Tiago Carneiro da Cunha abre individual no Galpão Fortes Vilaça

A galeria apresenta a primeira exposição do artista desde sua participação na trigésima Bienal de São Paulo - A Iminência das Poéticas, 2012, que destacou seu trabalho em escultura e vídeo

Publicado em: 06/04/2016

Categoria: Agenda

Tiago Carneiro da Cunha - Noite de Terror (Foto: Divulgação)

O Galpão Fortes Vilaça apresenta a individual Trânsito dos Infernos – 2012/2015 , de Tiago Carneiro da Cunha, primeira exposição do artista desde sua participação na trigésima Bienal de São Paulo, em 2012. A mostra reúne cerca de 20 pinturas óleo sobre tela, resultado de uma pesquisa inédita em sua carreira. Dentre elas, a que empresta o título à exposição, cujo um cenário de carros se encontra sob um céu vermelho apocalíptico, dita o tom crítico e dramático do que vem a seguir.

A fascinação pelo gesto, intensamente explorado nas esculturas produzidas pelo artista, está de volta na série Através do Traço, que investiga um humor corrosivo, porém marcadamente sentimental. A utilização de paleta de cores puras, em contrastes marcados por uma ampla gama de densidades e intensidades, realça ainda mais a expressividade dramática dos trabalhos. A seleção de pinturas foi feita intuitivamente pelo próprio artista, a partir de seus quatro últimos anos de pesquisa, em que se utilizou do improviso para a abordagem de cada uma das telas, em poucas e rápidas sessões de trabalho.

Tiago Carneiro da Cunha - A Hora II (Foto: Divulgação)

Tiago Carneiro da Cunha – A Hora II (Foto: Divulgação)

Serviço
Galpão Fortes Vilaça
Rua James Holland, 71, Barra Funda, São Paulo
De 1 de abril a 7 de maio
De terça a sexta-feira, das 10h às 19h; sábados das 10h às 18h
Tel.: (11) 3032 7066

Nota de esclarecimento: A Três Comércio de Publicações Ltda., empresa responsável pela comercialização das revistas da Três Editorial, informa aos seus consumidores que não realiza cobranças e que também não oferece o cancelamento do contrato de assinatura mediante o pagamento de qualquer valor, tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A empresa não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças.