seLecTs – agenda especial SP-Arte (28/03/2019)

Na semana que antecede a feira internacional SP-Arte, agenda com foco em exposições em galerias e instituições na cidade de São Paulo

Da redação

Publicado em: 29/03/2019

Categoria: Agenda, Destaque, Selects

Velejando entre Nós | [Tapete Campo] Onde Ki Nos Vamo? (2012-2013), de Ernesto Neto (Foto: Petri Virtanen)

SÃO PAULO
Sopro
Retrospectiva de Ernesto Neto, de 30/3 a 15/7, Pinacoteca de São Paulo, Praça da Luz, 2 | pinacoteca.org.br
A exposição percorre quase 40 anos de produção do carioca Ernesto Neto, com cerca de 60 trabalhos, entre grandes instalações, esculturas, fotografias e desenhos. Com curadoria de Jochen Volz e Valéria Piccoli, a retrospectiva prevê diversas ações ao longo do período expositivo, especialmente em torno das obras mais recentes de Neto, como a grande instalação participativa que ocupa o Octógono da Pina.

Still do vídeo Stellentstellen (2013), de William Forsythe (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
William Forsythe: Objetos coreográficos
Exposição individual, até 28/7, Sesc Pompeia, Rua Clélia, 93 | sescsp.org.br/pompeia
Primeira exposição do coreógrafo e artista norte-americano William Forsythe no Brasil, a mostra conta com onze trabalhos, entre instalações e vídeos, que pedem movimento do público. Com curadoria da Forsythe Produções e Veronica Stigger, a individual traz uma obra inédita, chamada Insustentáveis, São Paulo (2019), produzida especialmente para a ocasião.

Fotografia da série West of Life (2013-2016), de Zied Ben Romdhane

SÃO PAULO
Taswir: A Fotografia Árabe Contemporânea
Exposição coletiva, até 28/4, Instituto Tomie Ohtake, Av. Faria Lima, 201 | institutotomieohtake.org.br
A coletiva apresenta uma seleção de imagens do acervo de fotografia do Instituto do Mundo Árabe (IMA), de Paris, com 70 obras de 14 artistas, oriundos de 11 países. Os trabalhos integraram a 2ª Bienal de Fotografia do Mundo Árabe, em 2017, e a exposição Cristãos do Oriente – 2.000 anos de história, em 2018. O título em árabe Taswir refere-se ao ato de fotografar. Saiba mais sobre a exposição na página Caderno de Notas, um blog fruto de parceria entre a seLecT e o Instituto Tomie Ohtake.

Na estrada de ferro de Santos a São Paulo (c.1880), de Marc Ferrez

SÃO PAULO
Marc Ferrez: Território e Imagem
Retrospectiva, até 21/7, IMS Paulista, Av. Paulista, 2424 | ims.com.br
Com curadoria de Sergio Burgi, a exposição faz um panorama da produção de Marc Ferrez (1843-1923), abrangendo o período de 1867 a 1922. A retrospectiva busca evidenciar o caráter múltiplo da obra de Ferrez e mostra desde sua atuação como fotógrafo oficial em projetos do Brasil Imperial até sua presença no ramo empresarial. A mostra marca o lançamento do livro Marc Ferrez, uma cronologia da vida e da obra, de Ileana Pradilla Ceron, do Núcleo de Pesquisa em Fotografia do IMS. No dia 4/5, às 11h, acontece debate de lançamento do catálogo da exposição e a partir do dia 8/5, acontece o curso Marc Ferrez, a fotografia e o Brasil em transformação do século XIX.

Co(AI)xistence (2017), de Justine Emard (Foto: Justine Emard, Adagp 2019, Paris)

SÃO PAULO
Consciência Cibernética [?] Horizonte Quântico
Exposição coletiva, até 19/5, Itaú Cultural, Av. Paulista, 149 | itaucultural.org.br
Com nove trabalhos de oitos artistas, nacionais e estrangeiros, a exposição elabora reflexões sobre um futuro em que máquinas têm consciência e são capazes de dialogar com humanos. Elaborada conceitualmente por Marcos Cuzziol, com pesquisa de Rejane Cantoni, a coletiva se expande pelos três andares do Itaú Cultural. Por ocasião da mostra, o instituto promove seminário homônimo, entre 28 e 29 de março, para discutir a produção artística sob o ponto de vista da inteligência artificial, da computação quântica e da poética.

SÃO PAULO
O professor deverá ser o último a se retirar, mesmo nos dias de chuva
Individual de Bruno Novaes, de 2/4 a 9/6, Paço das Artes no MIS, Avenida Europa 158 | pacodasartes.org.br
O artista Bruno Novaes parte de sua experiência como professor para discutir questões como educação, sexualidade, bullying e violência na mostra contemplada pela Temporada de Projetos do Paço das Artes. O artista, natural do ABC Paulista, produz desenhos, aquarelas e instalações que relacionam experiências pessoais e afetivas com incisivas críticas sociais ao conservadorismo das recentes políticas públicas sobre educação no país. Segundo o artista, as obras são uma “resposta a um sistema opressivo e castrador, pois escolas exercem um papel determinante na construção de hábitos, costumes e no modo de ser de um indivíduo”.

Pintura de Daniel Mullen da série Synesthesia (Fotos: Cortesia do Artista, Emmathomas Galeria)

SÃO PAULO
Equação das Cores
Individual de Daniel Mullen, de 30/3 a 4/5, Emmathomas Galeria, Al. Franca, 1054 | emmathomas.com.br
Exposição individual inédita do escocês Daniel Mullen com conjunto de pinturas abstratas. A partir de uma colaboração com a cineasta Lucy Engelmann, com quem é casado, o artista explora a sinestesia, que diz respeito à capacidade de misturar os cinco sentidos audição, paladar, olfato, tato e visão. Na abertura da mostra, no sábado 30/3, às 11h, acontece também o lançamento da edição #42 da revista seLecT. Equação das Cores foi assunto da seção Vernissage da #seLecT42, que traz uma análise crítica da obra de Mullen, escrita por Marcos Moraes. Leia aqui.

Trópicos Malditos, Gozosos e Devotos 04 (2018), de Rivane Neuenschwander (Foto: Eduardo Ortega. Cortesia Fortes D’Aloia &
Gabriel)

SÃO PAULO
Sol a pino, de Nuno Ramos, de 4/4 a 18/5, Galpão Fortes D’Aloia & Gabriel, Rua James Holland, 71
O Alienista, de Rivane Neuenschwander, de 1º/4 a 18/5, Galeria Fortes D’Aloia & Gabriel, Rua Fradique Coutinho, 1500 | fdag.com.br
Rivane Neuenschwander abre na segunda-feira, 1, a individual O Alienista, na Galeria Fortes D’Aloia & Gabriel (Fdag). A artista mineira exibe esculturas, pinturas e vídeos que tratam de assuntos como medo, sexualidade, política e violência. Em seguida, na quinta-feira, 4, Nuno Ramos inaugura a mostra Sol A Pino, no Galpão da Fdag. Sua exposição exibe pinturas, uma série de desenhos inspirados na tragédia Antígona e registros em vídeo de recentes performances.

Detalhe de Pontes (2010), da série Noturno de Sandra Cinto (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Noturno
Individual de Sandra Cinto, de 30/3 a 18/5,  Casa Triângulo, Rua Estados Unidos 1324 | casatriangulo.com
Em sua sétima individual na Casa Triângulo, a artista Sandra Cinto leva adiante suas experimentações com o desenho, produzindo obras sobre telas, objetos tridimensionais ou diretamente sobre as paredes do espaço, gerando uma instalação monumental composta de trabalhos inéditos. O título Noturno também faz referência às peças musicais para piano em que predomina o caráter intimista, bem como o tom que rege os desenhos da artista, em que paisagens celestes evocam espaços introspectivos e de contemplação.

Trabalho de Carlos Garaicoa (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Paisajes de trabajo, individual de Carlos Garaicoa, de 3/4 a 25/5
Entre a forma e o conceito, exposição coletiva, de 2/4 a 25/5
Jimmie Durham, Cildo Meireles e Pedro Cabrita Reis, de 3/4 a 25/5
Galeria Luisa Strina, Rua Padre João Manuel, 755 | galerialuisastrina.com.br
Até dia 25 de maio, o espaço da Galeria Luisa Strina abriga três diferentes exposições. Carlos Garaicoa apresenta a individual Paisajes de Trabajo, com esculturas, desenhos e instalações inéditas, que focam na arquitetura modernista. A coletiva Entre a Forma e o Conceito, feita em colaboração com a Kubikgallery (Porto, Portugal), traz um recorte dos artistas representados pelas duas galerias, com obras de Ana Linhares, Elena Damiani, Emmanuel Nassar, Fernanda Fragateiro, Fernanda Gomes, Marlena Kudlicka, Pedro Tudela e Salomé Lamas. Por fim, o espaço também abriga uma exposição de Jimmie Durham, Cildo Meireles e Pedro Cabrita Reis, feita junto da galeria londrina Sprovieri, onde a mostra já foi exibida em 2018.

Sem Título (anos 1960), pintura de Alfredo Volpi (Foto: Jaime Acioli)

SÃO PAULO
Estética de uma amizade – Alfredo Volpi e Bruno Giorgi
Até 25/5, Pinakotheke São Paulo, Rua Ministro Nelson Hungria, 200 | pinakotheke.com.br
Com 100 trabalhos, a maioria inéditos, a exposição celebra os quase 50 anos de amizade entre Alfredo Volpi (1896-1988) e Bruno Giorgi (1905-1993). A mostra tem curadoria de Max Perlingeiro, Pedro Mastrobuno, Leontina Ribeiro Giorgi, além da equipe do Instituto Volpi de Arte Moderna e da própria galeria Pinakotheke. Por ocasião da exposição, será lançada a publicação Estética de uma amizade – Alfredo Volpi e Bruno Giorgi, com material complementar à mostra. 

Sem Título (2019), de Maria Lynch (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Talismã: Uma Profecia da Cor
Individual de Maria Lynch, de 30/3 a 18/5, Baró Galeria, Rua da Consolação, 3417 | barogaleria.com
Com curadoria de Marc Pottier, a individual reúne 20 pinturas abstratas da carioca Maria Lynch feitas entre 2018 e 2019. “As formas e os objetos abstratos podem ser tridimensionais em tecido, ela sabe como desenvolver ambientes em que o público entre no trabalho (…). Na galeria Baró, ela convida você a entrar em seu céu, um universo onde muitas esferas plásticas transparentes são colocadas livremente no chão, permitindo que cada um imagine seu itinerário ou altere a ordem desses planetas, da forma em que estão jogados aos seus pés”, afirma o curador.

Fotografia da série Tranças, de Roberio Braga (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Ventos, Luz e Tranças
Individual de Roberio Braga, de 2/4 a 18/5, Galeria Mario Cohen, Rua Joaquim Antunes, 177, cj. 12 | galeriamariocohen.com.br
A exposição do fotógrafo baiano Roberio Braga traz 22 imagens das séries Luz Negra (2013), Tranças (2016) e Ventos da África (2019). As séries tratam da herança cultural africana e símbolos de resistência e preservação de tradições ancestrais. Inédita, a série Ventos da África foca na indumentária do bloco afro Bankoma, que surgiu a partir de oficinas de arte e educação feitas no Terreiro São Jorge Filho da Golméia, na Bahia.

Esculturas da série Natureza Inventada (2014-2019), de Carlos Vergara (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Carlos Vergara
Exposição individual, de 30/3 a 11/5, Bolsa de Arte, Rua Mourato Coelho, 790 | bolsadearte.com.br
Carlos Vergara exibe cinco séries de trabalhos baseadas em expedições à Serra do Bodoquena, no Mato Grosso do Sul, e outras viagens. A mostra tem curadoria de Luisa Duarte e exibe, por exemplo, monotipias sobre tecido feitas na Capadócia, no Caminho de Santiago de Compostela, e em Pompéia, no Cazaquistão. “Trabalho olhando para fora e para dentro, as idéias determinam o material com que vou desenvolve-las. Daí, múltiplos resultados podem ser obtidos com papel craft, pintura sobre tela, desenhos sobre papel, escultura com aço, monotipias sobre telas grandes ou sobre lenços de bolso como os que uso para tentar captar o inefável que procuro e encontro nas viagens que faço, tentando ver o invisível atrás do visível.”, diz o artista.

Sotheby’s (2012), de Nelson Leirner (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Correlações entre variáveis aleatórias: Julio Plaza e Nelson Leirner
De 30/3 a 27/4, Galeria Marilia Razuk, Rua Jerônimo da Veiga, 131 | galeriamariliarazuk.com.br
A curadora Inês Raphaelian monta exposição que estabelece relações entre o pensamento crítico de Julio Plaza (1938-2003) e Nelson Leirner. Entre os destaques da mostra estão três pinturas inéditas dos hexagramas do I Ching Change de Julio Plaza, cedidas por uma coleção particular.

Sem título (2019), de Frank Ammerlaan (Foto: Cortesia Sim Galeria)

SÃO PAULO
Iron Mountain
Individual de Frank Ammerlaan, de 30/3 a 23/5, Sim Galeria, Rua Sarandi, 113 | simgaleria.com
Sim Galeria recebe trabalhos recentes do artista holandês Frank Ammerlaan, com curadoria de Kiki Mazzucchelli. As obras exibidas são de diferentes materiais e são pautadas pelo embate entre a ordem e o caos. “Paradoxalmente, na construção desses trabalhos a incerteza está vinculada à etapa que diz respeito à produção industrial, enquanto o controle se dá apenas no momento artesanal de manipulação e dobradura das chapas”, afirma Mazzucchelli.

Croque Mort (2000), de Douglas Gordon (Foto: Divulgação)

SÃO PAULO
Arte57 + Casanova
Exposição coletiva, a partir de 2/4, Arte 57, Av. Nove de Julho, 5144 | arte57.com.br
Tendo a fotografia como objeto central, a mostra propõe encontros entre trabalhos de artistas de diferentes relações e países para pensar a produção de fotografia artística hoje. A exposição apresenta obras de 16 artistas, entre os quais estão Alice Quaresma, Douglas Gordon, Michale Wesely e Rosangela Rennó.

O Ônibus (1975), de Teresa Nazar (Foto: Fernando Silveira, Faap)

SÃO PAULO
Liberdade e Ousadia nos Anos 60
Individual de Teresa Nazar, até 26/4, Galeria Berenice Arvani, Rua Oscar Freire, 540 | galeriaberenicearvani.com
A exposição de Teresa Nazar (1933-2001) exibe 16 trabalhos da argentina radicada no Brasil. É a primeira individual de caráter comercial das últimas décadas. Com curadoria do historiador e crítico João Spinelli, reúne obras caracterizadas por uma influência da pop arte, relacionadas à Nova Figuração brasileira. “(…) Não podemos negar que muitos de seus trabalhos tangenciam conceitualmente o Pop: Teresa sintonizava essa transformação da arte ao incorporar os elementos da cultura popular em suas obras”, afirma o curador, que descreve a obra de Nazar como uma espécie de pop dos trópicos.

Lula durante o 5° Congresso Nacional dos Trabalhadores da Indústria (CNPI), fotografioa de Rogério Reis

SÃO PAULO e JOÃO PESSOA
Leilão Lula Livre
Online até 31/3 e presencial em 3/4, 19h30, Bar Sabiá, Rua Purpurina, 370, SP, ou Hotel Xenius, Av. Cabo Branco, 1262 (JP) | leilaolulalivre.wordpress.com
O leilão vende 50 fotografias históricas do Lula, doadas por fotojornalistas brasileiros e autografadas. Entre os fotógrafos estão Bob Wolfenson, Claudia Guimarães e Mônica Zarattini. Impressas em papel algodão, as imagens à venda tem 30 x 45 cm e lance mínimo de R$1.313,00. A renda arrecadada será destinada ao Instituto Lula. A etapa virtual do leilão já começou e permanece aberta até domingo, 31. O martelo será batido em eventos presenciais em São Paulo e João Pessoa, no dia 3/3, onde também será possível fazer lances.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicações Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.