#tbt Extranatureza

Em 2011, curadoria de vídeos para a internet discutia como o conceito de natureza é, na verdade, uma categoria cultural

Da redação

Publicado em: 23/04/2020

Categoria: #tbt, Destaque

Nessa época em que o uso do digital é predominante e irreversível, a mostra online Extranatureza nos lembra que, há bastante tempo, a percepção que temos do ambiente natural é uma construção humana, mediada por telas, câmeras, computadores, meios de transporte e de comunicação. 

Os cinco temas do projeto – Paisagem, Corpo Casa, Natureza Morta, Viagem Travessia e Vídeo para Celular – problematizam os limites entre o natural e o artificial, e dão subsídios para a reflexão sobre a mudança radical no modo de vida em sociedade, que hoje se impõe. 

A capacidade do corpo refletir e introjetar o lugar que habita – a casa, a paisagem ou a viagem – é a tônica de vários trabalhos. Em Oceano Possível (2002), Sara Ramo fabula sua própria Odisséia navegando dentro em baldes de plástico. Em Exercise 3, de Janaina Tschäpe, o corpo se converte em volume inflável e flutuante sobre o sofá da sala; em Terreno (2004), de Carlos Mélo, ele interage e se funde à mobília; em Casa de Abelha (2002), ele se converte em seiva. 

A curadoria de Paula Alzugaray foi um projeto idealizado para o lançamento do número zero da revista seLecT, em maio de 2011. Teve exibição durante a SP-Arte daquele ano e integrou a programação da 8ª Bienal do Mercosul, em Porto Alegre. Reúne 16 vídeos e slideshows dos artistas Alberto Baraya, Brigida Baltar, Camila Sposati, Carlos Mélo, Denise Agassii, Fabiana de Barros, Gisela Motta e Leandro Lima, Giselle Beiguelman, Janaina Tschäpe, Katia Maciel, Kika Nicolela, Luiz Zerbini, Marco Maggi e Ken Salomon, Marco Paulo Rolla, Regina Parra, Rodrigo Braga, Sara Ramo e Wagner Morales. Veja ou reveja essa seleção aqui.

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.