Tá zangado? Clique aqui!

Nina Gazire

Publicado em: 30/11/2011

Categoria: Da Hora, se linka

Plataforma inovadora reúne consumidores para que defendam seus direitos coletivamente

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Y_Aix0CLxtQ

Recentemente, o PROCON multou em 500 mil reais dois sites de compras coletivas no estado de Goiás, após receber mais de 500 reclamações no último dia 19 de outubro. Apesar do cancelamento das compras por parte dos consumidores, os sites continuavam a emitir e enviar os boletos de cobrança. Sem dúvida, na era da coletividade em rede, onde compartilhamos informações de diferentes níveis, vivendo simultaneamente entre o virtual e o real, nada mais natural do que também usar a rede para pagar menos por serviços que podem ser adquiridos em conjunto. 

Se os sites de compras coletivas, apesar do episódio isolado acontecido em Goiás, se apresentam como uma nova tendência na era da sociabilidade 2.0., porque não a existência de um site voltado para a reclamação e queixa contra empresas que abusam de nós em uma era em que não somos mais apenas cidadãos, mas principalmente, consumidores? O site Zangaa, que acabou de ser lançado, se aproveita da onda de serviços coletivos na internet, criando uma plataforma que reúne seus usuários em torno de problemas recorrentes de produtos, empresas e serviços para encaminhá-los ao Ministério Público, PROCONs e agências reguladoras, aumentando a real possibilidade de avanços na relação entre consumidores e empresas.

O site propõe inverter o modelo ”cada um por si”, formando grupos de consumidores com problemas similares para que, coletivamente, possam resolver as dificuldades encontradas. Após registradas as queixas, o Zaanga as encaminha não apenas à empresa, informando-a de quantas pessoas enfrentam a mesma dificuldade, mas também entregará petições ao Ministério Público Federal e avisará os PROCONs regionais e as agências reguladoras respectivas. O negócio é torcer para que a ideia dê certo e se torne uma tendência, assim como a das compras coletivas. Afinal, a união fazia a força muito antes de nos reunirmos para pagar menos pelo nosso consumo de cada dia. 

Artigo anterior:
Próximo artigo:

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.