Fernando Cocchiarale para uma conversa sobre colecionismo. O projeto busca ampliar o debate sobre arte contemporânea, seus critérios e sistemas. 

Desenho II (2015) de Lucia Vilaseca (Foto: Jaime Acioli)

NITERÓI
Silenciosa Geometria
Individual de Lucia Vilaseca, 13/8 a 7/10, Sala José Candido de Carvalho, Rua Presidente Pedreira, 98 | culturaniteroi.com.br
A exposição reúne 14 obras entre pinturas, desenhos e colagens que se valem de um vocabulário marcado pela geometria euclidiana em sua construção, contrastando materiais, variações tonais e irregularidades da fatura das obras com seu aspecto ortogonal e rígido. 

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.