#tbt Desconstruir a gramática da sexualidade

Análise de Vladimir Safatle, em 2018, pode ser ampliada no entendimento de outras formas de opressão e controle

Da redação

Publicado em: 13/08/2020

Categoria: #tbt, Destaque

Cindy Sherman - Sem Título #92 (Foto: Cindy Sherman/ Metro Pictures)

Na seLecT #41, publicada em novembro de 2018 e dedicada ao tema Sexo e Arte, Vladimir Safatle publicou o texto Desconstruir a gramática da sexualidade, no qual discute como os próprios termos usados para discutir a experiência já introjetam classificações do pensamento médico. A análise, em que o filósofo defende as experiências de destituição e de indeterminação das “emergências sexuais” para além das classificações e normas, está em diálogo com o texto publicado por André Fischer esta semana na seLecT

Em Linguagem inclusiva: hackeando a norma padrão sexista, o autor usa o termo hackeamento para se referir a uma forma de desconstruir os binarismos, racismos e sexismos da própria estrutura da língua portuguesa. Tanto Safatle como Fischer elucidam a maneira como a linguagem e suas formas não são utilizadas de forma neutra e, por isso, podem ser transformadas para fins mais libertadores. A edição #41 Sexo e arte teve co-edição da artista Dora Longo Bahia. Leia ou releia o debate aqui. 

 

Tags: , , ,

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.